Mostrando postagens com marcador Julia Roberts. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Julia Roberts. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Julia


A minha Julia voltou. Sim, ela havia sumido no início do mês causando em mim uma profunda angústia por não saber como ela havia saído e onde estava. Ela nunca vai para a rua e isso me deixou extremamente preocupada pois ela não saberia - a meu ver - como andar e se comportar na rua. Eu e minha mãe perguntamos a algumas pessoas na rua e no final de semana passado uma vizinha disse que a tinha visto, fomos procurar e nada.

Mas ontem à noite eis que eu estava na pia lavando os pratos e ouvi um miado alto e forte. O miado dela. Sim eu conheço o miado dela e reconheci. Achei que estava muito próximo e levantei a cortina da janelinha da pia e lá estava minha filha branquela pendurada, olhando para mim. Puxei-a e chorando sentada no chão que nem uma idiota.

Minha mãe mandou eu justamente deixar de ser idiota e dar comida a bichinha que está super magrinha. Comeu muito. Uns quatro pratos de ração e peixe. Mas não importa. Eu estou muito feliz com a volta dela, com o retorno do meu "grudinho", do único ser do universo que manda em mim hahaha.

Já comecei as providências para castrá-la o mais rápido possível e as outras duas também. Meus outros dois "grudinhos" que eu tanto amo. É isso. Esse mês de outubro foi uma loucura, está sendo uma loucura. Mas vai passar, já está passando. Minha filha voltou e é o que mais importa.

Julia já está comigo há quase dois anos. Eu salvei ela de atropelamento quando ela ainda era um bebezinho inocente e foi abandonada. Ela era suja, magra e feia. Passei umas três vezes por ela de manhã cedo indo para a faculdade. Uma das vezes ela brincava inocentemente, na outra cochilava e em outra ocasião retirei a praticamente debaixo de um pneu que dava ré. Cheguei em casa e falei que da próxima vez que eu a visse ali correndo perigo eu a levaria para casa. Estava sofrendo, havia poucos meses que havia perdido meu casal de gatinhos envenenados e eu dizia que não queria mais. Mas não podia deixá la ali. Passei mais uma vez, ela ali estava no mesmo local. Peguei rapidamente aquele saquinho de pelos e joguei dentro da mochila. Deixei aberta e fui falando com ela até chegar em casa. E assim começou nosso amor.

Julia chegou em minha vida em um momento difícil. Eu estava me separando e fui morar sozinha. Fomos só nós duas durante vários meses, eu acompanhei seu crescimento enquanto fiquei sem trabalhar no início do ano passado. Seu nome é em homenagem a minha diva Julia Roberts. Enfim, eu me derreto por Julia. E ela simplesmente voltou!


Rafaela Valverde

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Filme Álbum de Família

Imagem da internet
O drama Álbum de Família foi lançado em 2013, o diretor é John Wells e o elenco conta com nomes como Meryl Streep, Julia Roberts e Ewan McGregor. Vale destacar que Meryl está sensacional nesse filme que conta a história de três irmãs: Barbara (Julia Roberts), Ivy (Julianne Nicholson) e Karen (Juliette Lewis) que são obrigadas a juntas cuidar da mãe doente e tratar do enterro do pai.

Após estarem muito tempo separadas, elas se reúnem no interior, na casa dos pais. A mãe, Meryl tem câncer de boca e é viciada em medicamentos. As filhas têm suas próprias vidas e de repente essas vidas se convergem e passam a haver conflitos e outros são desenterrados. Segredos revelados e "barracos" típicos de família estão presentes.

Bem, o filme é típico de um drama: paradão. Não acontece muitas coisas e é um filme de "cotidiano". E na boa, eu achei ele meio chato e sem sentido, principalmente no final, que eu não vou contar é claro. Mas a minha Julia dá um show como sempre e ela junto com Streep segura o filme, com aquele charme já conhecido. Toda linda. Enfim, é um filme razoável.


Rafaela Valverde


quinta-feira, 9 de junho de 2016

Filme Jogo do Dinheiro

Imagem da internet
Fui na segunda feira assistir Jogo do Dinheiro no cinema. Um filme com meus queridos George Clooney e Julia Roberts, minha diva amada. Lançou em 26 de maio desse ano, ou seja no final do mês passado e é um suspense americano. Mas é um suspense bem engraçado diga se de passagem. Eu e a sala de cinema inteira rimos. A direção é de Jodie Foster, atriz já conhecida das telonas.

