Mostrando postagens com marcador Moda. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Moda. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 6 de junho de 2017

As pessoas...

E que se dane a dieta, que se dane meu cabelo feio e a espinha cravada na minha testa. Hoje eu não estou interessada no que o espelho tem a me dizer. Não me importo mais se estou gorda, não me importo mais se meu cabelo precisa de hidratação e minha pele se comporta como se eu tivesse doze anos.

Hoje eu não quero mais me importar com o que as pessoas pensam e dizem sobre mim e sobre minha aparência. Eu gosto de ter cabelo curto, essa juba cresce demais e me transforma em escrava dele. Eu gosto de ser gorda, porque eu gosto de comer, beber e fumar. E que se danem minhas veias, meu fígado e meu pulmão. Eles não são meus, porra?

Então, quem vai morrer cedo, de câncer de pulmão e feia? Eu. Então vão procurar lavar umas panelas ao invés de me atazanar. Peguei a tesoura no armário do banheiro e comecei a cortar o cabelo. Sempre o cortei, sozinha em casa. Sempre fui muito independente em relação a mim mesma. O que me fez ficar tão abobalhada me importando com as opiniões alheias?

Talvez tenha sido uma forma de me enturmar, de me encaixar em um determinado grupo. Sabe, as pessoas impõem qualquer ideia idiota sobre nossos corpos e a gente acredita. Que coisa, mulher não pode viver em paz! As pessoas sempre me disseram que eu ficava mais bonita de cabelo comprido, as pessoas sempre me disseram que eu seria mais saudável se fosse magra; as pessoas sempre me disseram que eu seria mais feliz se gastasse rios de dinheiro com depilação e tratamentos de beleza.

As pessoas... Que se danem o que elas acham ou dizem. Eu sou preguiçosa, não gosto de cuidar do cabelo, eu gosto é de comer e por isso sou gorda. Eu gosto de ser eu mesma e por isso eu sou feliz. Pelo fato de me permitir ser eu mesma. Com minhas comidas, meu cabelo curto, meu cigarro e meus pelos.

Então, hoje eu digo, com toda convicção: que se danem as pessoas, que se dane essa porra dessa dieta e que se dane esse cabelo ridículo e mal tratado. Vou continuar sendo eu mesma, com meus noventa quilos e meu cabelo de "machão".



Rafaela Valverde

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Série Gossip Girl

Imagem da internet
Terminei há alguns dias de assistir a série Gossip Girl, A garota do blog que se passou em Nova York e que teve seu início em 2007. Época em que eu ainda estava na escola, mal tinha um computador e ainda não existia netflix, não que eu saiba. Nessa época, a série passava em TV fechada, algo que eu só fui ter anos depois.

Por isso só vim ver a série agora, de forma retardatária. A série foi baseada nos livros homônimos lançados nos EUA um pouco antes. Teve seis temporadas, terminando em 2012. Claro que eu já ouvia falar bastante nessa série, principalmente através das revistas que eu lia. No ano passado um ex colega de trabalho, sabendo que eu era blogueira, sugeriu que eu assistisse a série então comecei a ver em maio.

Gossip girl nada mais é que uma série que relata a vida de estudantes ricos do Uper East Side, Manhattan. Seus conflitos, seus dramas e intimidades eram investigados e narrados pela garota do blog, uma página de fofoca que espalhava boatos, ou não sobre os jovens. Esses jovens não eram lá esses santos também e sempre davam assunto para o blog.

Gostei bastante da série, havia muitas filmagens externas pelas ruas da cidade. Outras cidades e países também foram filmados, como Paris. Os jovens atores eram bons apesar de estarem começando e tinha moda, muita moda; pessoas bonitas, casais... Tudo que a gente gosta! Enfim, apesar de não ser mais uma adolescente eu curti muito a série que trata de muitos assuntos diferentes, como desigualdades, poder e dinheiro, drogas etc.


