Mostrando postagens com marcador Mundo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mundo. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 22 de junho de 2018

Desperdício de papel, desperdício de tudo...

Resultado de imagem para gasto de papel
Como nós gastamos papel. Como nós destruímos recursos da natureza por causa de besteira. Semana passada fiz provas de duas disciplinas na faculdade, as duas do mesmo professor. Cada prova tinha mais ou menos quatro, cinco páginas, folhas de papel de ofício, fora o papel pautado para respostas. Eram provas com muitos textos, entendo, mas a quantidade de papel gasta nas duas turmas foi absurda, na minha opinião.

E não só na universidade. Estive no banco ontem e saí de lá com duas folhas de papel. As informações contidas ali poderiam estar em apenas uma folha, mas por praticidade ou talvez até por vergonha de soar como pãodurice ou amadorismo, sei lá. O fato é que gasta-se muito papel, seja em empresas, escolas, hospitais, residências...  Eu tento reutilizar o máximo que eu posso para fazer rascunhos, mas não dá conta, sabe? Gasta-se muito mais do que o que tenta aproveitar.

Eu detesto qualquer tipo de desperdício. Porém confesso que sou um pouco chata em relação a coisas de cozinha: paninhos, esponjas, essas coisas, troco logo, mas em relação a todo o resto tento ser mais sustentável possível. Inclusive uso tudo até seu limite de vida útil. Ou seja, só compro celular, roupas, canetas, etc., quando os que estou usando se deterioram. Isso se chama pobreza também, viu gente? Então, como nem de longe, sou rica, vejo como necessidade usar tudo ao máximo. Meus cadernos são todos utilizados, até o final. E quando não uso mais para o semestre eu reciclo ou vou usando as folhas para algumas coisas.

Enfim, queria somente discutir um pouco essa questão do  desperdício. Toquei no assunto do papel porque é o mais observável para mim, porém, sei que desperdiçamos muito mais, principalmente água e comida, enquanto tem gente que vive diariamente em racionamento. Pretendo também levantar a consciência de cada um. O quanto você tem desperdiçado? Quanto lixo você gera por dia? Você tenta reciclar os papéis utilizados como rascunho? Pense e repense no que estamos fazendo, gastando coisas sem necessidade, destruindo sem necessidade.



Rafaela Valverde

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Ainda Assim Eu Me Levanto - Maya Angelou


Resultado de imagem para maya angelou

Precisamos conhecer poetas e poetisas negros!!!

Você pode me riscar da História
Com mentiras lançadas ao ar.
Pode me jogar contra o chão de terra,
Mas ainda assim, como a poeira, eu vou me levantar.

Minha presença o incomoda?
Por que meu brilho o intimida?
Porque eu caminho como quem possui
Riquezas dignas do grego Midas.

Como a lua e como o sol no céu,
Com a certeza da onda no mar,
Como a esperança emergindo na desgraça,
Assim eu vou me levantar.

Você não queria me ver quebrada?
Cabeça curvada e olhos para o chão?
Ombros caídos como as lágrimas,
Minh’alma enfraquecida pela solidão?

Meu orgulho o ofende?
Tenho certeza que sim
Porque eu rio como quem possui
Ouros escondidos em mim.

Pode me atirar palavras afiadas,
Dilacerar-me com seu olhar,
Você pode me matar em nome do ódio,
Mas ainda assim, como o ar, eu vou me levantar.

Minha sensualidade incomoda?
Será que você se pergunta
Porquê eu danço como se tivesse
Um diamante onde as coxas se juntam?

Da favela, da humilhação imposta pela cor
Eu me levanto
De um passado enraizado na dor
Eu me levanto
Sou um oceano negro, profundo na fé,
Crescendo e expandindo-se como a maré.

Deixando para trás noites de terror e atrocidade
Eu me levanto
Em direção a um novo dia de intensa claridade
Eu me levanto
Trazendo comigo o dom de meus antepassados,
Eu carrego o sonho e a esperança do homem escravizado.
E assim, eu me levanto
Eu me levanto
Eu me levanto.


Original em inglês: Still I Rise
Tradução de Mauro Catopodis



Rafaela Valverde

domingo, 27 de maio de 2018

Querido amigo ateu - Fabiana Bertotti


Descobri Fabi essa semana. Ela é jornalista, escritora, casada com um pastor e é Adventista. Não concordo com algumas coisas que ela fala, mas nesse vídeo eu concordo com tudo. Não adianta ser uma pessoa chata, até porque você não converte ninguém, quem converte é o Espírito Santo. Pode até pregar, mas antes viva em sua vida o que está pregando. Seja uma pessoa agradável pra falar de Jesus porque ele não merece gente chata achando que segue ele e proliferando mentiras e intolerâncias em Seu nome. Enfim, vejam o vídeo.