Lee Gates (Clooney) vive um apresentador de TV que tem opiniões repeitadas sobre Wall Street. O seu programa de nome homônimo ao nome do filme é um programa financeiro, mas com certa dose de humor. Porém após uma previsão econômica equivocada, uma empresa tem grande perda de ações e os investidores amargam um grande prejuízo.

Daí um homem armado invade o programa de Lee e o mantém refém ao vivo junto com a sua equipe técnica, inclusive a diretora Patty Fenn (Roberts). Ao longo do tempo a tensão vai aumentando e eles junto com a polícia e os responsáveis pelo prejuízo precisam encontrar uma forma de salvarem a própria pele. O que segue são sucessivas cenas de ação, regadas por piadas e suspense. Pois o grande mistério de onde foi parar o  dinheiro dos investimentos precisa ser desvendado. É um bom filme e tem minha amanda Julia. Recomendo.


Rafaela Valverde


segunda-feira, 6 de junho de 2016

Filme Olhos da Justiça

Imagem da internet
O filme Os olhos da Justiça é uma versão americana do filme argentino  O segredo dos seus olhos que eu já havia assistido há um tempinho. Claro que eu sabia disso, não sei como, mas sabia. Acho que devo ter lido em algum lugar, óbvio. Mas o principal é que tem Julia Roberts no elenco. Dessa vez ela é a mãe da vítima e é policial. Ela encontra o corpo da filha e daí começa a corrida pelo assassino.

O filme é de 2015 e conta ainda com os atores  Nicole Kidman, Dean Norris. Eu gostei mais da versão americana, confesso, apesar de a versão argentina ser excelente. Mas as mudanças que foram feitas na versão mais recente ajudou a dar mais coerência ao filme. Na minha opinião.

Pois bem, o filme é forte, é denso. É um filme para quem está acostumado com ideias fortes, que fazem pensar. Não é apenas um simples entretenimento, é um filme de fruição. Só para deixar claro é a minha opinião. Ele fala sobre justiça, vingança, etc.

Não sei como foi a aceitação da crítica com esse filme, mas não me importa muito a opinião da crítica, eu gostei muito e para quem gosta recomendo.



Rafaela Valverde

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Livro - Comer, rezar, amar

O segundo livro do ano, Comer, rezar, amar da jornalista americana Elizabeth Gilbert. Uma história real de uma mulher que não sabia da sua força e queria terminar seu casamento pelo simples fato de não querer estar mais casada.

Ela ouve a voz de Deus que nada mais é que a sua própria voz e sabe que precisa de uma comunhão maior com o ser superior que estava dentro dela mesma.

Após a sofrida saga do divórcio Lis decide viajar para os três países I. Itália,  Índia e Indonésia. Unindo o trabalho e a paixão pelo italiano junto com a necessidade de devoção,  Liz parte para Roma onde começa a aprender a língua que mais gosta e decide que vai comer e a aproveitar muito a culinária italiana.

Em Roma Liz deixa os antidepressivos de lado, faz muitas amizades e se diverte enquanto aprende o idioma. A escrita dela é ótima e a leitura flui.

Depois disso ela vai para a Índia e fica num ashran que é como se fosse um mosteiro,aprende a meditar, a ficar mais em silêncio e a ouvir sua voz interior.

Ela passa quatro meses em total devoção e vida regrada onde limpar o chão é tarefa para todos. Nessa parte do livro aprendi a respeitar minha individualidade, o meu eu por que se Deus quisesse que eu fosse de outro jeito,assim ele teria me criado. Aprendi ainda uma coisa chamada seleção de pensamentos, pra só atrair pensamentos positivos.

Em Bali, Indonésia o livro fica mais divertido,  engraçado mesmo.  Pelo menos eu ri bastante com a narrativa. Em companhia de um xamã e de  vários outros amigos indonésios, Elizabeth andou de bicicleta durante todo o tempo em que lá esteve.  Expurgou todo o sofrimento e depressão e concluiu seu processo de auto conhecimento e auto ccura. E ainda teve tempo para se apaixonar e amar, amar muito.  Super recomendo o livro.