É isso, beijinhos, Garota do Blog!  hehehe



Rafaela Valverde

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Meu texto sobre feminismo para o Blog Trend Modas

Imagem da internet
Pessoas, antes de viajar quero deixar um texto meu sobre o feminismo que escrevi para o blog Trends Moda do meu amigo Raphael Minho, Na moral, é um texto muito bom e eu estou orgulhosa dele demais. Curtam o final de semana com o meu texto sobre o movimento feminista. Bjos!
 Blog: Trends Moda


Rafaela Valverde

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Sempre demorei para aderir às redes sociais

Imagem da internet
Fui uma das últimas a ter e-mail, MSN, Orkut e o Flogão, aquele das fotos sabe? Nunca tive. Fui uma das últimas a deixar de usar o falecido Orkut e a aderir ao Facebook. É sou resistente. Sou taurina. Não vejo graça em ser como os outros e fazer tudo o que os outros fazem.

Só fui ter WhatsApp em 2014, por que apenas nesse ano comprei um smartphone furreca. Antes tinha um celular mais furreca ainda com toques polifônicos e teclado QWERTY. Última moda na época do seu lançamento. Tinha por ele um super carinho, foi presente. A comunicação era feita quase que exclusivamente via ligações e SMS. Sim, alguém ainda sabe o que é isso?

Só tive Instagram no ano passado e é uma rede que eu gosto muito. Enfim, sou lenta para aderir coisas como essas. Não gosto de estar na "crista da onda" (gíria velha). Mas não que seja algo totalmente intencional da moça turrona que sou às vezes, mas é uma característica minha mesmo.

Conheci o Tumbler em 2011 e fiz uma conta mas o meu interesse por ele não vingou. O snapchat, a rede da moda, é uma das coisas mais imbecis que eu já vi. E olhe que tenho visto muitas coisas imbecis ultimamente. 

Já o blog tenho desde 2008, pelo desejo que tinha de escrever para desabafar, falar sobre mim. Nessa época eu tinha 19 anos e nem sabia o que eu queria da vida. Eu nem sabia que escrevia bem, que era essa a minha maior paixão. Eu não sabia nada de mim mesma. Enfim, mas esse me conquistou bastante, desde sempre. 

Na verdade eu sempre acho que não dá para ter todas as redes sociais, ver todas as séries, ler todos os livros da moda, etc. Eu tenho meu ritmo próprio e sinceramente acho que essas pessoas que fazem tudo isso de forma muito exagerada não tem muita coisa de útil para fazer não. Pronto, falei!



Rafaela Valverde

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Um presente sexy

Imagem da internet
Eu estava terminando de me maquiar e apoiei a perna na poltrona que ficava próxima ao espelho. Olhei minha perna que estava vestida com uma meia arrastão preta e achei que estava bonita. Tenho belas pernas e hoje eu estou pronta para sensualizar. Hoje eu quero chamar atenção e não quero terminar a noite sozinha.

Minha sensualidade está mais internamente, eu acho. Está na atitude, está no sorriso, está na forma como mexo o cabelo de um lado para o outro. Está nos pequenos detalhes. Sei que chamo atenção quando entro nos lugares. Em qualquer lugar. Gosto disso e gosto de provocar. Pinto minha boca de vermelho e saio de casa.

Estou me sentindo muito bem e muito gostosa. Saí para causar. Eu sempre saio para causar. Fiquei na porta do prédio esperando minha amiga Duda que viria me buscar às nove. Mas ela sempre se atrasa, então abri a bolsa peguei um cigarro e passei a esperar resignadamente. Fumei um, dois, três cigarros e nada da Duda aparecer. Já estava andando para o ponto de táxi mais próximo quando vi o carro da Duda. 

Parei de andar e voltei para a porta do prédio. Coloquei as mãos na cintura e já estava preparada para xingá-la, quando o vidro do carro desceu e apareceu um cara lindo, negro, forte e com belos olhos castanhos, com uma camisa rosa três quartos, super sexy. Ele me olhou de cima abaixo e perguntou: "Você que é a amiga da Duda? Ela pediu pra eu vir te buscar!"

Olhei para um lado e para o outro, sem entender e ele disse: "Sou o Lucca, entra aí." Ele falou enquanto abria a porta do carro. Revirei os olhos, olhei para o céu estrelado daquela linda noite e pensei: "Obrigada Duda, eu te amo." Entrei no carro, com toda a minha sensualidade e lá fomos nós, juntos, para a festa ou para qualquer outro lugar...