Rafaela Valverde

sábado, 26 de maio de 2018

O meu novo amor!

Resultado de imagem para amor de deus

Eu aceitei Jesus. No dia 13/05, dia das mães, em uma igreja Assembleia de Deus. Mas, olha só ela, não é mesmo? Que ironia da vida! Já tinha "aceitado" na minha pré adolescência mas agora é de verdade. Sou uma pessoa transformada. Sou uma pessoa consciente do amor de Deus e de Jesus e sou uma pessoa que tenta corresponder a esse amor. Todos os dias. 

Quero conhecer mais sobre o meu Deus, quero aprender muito mais sobre Ele e sua grandiosidade. Por isso, ando lendo alguns livros, além da bíblia. Faço devocionais diários quando acordo durante a semana. No final de semana faço em qualquer horário, porém em maior quantidade de tempo. Devocional é: "é a demonstração da devoção e admiração por algo ou alguma coisa, normalmente relacionado com aspectos religiosos. No âmbito religioso, devocional é o período de tempo que uma pessoa separa para se dedicar à Deus, ou seja, fazer orações, agradecimentos, leituras e discussões sobre a Bíblia."  Fonte:https://www.significados.com.br/devocional/

Estou me deixando moldar diariamente. Me policiando, orando e pedindo a Deus que mude o que eu não consigo sozinha. Já me libertei da escravidão do pecado, mas obviamente todos nós somos pecadores. Assim já nascemos, com o pecado residente, pois assim fomos gerados. Porém quando o Espírito Santo toca em nosso coração a gente ganha uma liberdade enorme - ao contrário do que as pessoas pensam e ao contrário do que eu mesma pensava. Liberdade no sentido de nos libertar da escravidão do pecado e de mim mesma, de meus próprios desejos mundanos e carnais. O amor de Deus e a forma que ele nos amou e ama é mais importante hoje para mim do que qualquer outra coisa no mundo. Nunca me senti assim na minha vida.

Uma das provas do amor de Deus está neste versículo: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16) Dessa forma temos Jesus. Ele veio como um homem, o único que nunca pecou, e morreu por nossos pecados. Olha, eu confesso que era uma pessoa muito cética até poucos meses atrás e às vezes, certas coisas se tornavam difíceis para eu entender, mas na medida em que vou estudando vou conseguindo entender. Ainda tenho algumas questões e dúvidas, porém tenho certeza que Deus vai me ajudar a entender, através do estudo das suas palavras..

O processo é gradual. E tenho sede de aprender. Sempre gostei de estudar tanta coisa então por que não estudar com mais profundidade os assuntos do Senhor? Tenho aprendido algumas coisas e deixando que essas coisas reflitam em meu comportamento e em minha vida. Estou buscando recursos diversos para aprender mais, como livros, blogs e canais cristãos no Youtube, além da própria bíblia é claro. Além disso tenho ido à igreja. Na verdade, domingo passado fui à uma batista. Então, ainda estou frequentando para ver em qual me adapto melhor. Servir a Deus e ter Jesus como melhor amigo são as melhores coisas que tive até hoje, mas não é fácil. Seguir o cristianismo não é fácil. Tentar se assemelhar a Jesus e amar ao próximo por exemplo, não são coisas fáceis, mas quando a gente ama a Deus e a Jesus e deixa o Espírito Santo habitar em nós, mantendo intimidade diária com Ele, fica um pouco mais tranquilo.

Então, meu coração e minha vida estão preenchidos e tomados por Deus. Meus pecados anteriores foram perdoados pois me mostrei arrependida. Eu pedi a Deus uma vida nova e a partir das minhas atitudes estou conseguindo. Uma das coisas que não entendia era o fato de abrir mão das minhas vontades e de mim para deixar Deus tomar conta. Eu não queria fazer isso, antigamente. Mas agora entendo que abrir mão da minha vontade e dos meus desejos significa que devo deixar de querer  pecar e de sentir prazer no pecado, significa que eu devo abrir mão dos desejos da carne e me dedicar mais e mais à vida espiritual... Enfim, sei que ainda há muitas coisas para eu entender e talvez muitas coisas que escrevi aqui tenham sido besteiras, mas é o pouco que aprendi até agora.