Rafaela Valverde


domingo, 9 de setembro de 2012

O fim de semana

Esse final de semana foi um tanto agitado, em relação aos que tenho tido ultimamente. Tenho ficado muito em casa, mas esse foi um tanto atípico. Na sexta-feira feriado de sete de setembro eu fui ver meu afilhado Davi e acabei encontrando uma festa lá. Bebi um pouco, me diverti, conversei e é claro corujei meu afilhado lindo.

Ontem fui tomar um sol no clube com minha família e hoje passei o dia assistindo filmes. Ao todo assisti cinco filmes só hoje. Três repetidos e até bem manjados já como Juno, Erin Brocovitch, e As Patricinhas de Bervely Hils e dois que eu nunca havia assistido: O casamento dos meus sonhos e Separados pelo casamento. Fora os pedacinhos que ia assistindo enquanto esperava o outro começar, enfim. Há algum tempo eu não tinha um final de semana tão bom, espero que a semana caminhe no mesmo passo e que venham finalmente coisas boas.

Ah não posso me esquecer que estou com uma cólica horrível desde a hora que eu acordei e que isso atrapalhou um pouco meu sossego hoje. Mas fora isso está tudo na paz.

Estou já com uma razoável carga de leitura e não estou tendo tempo o suficiente para escrever, mas essa paixão aqui não largo por nada.

sábado, 11 de agosto de 2012

Um lugar chamado Notting Hill

Foto: Reprodução
Acabei de assistir novamente Um lugar chamado Notting Hill com a minha musa Julia Roberts. Eu nunca tinha assistido ele de verdade, apenas na Globo, onde vamos combinar não existe essa possibilidade. A globo edita e dubla muito mal os filmes. Já desisti de ver filme na Globo. Hoje vi no Warner e quero ressaltar mais uma vez o quanto amo a TV a cabo, que me livra das atrocidades televisivas do final de semana na TV aberta.

Bom, o fato é que eu amo esse filme e sempre me emociono. Independente do gênero, eu gosto é da história, das emoções, da arte cinematográfica. O filme é bem feito e muito bonito, para quem gosta de boas histórias, de refletir sobre a vida, etc. O fato de ter Julia minha ídola maior só melhora o filme.

A atuação do casal protagonista é maravilhosa e a história é uma comédia romântica leve, simples e apaixonante sem ser piegas ou exagerada. É um filme sem clichês de papéis femininos e masculinos, pois ela mente para ele e vacila duas vezes e não ele. E ele vai atrás dela e de novo e de novo, até o momento que ela vai atrás dele e ele dá o fora. Cena perfeita, quando ela diz que é apenas uma garota na frente de um homem pedindo para ser amada.

                                        

Uma outra cena fantástica é a cena da passagem de tempo em que ele vai andando no tempo seco, depois na chuva, depois na neve e depois no tempo seco de novo. Essa cena se incia com uma mulher grávida e no final mostra a mesma mulher, já com o bebê no colo. Fantástica. Não o vejo como uma comédia romântica e nem como um romance apenas, é uma história de fantasia (pois uma atriz de Hollywood se apaixona por um simples inglês divorciado) mas que nos remete a sentimentos mais íntimos e intensos. E a música? O que dizer sobre a perfeição da música, com aquele "She" que insiste em não sair de nossas cabeças. Mais uma vez chorei. Manteiguices à parte recomendo o filme.