Rafaela Valverde

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Mundo efêmero

Foto Google
De repente o tempo passou, o cabelo cresceu, a roupa ficou menor, uma oportunidade surgiu outra apareceu. Portas se fecharam, mas janelas se abriram. A água evaporou, o que estava ruim melhorou, o que estava deslanchando recuou. O tempo passa, tudo muda. O tempo todo o ponteiro avisa que o que não muda não avança.

A tecnologia muda, a moda muda, os conceitos e opiniões mudam a todo momento. Não adianta tentar frear. Quando nos damos conta, aquela roupa que tanto gostávamos não entra mais em nossos corpos cada vez mais rechonchudos e sedentários. Vendo fotos é que conseguimos ver o quanto mudamos em poucos dias, em poucos meses.

Os anos passam, a gente envelhece. O celular e o computador que tínhamos no ano anterior, não servem mais, ficam pesados. A gente fica pesado, alguns relacionamentos com determinadas pessoas pesam e somos obrigados a descartá-los. É esse o nosso modo de viver! Efémero, tosco, vazio. Mas a gente gosta, a gente tolera, a gente colabora. E assim vamos caminhando, mudando, passando, descartando e se jogando...



Rafaela Valverde



quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Impala X Risqué

Vou falar um pouco sobre esmaltes. Há muito tempo eu não falo sobre esmaltes aqui no blog, mas hoje quero falar. Eu faço a unha e pinto toda semana, mas a unha não cresce e quando cresce quebra. Desisti de ter unha grande, mas continuarei cuidando. Uso base antes de pintar e sempre uso três camadas de esmaltes para que ele dure mais. Após pintar, óleo secante e extra brilho. Agora, o quero realmente falar é sobre a comparação entre esmaltes que fiz essa semana. Já havia feito essa comparação entre o Risqué e o esmalte da AVON. Dessa vez fiz entre o Risqué e um vermelho lindo da Impala. Minha opinião é que a Risqué é mais marca e fama. Os da AVON e agora constatei que os da Impala também são melhores que os esmaltes da Risqué. Na semana passada, usei um da risqué e com poucos dias descascou quase todo e eu tive que tirar. Essa semana usei um vermelho da Impala. Pintei no domingo e já lavei prato, roupa e hoje é quinta, não descascou quase nada. Só as pontinhas, então eu mais que recomendo os esmaltes da Avon e da Impala, pois no meu caso eles duram e duraram mais do que os da risqué. Não sou muito fã dessa marca, não.
 É isso.


Rafaela Valverde
RA

sábado, 25 de maio de 2013

A moda faz sim parte da nossa vida




Pode não parecer mas eu sou sim ligada em moda. E qual mulher não é? Pelo menos eu não conheço nenhuma mulher que ao menos não goste de ver revistas de moda. Não digo nem ler, digo ver mesmo. Então, eu penso que qualquer mulher se impressiona com um bom look e tem vontade de se vestir igual. Enfim, a moda faz parte de nossa vida, não tem jeito. Mesmo que não esteja antenada com a última novidade da passarela (eu tenho mais o que fazer e não trabalho com isso) eu sempre faço questão de ver programas de TV, revistas, jornais e blogs de moda. Esses últimos são os mais novos queridinhos e os que mais podem ajudar na hora daquela pequena emergência fashion. Em uma de minhas andanças no mundo da moda eu aprendi uma máxima que sempre vou levar. Na dúvida tire alguma coisa, pois o menos é mais. E o bom senso deve imperar, aliás em qualquer ramo da vida, não acham?


Rafaela Valverde


quinta-feira, 9 de maio de 2013

Um dia bem interessante


Novos óculos
Hoje é um dia em que me sinto muito bem, estou feliz. Primeiro por que depois de alguns dias de desânimo eu consegui passar em uma seleção para trabalhar na empresa que eu quis desde o início, por ser um call center bem mais tranquilo dos que eu já estou acostumada a trabalhar (depois explico com detalhes) e por não trabalhar todos os domingos, só um no mês.

 E já estou retornando finalmente ao mercado de trabalho, bastante rápido até em relação a algumas pessoas que eu conheço. Eu só tenho que agradecer a Deus, Deus um ser que não é antropomorfizado, mas uma energia, um espírito em que eu acredito (só não acredito em religiões) e que vem me abençoando independente de eu estar presa em dogmas religiosos ou não. Enfim, agradeço muito. 