Sim, eu agora sou cristã. Ainda não me batizei e não sei em qual igreja vou congregar, mas tenho total certeza da minha nova vida. Até porque não tem como voltar mais atrás. Então, para onde é que eu voltaria? Não há lugar melhor que a presença do Senhor. Não há amigo melhor que Jesus Cristo e não existe consolador mais poderoso que o Espírito Santo. Pois bem, não preciso berrar aos quatro cantos do mundo minha decisão e nem preciso orar, clamar e adorar a Deus de forma ruidosa. Pelo contrário, a bíblia ensina que é no secreto que nosso encontro e intimidade com Deus são melhores efetivados. Enfim, há mais coisas que quero falar porém elas podem ser ditas em forma de texto ao longo do tempo... Achei que era necessário escrever aqui essa nova fase da minha vida.

Para terminar quero fazer algumas observações: estou muito feliz; sinto uma paz enorme, me sinto preenchida, não sinto mais solidão, nem aquela tristeza constante, não me sinto mais deprimida e com vontade de morrer. Várias vezes de 2015 para cá pensei em me matar, mas hoje não penso mais nisso e é graças a meu Deus! Minhas atitudes hoje são mais baseadas no amor. Amor a Deus, amor ao próximo (na medida do possível) e amor próprio. E acerca de amor próprio vem a ideia da auto estima, cuidados diários, cuidar da saúde do corpo e da alma, maquiagem, esmaltes, vestuário. Não vou deixar de usar essas coisas, que se tratam de usos e costumes e que a depender da igreja são "proibidos". São doutrinas de homens e não de Deus. Vale a interpretação do que se lê, já que não há nada diretamente relacionado a essas questões na bíblia. Posso escrever textos mais detalhados sobre esse assunto depois.

Mas, continuando minhas observações: o que mudou foi meu coração, minhas atitudes ruins que melhoram a cada dia e minha forma de viver e me relacionar com as pessoas e com Deus, o que mudou foi minha vida de pecado e de gênio difícil por exemplo. E algumas coisas têm menos importância hoje para mim do que tinham antes. Mas eu não deixei de ser eu. Não vou ser crente chata, fanática, nem vou virar homofóbica, preconceituosa e alienada do mundo que vivo. Não vou deixar de ver minhas séries, ler meus livros e ouvir música secular - claro que depende da música secular. Tem músicas que são verdadeiros poemas, são lindas e falam de amor. E eu sou poeta! Acho que nem preciso me ater mais a essas explicações, não é? Claro que não vou mais ouvir por exemplo músicas que tenham conotação sexual ou violência ou músicas que tenham danças muito sensuais. Isso porque o Espírito Santo tocou no meu coração e me incomodou. Várias coisas já me incomodaram e eu deixei de vez. O que importa é meu relacionamento com o Senhor, o que Ele me diz. O que importa é o nosso amor e meu coração que tenta dia após dia ser mais santo e puro. Religião é o menos importa aqui. Importa é Jesus, o cordeiro de Deus. Sou apaixonada por Ele!





Rafaela Valverde





segunda-feira, 2 de abril de 2018

Morte Súbita - J.K. Rowling.

Resultado de imagem para morte subita livro


Morte Súbita é um livro que exige paciência no início. Depois vai ganhando força  e se torna um grande livro, com grandes personagens e histórias. Falo de paciência porque achei o início da leitura bem chata, mas depois deslanchou. Se for um leitor sem paciência não segue a leitura. Mas eu segui e não me arrependi. Na verdade gostei muito. O livro lançado em 2012 foi o primeiro livro não infanto-juvenil de J.K. Rowling. 

A história se passa em um pequeno povoado chamado Pagford e seus moradores complexos e ao mesmo tempo tão simplificados. Personagens tão humanos que fogem do maniqueísmo habitual de histórias como essas. A morte súbita, título do livro é a de Barry Fairbrother, membro do conselho municipal. Estórias diversas são desencadeadas a partir da aneurisma rompida de Barry que causa sua morte.

A partir desse acontecimento, questões são mostradas, personagens bem feitos demonstram seus dramas mais profundos, preconceitos, defeitos, etc. Há uma violência nas entrelinhas ao longo de todo o livro que termina de maneira surpreendente, a meu ver.  Do meio para o final eu não queria mais soltar o livro e estou fascinada pelos personagens até hoje. Fiquei encantada com os bons personagens, bem construídos e completos. Além disso, a passagem de um trecho para outro do livro, foi escrito e era mostrado como cenas de filme. Me senti lendo um grande roteiro de cinema. Enfim, Morte Súbita  foi um livro que gostei muito. Recomendo, vale a pena. Tenham paciência.