quarta-feira, 18 de abril de 2012

Filme Espelho, espelho meu

Ontem eu fui ver o filme Espelho, espelho meu, com Julia Roberts. É uma comédia leve e discreta, um filme razoável. Julia é a madrasta da Branca de Neve, possui um álter ego dentro do espelho que é mais sensata que ela. Foi a primeira vez que fui vê- la no cinema. E sou suspeita para falar mas ela está ótima nesse filme, com vários olhares sarcásticos ao longo da trama, e a mesma graça de sempre. Leve, única e linda. Essa é Julia Roberts, que está mais uma vez mostrando que não foi só a linda mulher do cinema, mas continua mostrando que realmente é uma ótima atriz. A atriz que faz a Branca de Neve, Lily Collins também é bem bonita. Com uma beleza, eu diria  brasileira, apesar da pele tão branca, mas com um cabelo bem escuro e sobrancelhas grossas. O príncipe, ai ai o príncipe é uma coisa. O ator é  Armie Hammer, eu não conhecia ele , mas ele é muito lindo! Gostei muito do filme. Os sete anões são ótimos e o filme apesar da história já é tão conhecida nossa, então não teve muitas surpresas além da história original, porém várias coisas engraçadas me chamaram atenção como o fato de os anões serem ladrões e andarem em cima de umas pernas gigantes para intimidar as vítimas. Outra coisa engraçada foi o feitiço que a madrasta má jogou no belo príncipe, fazia ele amá-la, mas era um amor de cachorro que venera sua dona, lambe, brinca com galho e se joga em cima das pessoas. O filme é bem lúdico com uma boa fotografia e ótimos cenários. E além disso foge de vários estereótipos, pois o príncipe aparece de roupas de baixo em algumas cenas do filme e Julia com a sua madrasta má vaidosa e gananciosa, claramente dá em cima dele e o elogia. Outra quebra de estereótipos foi em relação ao papel da mocinha, da princesa. Pois ela é quem beija o príncipe para liberá- lo do feitiço, até senta no colo dele antes do beijo. Coisa que não é muito comum em filmes do gênero.Ah já ia esquecendo que a Branca de Neve é bastante esperta, já que até recusa uma maçã da bruxa.Eu indico o filme.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Filmes A rainha e Erin Brocovitch

Ontem assisti o filme A rainha de 2006. Achei o filme sensacional. A atuação da atriz principal ótima. O filme traz os bastidores da morte da princesa Daiana e a comoção pública da época. Ela era muito amada, apesar dos escândalos, do amante, do divórcio, etc. Mas eu gostei muito do filme, assistindo ele dá para entender um pouco da cultura britânica e a sua relação com a família real. O que aprendi também, foi que Toni Blair o ex primeiro ministro, assumiu dias antes de a princesa morrer. Pelo menos foi o que o filme mostrou. A presença dele naquele momento foi super importante para as atitudes da rainha ao se despedir de Daiana. A caracterização boa e quem gosta de conhecimento, cultura vai gostar desse filme. Eu indico.
Agora estou assistindo Erin Brochovitch, o filme que deu o Oscar a minha amada Júlia Roberts. Na verdade já tinha assistido há alguns anos na Globo, mas vocÊs sabem muito bem o que acho sobre as edições fílmicas da globo. Um lixo! Então estou tendo o prazer de ver minha amada em mais um brilhante filme, baseado em fatos reais. Como sempre, atuação maravilhosa, digna de Julia. Amo filmes e a cada dia que passa e a cada canal da Tv por assinatura, eu percebo o quanto de filmes ainda tenho que assistir. Sabe acho filmes, muito impostantes na cultura e arte de uma sociedade. Eles traduzem o momento de uma sociedade, os anseios, necessidades e modismos daquele momento. Portanto entendo que se queremos nos enriquecer culturalmente, artisticamente e socialmente, temos sim também que assistir filmes, mas filmes de qualidade, com histórias, com conteúdo , com ideias ricas e brilhantes e enfim, com boas atuações de atores fantásticos.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Julia Roberts

Não escondo de ninguém que sou fã mais que absoluta da atriz Julia Roberts, e que ela junto com Jennifer Lopez e Adele, é minha diva e musa. Até o nome da filha que vou ter um dia, vai ser Júlia. Por isso quero
 compartilhar com vocês o que descobri sobre ela no Wikipédia:

Julia Fiona Roberts (Smyrna28 de outubro de 1967) é uma atriz dos Estados Unidos. Vencedora do Oscar, é conhecida principalmente por sua atuação em Pretty Woman.
O pai de Julia vendia aspiradores de pó de porta em porta e sua mãe era secretária de paróquia. Julia cresceu vendo seus pais envolvidos também em atividades teatrais. Gente de teatro frequentava sua casa.
Quando tinha apenas quatro anos, seus pais se separaram e aos nove perdeu o pai vítima de câncer.
É irmã do ator Eric Roberts.
Seu sonho era ser veterinária, mas aos 17 anos, optou por tentar a carreira artística e se mudou para Nova Iorque. Trabalhou em uma loja de sapatos e uma sorveteria, antes de se tornar modelo da agência de modelo Click. Tudo o que ganhava era para pagar os cursos de interpretação, mas não chegou a completar nenhum.
Após atuar em alguns seriados, conseguiu o seu primeiro papel no filme, Blood red (Sangue da Terra- 1980) pois o ator Eric Roberts, seu irmão mais velho, convenceu o diretor do filme a inclui-la no elenco. Julia e o irmão não se relacionam bem, pois Eric a acusa de ser mal agradecida, por nunca haver reconhecido a sua colaboração no início de sua carreira.
Julia terminou seu noivado com o também ator Kiefer Sutherland na década de noventa, o que baixou sua auto-estima e o seu apego ao trabalho por um longo período.
Indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por Steel Magnolias, foi da cerimônia direto para os estudios de Pretty Woman. Depois deste filme, ao lado de Richard Gere, ganhou enorme destaque e mais uma indicação ao Oscar, agora como atriz principal.
A partir daí, ficou conhecida como a rainha das comédias românticas, embora tenha demonstrado talento também em papéis dramáticos.
Em 2001, com Erin Brockovich, foi premiada com o Oscar de melhor atriz. Ainda em 2001, durante o filme A Mexicana Julia conheceu o cameramanDanny Moder com quem viria a se casar, em 2002, após um escândalo que ocupou durante um bom tempo a imprensa sensacionalista, pois Julia era namorada do ator Benjamin Bratt e Danny era casado.
Em 2004, Julia anunciou que estava grávida de gêmeos e deu à luz Hazel Patricia e Phinnaeus Walter, no dia 28 de novembro do mesmo ano. Por causa dos filhos, Julia disse que iria abandonar a carreira. Não cumpriu a promessa, pois estreou na Broadway em 2006 com a peça Three Days Rain. Esta foi sua primeira atuação no grande palco de Nova Iorque, e seu trabalho foi bem recebido pelos críticos. Além disso, Julia trabalhou em uma nova produção, o filme Charlie Wilson's War, onde atua com Tom Hanks, que estreiou no ano de 2007. No dia 18 de junho de 2007, Julia deu à luz seu terceiro filho, Henry Daniel Moder. Irmã do diretor e famoso ator Eric Roberts e tia da atriz e cantora teen Emma Roberts. Também é embaixadora da marca de cosméticos Lancôme.


Ainda tem mais coisas lá como filmografia e os prêmios que ela recebeu, para quem se interessar.


sábado, 17 de dezembro de 2011

Filmes: A troca, Comer, rezar e amar, e Número 23

Gostaria hoje de comentar sobre três filmes que assisti nesses últimos dias. O primeiro foi A troca com Angelina Jolie no papel principal. É uma história baseada em fatos reais, em que o filho da personagem de Angelina some misteriosamente e é aí que começa a batalha dela para recuperar esse filho. Ela desafia a polícia e vai até para um sanatório. A história é fantástica e surpreendente. O filme é bem feito e a interpretação de Angelina é brilhante.
O segundo filme que assisti esse mês, foi Comer, Rezar e Amar, com a minha amada Júlia Roberts. Depois que vi esse filme, me apaixonei ainda mais pela Itália. A fotografia do filme é linda, ele é bem feito e é claro a minha amada Júlia está nele. Teve um detalhezinho que não gostei no filme. Coisas da pessoa muito crítica que sou. 
Não sei se vocês sabem, mas tem um personagem no filme, que é brasileiro. É Javier Bardem, que no filme faz par romântico com Julia. Pois bem nas cenas em que ele aparece tocam músicas brasileiras, só que parece que só existe Bossa Nova no Brasil, Bebel Gilberto, e Cia limitada. Que porre! Tantas representações musicais no Brasil, tanta diversidade no nosso país e no filme só se ouve bossa nova. Não gosto, acho muito chato. E acho que se só fosse para pôr Bossa nova, era melhor não pôr nenhuma música brasileira. Afinal temos muitos estilos musicais bons em nosso país. É a minha opinião! Mas em linhas gerais, o filme é muito bom, até por que, tudo que Julia faz é muito bom.
O terceiro e último foi Número 23, com Jim Carrey. Ele já é mais antigo, só que eu nunca tinha assistido. Me chamou atenção por que eu nasci no dia 23 e também por que nunca vi Jim Carrey fazendo outro tipo de filme, a não ser de comédia. Gostei muito. Suspense bem feito e como sempre a a atuação dele muito boa. Gostaria de recomendar esses três filmes, para uma boa tarde ou noite de entretenimento barato e sem sair de casa. Podem ir até a locadora.É ainda sou adepta dela, pois nãos gosto dessa história de bauxar filmes on line.
É isso...



