Mostrando postagens com marcador Foto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Foto. Mostrar todas as postagens

domingo, 27 de dezembro de 2015

Mais respeito ao que fomos um dia!

Imagem da internet 
Eu não mereço isso. Eu não merecia e você sabe disso. Você diz que é suficiente para você e que não precisa de mais ninguém para ser feliz. Eu concordo, nossa felicidade costuma estar em nós mesmos e não em outros seres humanos ou não humanos. Isso é correto realmente. Porém me respeite e respeite tudo o que vivemos, pois em algum momento e durante vários anos você precisou de mim para aumentar a sua felicidade e eu te fiz muito bem, me dedicando a você e satisfazendo as suas vontades.

Mas você diz que só você é quem fez as minhas. Você diz que só você abdicou de sei lá o que por mim. Só você quem me idolatrou e foi caminho de minha felicidade. Foi sim. E continuaria sendo. Mas eu também fui importante para você  durante um tempo, você não imaginava sua felicidade sem mim. Tanto foi que eu respeito muito e tenho saudade da nossa história e não saio desrespeitando ela por aí, postando fotos e frases idiotas dizendo que está mais feliz sozinho, que você se basta, etc. Nunca fiz e nem farei uma postagem dessa. Deixe de ser babaca e escroto!

A nossa autonomia pode ser conquistada a gente estando só, ou a gente estando acompanhado. Isso depende da nossa força de vontade e depende do tanto de amor que a gente tenha pelo outro e por nós mesmos. Sei que o que você quer nesse momento é provar para você mesmo sua autonomia, é mostrar para você mesmo que você pode ser feliz sem ninguém e sem mim. Mas pelo amor de Deus, me respeite e respeite nossa história que foi tão linda.

Ontem vi no Facebook uma postagem da nossa psicanalista preferida Regina Navarro Lins, onde ela dizia o seguinte: "A busca de autonomia não significa incapacidade de permanecer numa relação a 2, mas sim a recusa de pagar qualquer preço por ela." Você pode ter visto essa frase e até pode ter compartilhado ela, mas eu não sei por que você me tirou a sua vida a ponto de eu não ter acesso ao seu Facebook.

Pois bem, eu concordo, a busca da autonomia não significa não ser capaz de estar a dois. Ao contrário, isso é plenamente possível, estando a dois, ou a três, ou com uma família inteira. Entendo que você ache que estava pagando um preço demais por estar a dois e não mais querer fazer isso. Mas eu acho que os preços de estamos numa relação nós já pagamos e agora seria o momento de calmaria e só você não entende isso. Agora seria o momento sem dificuldades financeiras, sem brigas pelo lençol ou pela sujeira no banheiro, sem brigas por você sabe qual motivo. Agora seria o momento de desenvolver a autonomia, mesmo estando juntos. Eu indo às minhas festas e você aos seus jogos, para depois sairmos juntos e nos curtir. Curtir nosso amor.

Mas enfim, você não quer, você não me tem mais amor. O que eu posso fazer? Apesar de não me convencer disso, pois você só me disse por telefone e seu olhar disse outras coisas. Mas eu vou fingir que acredito e vou pedir que me respeite e respeite o que a gente viveu durante todos esse anos! Só vou te pedir duas coisas: primeiro, tome muito cuidado para não me deixar com raiva e não me perder, não me deixe ter mágoa de você de novo. Cultive, pois um dia esse sofrimento pode ser seu, você pode vir atrás e eu te chutar. Segundo: não me humilhe e humilhe a minha família (elas não gostaram de sua linda postagem na praia, afirmando que só precisa de si mesmo para ser feliz) e pare de ficar postando coisas tão "cara esperto sem sofrimento" por que o que eu posto sobre mim é sobre meu sorriso, o meu amor a mim mesma e sobre o amor e a saudade que eu sinto por você. E sentirei eternamente. E já que eu tenho que aguentar a indiferença, a distância, a dor, o término, a solidão, a saudade e a falta de amor, pelo menos me respeite, respeite nossa história, respeite meus sentimentos. é só o que eu peço.


Rafaela Valverde




sábado, 5 de setembro de 2015

Os cem anos da Avenida Sete de Setembro - Exposição Caixa Cultural - Parte II

Início do grande comércio que vemos hoje no local
Olha que acontecimento em Salvador!!!
O anúncio da inauguração foi tão bombástico que não coube no papel

O carnaval sai da rua Chile e da Baixa dos Sapateiros e vai para a nova avenida




Como já disse fui hoje, ou ontem sei lá, à Caixa Cultural para a exposição em homenagem aos cem anos da Avenida Sete de Setembro. No ano de 1915 a Avenida foi inaugurada e sem esquecer da ligação com a Barra, se tornou um marco e uma importante avenida na cidade. Em seguida, o carnaval foi levado para lá e aos poucos o comércio de rua foi se estabelecendo.





Rafaela Valverde










Os cem anos da Avenida Sete de Setembro - Exposição Caixa Cultural

Hoje eu tive uma tarde ótima. Eu fui conhecer a Exposição dos 100 anos da Avenida Sete de Setembro aqui no centro de Salvador. A exposição está na Caixa Cultural na Rua Carlos Gomes e a avenida completa na segunda feira dia 07/09, exatos cem anos. 

Foto: Rafaela Valverde (Únicos registros fotográficos da inauguração)

Então, o governador da época JJ Seabra foi criticado, inclusive pelo Jornal A Tarde pela suntuosa avenida que se exibia no Centro de Salvador e que deu ares parisienses à nossa cidade, inaugurou sua avenida que abrigou três residências de governadores. Inclusive um dos prédios onde hoje abriga o Sebrae na Carlos Gomes,
Desenho da Praça Castro Alves onde hoje é o monumento do poeta

Esse desenho me impressionou bastante por que descobri que havia um chafariz, onde hoje é a estátua do poeta.


A rua Carlos Gomes deveria ser a Avenida Dois de Julho para homenagear as duas datas

Daí já é possível visualizar um pouco do que a região é hoje com o edifício Sulacap, hoje prédio comercial, no passado era um hotel.

E olha ele aí de novo, o Sulacap em três momentos diferentes



Rafaela Valverde
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...