A segunda coisa que me deixou bem feliz hoje foi a minha troca de óculos. Troquei aqueles velhos e antiquados por esses bem mais modernos e estilosos e eu amei. Apesar de mais uma vez ser obrigada a ouvir críticas dos outros, eu não ligo. Amei!

Essa sou eu, essa é a minha essência.


Rafaela Valverde


sexta-feira, 3 de maio de 2013

Retiro sempre toda a maquiagem

Foto: Google
Vou falar sobre algo que pode até ser considerado besteira, mas para mim é muito importante. É o ato de tirar a maquiagem antes de dormir para que a pele possa descansar e respirar melhor. Sinto que isso é importante a tal ponto que deixa mais leve o rosto quando tiramos tanta maquiagem, principalmente da região dos olhos, como sombra e rímel. Eu faço questão de retirar mesmo que esteja cansada. Retiro o excesso com a água do banho e em seguida uso o removedor bifásico para olhos da Avon e na pele do rosto uso apenas leite de rosas, para retirar o restante de maquiagem, pó, blush, enfim. Retiro o máximo que eu posso e gostaria de deixar registrado aqui.


Rafaela Valverde

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

O dia de hoje

Hoje passei um dia muito bom. Estou de folga hoje,amanhã e sábado. Dois dias por conta da eleição, que como vocês sabem fui presidente de mesa esse ano. Pois bem. De manhã curti um sol e uma piscina. Almocei fora e agora estou aqui sem fazer nada. Só não consegui ir à academia e dormir um pouco agora à tarde, mas tudo bem.  Aí fico revezando entre a internet e os afazeres domésticos e assim consigo dar conta aos poucos de meus afazeres. Essas folgas vieram a calhar, pois estou resfriada e tomando anti-inflamatório para a garganta e estou dormindo muito mal, então vou poder pelo menos descansar a mente um pouco da agonia que é o meu trabalho. Agora um texto que eu publiquei no Facebook:


"Fazendo um rápido balanço hoje e dando depoimento no programa 'As Metropolitanas' na Rádio Metrópole hoje, vi o quanto esse ano de 2012 foi libertador para mim. Fiz tudo o que quis sem me importar com a opinião alheia. Como eu disse no programa, se o mundo acabar amanhã (era o tema da pergunta do programa) eu estaria satisfeita,pois fiz tudo o que quis esse ano, me libertando de coisas que não estava mais me deixando feliz. Larguei um emprego que não mais me motivava, larguei a faculdade depois de seis semestres cursados e apesar de todos os votos contrários de todos que eu conheço, e me libertei de toda a química do meu cabelo, cortando-o "joãzinho", quando todo mundo dizia que ia ficar feio. Hoje tenho outro emprego menos monótono, estou inscrita no vestibular da UNEB para um curso que realmente é a minha cara e meus cachinhos estão crescendo lindos! OBRIGADA DEUS POR ME FAZER ASSIM, CORAJOSA! E quem não é, passe a ser! Ignore totalmente a opinião alheia e quebre paradigmas!
Viva 2012! Ano de libertações e que venha 2013!!!"




Rafaela Valverde

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Em busca de respostas. Respostas que emagrecem e libertam!