domingo, 11 de dezembro de 2011

Filmografia de minha "ídola" Julia Roberts


Todos os links já estão disponíveis no blog

2008 - Um segredo entre nós (Fireflies in the garden)
2007 - Jogos do poder (Charlie Wilson's war)
2006 - Lucas, um intruso no formigueiro (Ant Bully) (voz)
2006 - A menina e o porquinho (Charlotte's web) (voz)
2004 - Doze homens e outro segredo (Ocean's twelve)
2004 - Closer - Perto demais (Closer)
2003 - O sorriso de Mona Lisa (Mona Lisa smile)
2002 - Full frontal (Full frontal)
2002 - Confissões de uma mente perigosa (Confessions of a dangerous mind)
2001 - Onze homens e um segredo (Ocean's eleven)
2001 - A mexicana (Mexican, The)
2001 - Os queridinhos da América (America's Sweethearts)
2000 - Erin Brockovich, uma mulher de talento (Erin Brockovich)
1999 - Noiva em fuga (Runaway bride)
1999 - Um lugar chamado Notting Hill (Notting Hill)
1998 - Lado a lado (Stepmom)
1997 - O casamento do meu melhor amigo (My best friend's wedding)
1997 - Teoria da conspiração (Conspiracy Theory)
1996 - Todos dizem eu te amo (Everyone says I love you)
1996 - Michael Collins - O preço da liberdade (Michael Collins)
1996 - O segredo de Mary Reilly (Mary Reilly)
1995 - O poder do amor (Something to talk about)
1994 - Adoro problemas (I love trouble)
1994 - Prêt-à-porter (Prêt-à-porter)
1993 - O dossiê pelicano (Pelican brief, The)
1992 - O jogador (Player, The)
1991 - Hook - A volta do Capitão Gancho (Hook)
1991 - Tudo por amor (Dying young)
1991 - Dormindo com o inimigo (Sleeping with the enemy)
1990 - Linha mortal (Flatliners)
1990 - Uma linda mulher (Pretty woman)
1989 - Flores de aço (Steel Magnolias)
1988 - Satisfaction - No Amor e no Rock (Satisfaction)
1988 - A paixão da sua vida (Baja Oklahoma) (TV)
1988 - Sangue da terra (Blood red)
1988 - Três mulheres, três amores (Mystic pizza)
1987 - Firehouse
1986 - Crime story (TV)


Fonte:http://baixafilmesdegraca.blogspot.com/2009/06/julia-roberts-filmografia.html

domingo, 27 de novembro de 2011

Filmes do final de semana

Gostaria de compartilhar com vocês, os filmes que assisti nesse final de semana. O primeiro foi  Cilada.com, uma comédia brasileira. Muito boa por sinal, para quem quiser rir, é uma ótima pedida. Estamos aprendendo a fazer filmes, e principalmente a fazer comédias bem feitas. O segundo é Escola da Vida, de 2005 com Ryan Reynolds. Vocês sabem que eu gosto de filmes sobre escola, educação, professor, etc. Por que será não é? Achei o filme bom e com uma história bem interessante e que pode nos fazer pensar nossa prática no trabalho, seja ela a prática docente, ou não. Será que sabemos inovar em nossa vida? Profissional ou profissional? O terceiro e último filme é A mexicana com a minha Ídola, ídala, sei lá.... Júlia Roberts e também com Brad Pitt,que homem! Ele é de 2001, meio antiguinho, mas sempre quando eu ia na locadora, eu queria ele. Por causa de Júlia Roberts e também por que o título me chamou atenção.
                                                            Filme A mexicana

                                                                      Filme Cilada.com

Eu sempre assisto filmes, gosto muito e depois que casei, fiquei mais viciada ainda, por que meu marido é assim. Acredito que só podemos ter repertório em nossas vidas, se  lemos, vemos filme e entramos em contato profundo com vários tipos de culturas e artes. A música mesmo é a base de uma vida alegre e harmoniosa, não vivo sem música. Essas artes fazem parte de nossas vidas. E vocês, o que acham de filmes, livros, etc? Gostam?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...