Rafaela Valverde

quarta-feira, 14 de março de 2018

Lixo nosso de cada dia

Resultado de imagem para geração de lixo

Já parou pra pensar quanto lixo a gente gera por dia? Já observou isso? Da hora que acordo até a hora que vou dormir quanto dejeto eu descarto no planeta? Não? Nunca pensou? Eu, às vezes, contabilizo mentalmente o lixo que vou gerando ao longo do dia. Papel higiênico, papéis de bala, embalagens de biscoito, caixa de suco, guardanapo, pacote de leite e café... É muita coisa. É muito entulho gerado pelo ser humano há anos, especialmente desde o surgimento do plástico...

Me pego pensando às vezes se só eu penso nisso. Tenho a impressão que ninguém se importa. Agora,vocês imagem, com a quantidade de pessoas que temos no planeta e cada vez nascem mais e mesmo aquelas que morrem os lixos gerados por elas levam anos para se decompor. Imaginem o que está virando nossa esfera, nosso habitat.

O que vamos fazer com tanto lixo? A reciclagem não é suficiente ainda para tanto lixo que geramos diariamente. Muitas vezes nem pensamos nisso. Cada pequena embalagem que é gerada a partir de uma bala ou um picolé que compramos na rua. Cada entulho, por menos que seja, causado por nós, é  prejudicial para o planeta e até mesmo para nossa convivência diária, pois reparem que ruas sujas. com muito lixo jogado por nós, soam como ambientes desagradáveis  e são mesmo.

Já há algumas tendências e tentativas de se produzir menos lixo individualmente. Até já vi alguns vídeos na internet sobre o assunto, mas o que temos feito para que isso realmente ocorra? Temos economizado em copos descartáveis quando vamos beber água? Por exemplo, se você for beber água pela manhã e pela tarde ou a cada uma hora você pega outro copo descartável ou você tem uma garrafa ou copo próprio? Existe essa preocupação? E o tanto de papel que é gerado especialmente em empresas? Trabalho em uma empresa que não tem nenhum cuidado com o tanto de papel que produz. É tanto documento impresso desnecessariamente. Podemos reaproveitar coisas, mas por motivos diversos não o fazemos. Até papel de rascunho pode ser feito com esses papéis, mas em muitos casos ou quase todos são simplesmente descartados. Como repensar essas questões e simplesmente fazer a diferença? É possível ? Acredito que passa pela educação e por conscientização mesmo. Mas não conscientização por algo que está longe de nós e sim devemos trazer para perto da gente para que nossas ações possam realmente ter algum sentido. Olha, eu tento, mas em alguns casos é bem difícil, até porque dependemos de outras pessoas, empresas e setores para fazer nossa parte.




Rafaela Valverde

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Se todas as garotas - Nikita Gill

Resultado de imagem para se ame



Se todas as garotas fossem ensinadas
como se amar ferozmente
em vez de como competir
umas com as outras
e odiar seus próprios corpos,
que diferente
e bonito mundo
nós viveríamos.





Rafaela Valverde

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Todo Mundo Odeia o Chris

Resultado de imagem para todo mundo odeia o chris

O seriado protagonizado por pessoas negras mais marcante e que mais gosto com certeza é Todo Mundo Odeia o Chris. Além de ser bem divertido e engraçado, o seriado aborda diversas questões raciais presentes nos Estados Unidos na década de oitenta, época em que o seriado se passa. O seriado, criado pelo humorista Chris Rock é baseado em sua infância e adolescência. Claro que há dados reais, mas há também certa ficção em torno de sua vida.

No seriado, Chris era o único menino negro na escola e sofria preconceito. Apanhava e era constantemente tratado com ironia e estereotipado pela professora. Comecei a ver o seriado na TV aberta na minha adolescência - ele foi transmitido entre 2005 e 2009 - mas, recentemente, através de um aplicativo pude assistir todas as temporadas - quatro. Em ordem cronológica. Já que na TV os episódios passavam aleatoriamente.

Enfim, eu adoro esse seriado. Acho muito bem feito, bem escrito. Boas piadas e tiradas. Excelentes interpretações e personagens muito bem construídos. A melhor, na minha opinião é a mãe de Chris, Rochelle, interpretado pela maravilhosa Tichina Arnold. Costumo dizer que Rochelle é a melhor personagem de todos os tempos. Com sua célebre frase: "Eu não preciso disso aqui, meu marido tem dois empregos..." Rochelle me conquistou totalmente. Dei muitas risadas durante todo o seriado. Nesse período vemos Tyler James Williams, que interpreta Chris crescer e amadurecer como ator e personagem. Não posso esquecer também dos irmãos de Chris, interpretados por Tequan Richmond e
Imani Hakim. Ótimos personagens também.