Desde quando você se interessa em perder peso? Desde quando se importa com a saúde e as gordurinhas que se alojaram ano a ano em sua barriga? Que interesse é esse de ficar mais bonita e mais gostosa? Será que é mesmo repentino o desejo de ficar mais bonita e ter um corpo sarado, ou algo estava te reprimindo, te impedindo de querer ser menos gorda. O que será que te deixou acomodada durante todos esses anos? O que fez você achar que não gostava de atividade física e que gostava muito de comer, para reduzir e mudar o que comia? O que despertou em você a vontade de ir para uma academia se exercitar e de comer menos e coisas mais saudáveis? Chamo isso de acomodação mesmo. Pelo menos no que se refere a mim. Passei os últimos seis, sete anos (período que engordei progressivamente) em uma redoma que eu pensava que me fazia bem, mas não fez e não faz. Agora enxergo isso e vou sair dela, tão logo puder. E já começo voltando a malhar e reestruturar minha alimentação, prestando mais atenção ao que como, a quantidade e os horários. Prestando mais atenção nesses detalhes, substituindo alguns alimentos por exemplo (já comecei a fazer), e voltando a malhar, eu espero realmente começar a emagrecer. Claro que isso vem aos poucos, e ultimamente não ando tão paciente e determinada assim, mas farei o possível para não abandonar a academia novamente. Já sei que fiquei acomodada durante todos esses anos e engordei muito, sobretudo por conta do uso de anticoncepcionais, mas não quero mais ter esse corpo de 87 kg. Essa semana fui vestir uma roupa que adoro e ficou horrível em meu corpo e a partir de então tomei a decisão de voltar a caber nas minhas roupas. Estabeleci essa meta de caber em minhas roupas e de me sentir mais elegante e mais a vontade usando-as e essa razão talvez seja a resposta das perguntas que iniciei o texto. Perguntas essas que talvez esteja na cabeça das pessoas que estão ao meu redor. O fato que estou sentindo nesse momento da minha vida uma grande necessidade de me libertar. Libertas das amarras impostas pela sociedade (as poucas que ainda me pegam), me libertar do que os outros pensam e acham que eu devo fazer da minha vida e me libertar de qualquer coisa que ainda me deixe inerte, e sem vontade de agir, de tomar a iniciativa como estou nesse momento. Pelo menos algumas atitudes já foram tomadas e ao longo desse novo período talvez eu possa responder essas e muitas outras perguntas que passam na minha cabeça diariamente.



Rafaela Valverde

sábado, 22 de setembro de 2012

Eu e o meu cabelo: a relação mudou.

Cortei o cabelo baixinho, na altura dos cachos como vocês já sabem, por que eu contei aqui. As pessoas que ainda não sabem, me vêem com um olhar de estranhamento e devem se fazer milhares de perguntas. Ainda não fizeram para mim, por que eu terei o prazer de responder que cortei POR QUE EU QUIS. Isso já não basta? Tem que ter um motivo específico? Tenho que estar fazendo quimioterapia ou ter tido um corte químico com direito a queda, para tomar essa decisão? Não, eu apenas quis cortar! Para tirar de vez a química, cortar o mal pela raiz. E estou me sentindo muito bem, muito feliz e liberta! Isso não tem preço. Nenhum comentário e olhar vai tirar essa alegria de mim, de ter feito logo isso. Era para ter feito a muito tempo, mas enfim tomei coragem e cá estou eu, com as madeixas curtas e naturais. Olho os meus cachos e me pergunto como pude renegá- los a vida toda. E a liberdade que conquistei. Nada de chapinha todo final de semana, nada de ficar correndo da chuva. LIBERDADE! Essa é a nova eu.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Cortei a química toda do cabelo e deixei apenas os cachinhos






As pessoas falam muito, criticam muito mas eu entendi definitivamente que não devo nada a ninguém e nem dependo de ninguém para nada. Faço o que quero e o que eu queria era isso. Pronto!


Rafaela Valverde

sábado, 1 de setembro de 2012

A ausência de mulheres negras em revistas femininas


Essa semana perdi o sono pensando em uma coisa: É raro ainda ver a presença de mulheres negras em capas de revistas. Já falei isso aqui em relação a Revista Gloss. Mas já venho observando há algum tempo em outras revistas também. As revistas femininas brasileiras não representam brasileiras e sim o padrão europeu de beleza, corpo, cabelo e moda. Não percebo representatividade da maioria da população brasileira que é negra, com cabelo crespo ou cacheado, se veste basicamente e está acima do peso, ou pelo menos não é escrava da magreza doentia a que somos submetidas diariamente.

Em geral quando há uma atriz negra se destacando em alguma novela de sucesso, tende- se a vê-la também em capas de revistas de moda, comportamento, etc. Mas nesse caso não tenho visto isso acontecer. Me refiro à Maria da Penha, uma das "Empreguetes" vivida por Tais Araújo. A minha preferida, diga-se de passagem e uma atriz ótima que já quebrou  diversos tabus na TV brasileira, interpretando Chica da Silva, na falida Manchete, quando tinha apenas dezessete anos e mostrando uma nudez que hoje não é mais possível para essa faixa etária, fazendo a primeira protagonista negra em três ocasiões: A primeira como eu já falei, em Chica da Silva, depois a primeira protagonista negra da Globo em um horário "das sete" e em seguida a primeira protagonista negra do horário nobre.

Será que uma história de vida e de carreira dessa,ela  não merece os destaques das revistas? E fora que ela é linda. Tem um belo corpo e está dentro dos padrões de magreza. Então por que a relutância? Será que sou eu que estou mal informada? Não. Venho intencionalmente fazendo pesquisas de capas de revistas diversas e não tenho visto com frequência. A frequência ideal não acontece, parece que só há capas assim em poucos momentos para preencher certa cota.

Ainda há pouca representatividade.
Falo de Taís por causa do sucesso das "empreguetes", mas temos muitas outras mulheres negras que merecem ter certo destaque nas revistas, por sua beleza e encanto genuinamente brasileiros. Elas possuem talento e histórias para contar e não são requisitadas para impor nenhum tipo de comportamento, por é que isso que as revistas, principalmente as femininas fazem.

Temos muitas outras: como Ildi Silva que além de negra é baiana e linda e está fazendo Gabriela, Juliana Alves, ex BBB que faz a própria novela Cheias de Charme, Camila Pitanga, Adriana Lessa, Thalma de Freitas, Sheron Menezes, Raquel Fuina, Aparecida pretowsky, Cris Vianna, Lucy Ramos, etc.


Todas essas belas e jovens atrizes poderiam estar em capas de revistas. Se não conhecer alguma, pesquise e verá que todas elas já se destacaram no Brasil em boas novelas. Mas não obtiveram o reconhecimento proporcional a sua obra e continuam sem representatividade nas capas de revistas de uma país essencialmente negro e miscigenado.


Só para lembrar: Assino a Revista Gloss há quase dois anos e nunca nesse tempo a capa foi com uma mulher negra!


Rafaela Valverde

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Brechós On-line

Hoje dei uma de garimpar brechós, já que estou querendo fazer uma revolução e uma reformulação no meu gurda-roupa e que lugar melhor para encontrar roupas estilosas, diferentes e vintages que não um brechó. Um bom brechó, tá? Não me venha com aquelas feiras e bazares de coisas horríveis, não. Tem que ser uma coisa de qualidade. Achei uns brechós físicos de Salvador, em bairros diferentes e encontrei uns on-line também. Devo dizer que as magrinhas de manequim no máximo até 42, são as mais beneficiadas, pois está difícil achar para 44/ 46 como eu.

A relação de alguns dos que encontrei:

Enjoei (E tô vendendo)
Quase novo
Adoro brechó
On-line brechó
Busca brechó

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Óculos Geeks

Sabem o que eu descobri e me apaixonei? Os óculos geeks. São aqueles óculos grandes com armações grandes e com personalidade. Estou cansada dessa mesmice e estava querendo inovar de verdade, mas é preciso ter muito estilo para usar um desses óculos. Mas eles já são super tendência no mundo todo e eu gostei muito do toque de personalidade que ele dá. Vi de vários tipos em minhas pesquisas: aviador, redondos, com cores e estampas, e etc., e preciso de opiniões. Personalidade para usá- lo eu tenho e o maridão disse que curte, mas não sei... Estava na verdade querendo operar a miopia, mas não sei se terei tempo esse ano e talvez essa seja mais uma coisa que eu tenha que adiar.
Sim, mas voltando aos geeks, alguns artistas aderiram como Justin Timberlake, Carolina Dieckman e muitos outros. Estou verdadeiramente apaixonada por eles. Afinal, já que é para usar óculos, que seja pelo menos alguma coisa que agente goste. Penso também que para adquirir óculos como esses, é necessário e obrigatório, ter um outro mais clássico para outros tipos de locais, ou um par de lentes de contato. Penso não serem óculos apropriados para qualquer ambiente. Essa é a minha opinião, viu?
Em minhas pesquisas, verifiquei também que com esses óculos, é melhor que se use roupas mais leves, digamos, minimalistas, mais básicas, por que eles já traduzem muito estilo e personalidade, não é preciso que se exagere nas roupas. Quanto a maquiagem, nós que usamos óculos, não temos nossa trabalhosa maquiagem valorizada, mas acredito que com esse óculos, pelo tamanho de suas lentes, possamos ter nossa maquiagem bem mais valorizada e reparada. Caprichemos, mas sem exageros, ok?
O que acham dessa tendência? Usariam esses óculos? Me contem!