O melhor é que há pouquíssimas pessoas brancas no seriado, geralmente personagens pequenos. O protagonismo era dos personagens negros, sobretudo no bairro, na música, na cultura. E isso era uma das melhores coisas no seriado.  O personagem branco mais próximo de Chris era Greg, seu melhor amigo, interpretado por Vincent Martella. Juntos, Chris e Greg eram centro de muitas cenas engraçadas.

Mas não só de humor vive Todo Mundo Odeia o Chirs. Algumas questões raciais são mostradas e retratadas com detalhes. Os Estados Unidos é uma nação assumidamente racista, lá as coisas são muito menos veladas que aqui, imaginem, então, nessa época, anos oitenta, noventa. A coisa era muito mais polarizada. Não vou entrar mais nessa questão pois não me sinto suficientemente conhecedora. Mas, o que posso dizer é que o seriado é muito bem feito e completo.

O seriado termina no final dos anos oitenta, quando Chris perde de ano na escola  e faz um exame supletivo para conseguir diploma de ensino médio. No último episódio, a família está reunida em uma lanchonete para saber o resultado do supletivo, mas exatamente no resultado o episódio é interrompido subitamente e a série termina. Dá para entender que Chris não passa. Ele, nesse mesmo período, em sua vida real, abandona a escola e começa sua carreira como humorista. Inclusive para ajudar a família, já que seu pai morre, nesse período. A partir daí, é possível entender que o seriado não mais seria engraçado, então pode ser esse o motivo de terminar tão de repente e sem final. Vale muito a pena assistir e com certeza ainda muitas pessoas vão ter acesso, já que de vez em quando passa na Rede Record. Tomara!



Rafaela Valverde

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Série The Bletchley Circle

Resultado de imagem para the bletchley circle

Terminei de ver recentemente a segunda temporada da série  The Bletchley Circle. É excelente e bastante curtinha. As duas temporadas contam apenas com sete episódios, mas já soube que não haverá renovação para uma terceira temporada. Tem na Netflix e vale a pena assistir, a meu ver. A série começa nos anos 1940 durante a segunda guerra mundial. Nesse momento quaro grande mulheres trabalham em Bletchley Park, a serviço do governo, descifrando códigos criptografados dos inimigos. 

Susan, Millie, Jean e Lucy  são mulheres diferentes, com personalidades marcantes e cada uma tem um  talento peculiar. Assim, nove anos depois, elas se reencontram, incentivadas por Susan que as reúnem,  para tentar desvendar um crime que ainda não tinha solução. Um assassino de mulheres estava à solta e precisava ser contido.

Susan é boa com códigos e equações matemáticas, Millie é a mais inteirada dos meandros sociais e conhece muita gente, além de falar várias línguas; Jean ainda trabalha em um órgão público e conhece bastante gente influente e Lucy tem memória fotográfica, sendo capaz de memorizar qualquer coisa em qualquer tempo.

Quatro amigas. Quatro mulheres fortes que precisam lidar com seu próprio dia a dia - Susan é casada e tem dois filhos; Lucy também é casada - e ainda enfrentar preconceitos por serem mulheres. Nesse período havia poucas coisas que mulheres podiam fazer a não ser casar e ter filhos e ser realmente bem sucedida. Mas elas enfrentam os obstáculos com bravura, provando que mulheres podem fazer qualquer coisa que quiserem. Mesmo não sendo tão ouvidas assim pela polícia, elas continuam a investigar o crime e seguem com seu propósito até o final.

É fantástica, recheada de suspense, mistério, cenas bem feitas e fortes, além das atuações bem s guras das personagens. Praticamente em todos os episódios, as aparições dessas quatro mulheres muito capazes e maravilhosas. Assim como todas nós, que podemos tudo, inclusive desvendar crimes! A segunda temporada achei mais chatinha, sei lá, mais parada. Susan, minha personagem preferida, meio que sai um pouco de cena dando lugar a outra personagem que agora não lembro o nome.

O plano de fundo da série com certeza é a situação em que vivia a mulher naquele momento da história da humanidade. Traz em detalhes e /ou referências diversas questões que estavam lá no século vinte, mas que ainda estão, até hoje no século XXI, infelizmente. Vão lá e assistam. Pode começar um pouco chatinha, mas deem uma chance porque vale a pena.



Rafaela Vaverde
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...