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Um pouco de Adele

Estou aqui assistindo meu DVD de Adele, já falei dele aqui, que foi o presente de natal de Pablo. Bom, fico aqui chorando igual a uma manteiga derretida quando ouço, Don't you remember, ou Someone Like you. Bom quero que eu amo demais essa cantora. Sabe amor a primeira vista que é correspondido? Digo correspondido por que ela merece todo esse meu amor.
Quero falar um pouco sobre a vida dela e sobre o livro que já foi lançado aqui no Brasil, que traz sua biografia. Esse vou comprar logo, quando comprá-lo, apresento- a vocês.
Adele nasceu em 5 de maio de 1988, em Totteham, Londres,  Adele Laurie Blue Adkins, é seu nome completo. É filha de mãe solteira.
Lançou o disco 19, ficando em primeiro lugar nas paradas no Reino Unido, ganhando três discos de platina. Mas o sucesso veio depois do término com seu namorado, transformou a raiva em músicas e lançou o disco 21.
"Bem acima do peso, indo totalmente contra aos padrões de beleza da sociedade atual, Adele tem personalidade e sua confiança vai além dos ponteiros na balança. A jovem cantora disse em uma entrevista: “Eu não tenho tempo para malhar… Eu não quero estar na capa da Playboy ou da Vogue. Eu quero estar na capa da Rolling Stone ou Q. Eu não dito a moda… Eu sou uma cantora! Prefiro pesar uma tonelada e fazer um álbum incrível do que parecer com a Nicole Richie e fazer um álbum de merda. Meu objetivo na vida é nunca ser magra.”"
Está aí um pouco da personalidade dela. É por isso que eu a amo!
E em breve estarei trazendo notícias sobre o livro que vou comprar.
Fui!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

BBB 12 e o machismo em nossa sociedade supostamente moderna e civilizada

É inacreditável que ainda possa haver em pleno 2012, século XXI, comportamentos e atitudes como essas. É inacreditável que possa ainda existir tanto machismo, com comentários podres ditos por bocas de mulheres. E por fim é inacreditável que esse programa BBB ainda exista, na maior TV aberta do Brasil e depois de tantas edições com muitas baixarias! Pois é fica difícil acreditar em tantos absurdos, divulgados na TV aberta e em todas as redes sociais. Hoje eu ouvi um grupo de pessoas com apenas um homem, ou seja quase todas mulheres, conversando sobre esse suposto estupro ou abuso sexual, sei lá... É só posso saber essas notícias através da internet ou dessas pessoas, por que cansei de acompanhar esse programa idiota e desnecessário. Por mim já tinha acabado! Mas voltando as pessoas que estavam falando, um discurso absolutamente machista  e fora de moda. Coisas como: "Ah, quem mandou ela beber?" , "Não sabe beber... aí, ó...", " Deitou com o cara na cama e não queria nada...?" " O cara tava lá, com o "instrumento" dele, e não vai usar?"...
E teve muito mais, mas nem me lembro, sabe? Gente só por que a mulher bebeu dá direito ao cara fazer uma coisa dessa??? Parece o discurso da saia curta, lembram? Temos que acabar com essa mentalidade machista que ainda ronda e paira em nossas cabeças, por que todos nós em algum momento já pensamos assim, ou vamos pensar, está em nosso imaginário já, que mulher que sofre qualquer tipo de abuso sexual e/ou violência causou de alguma forma o ato. Não admito tampouco que esses impropérios saiam da boca de mulheres, supostamente libertas da condição machista patriarcal em que viveram nossas avós. Ou mudamos primeiro nossa cabeça, nossa consciência, o Brasil e o mundo não vão mudar nunca, se é que realmente almejamos alguma mudança.
Era isso que queria falar sobre esse assunto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...