sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Hidratação de leite de coco + Yamasterol e azeite de oliva

Ontem fiz uma hidratação um pouco louca no meu cabelo. Mas que acabou dando certo. Pelo menos eu gostei do resultado. Então, a minha mãe fez um leite de coco natural para um cuscuz. Ela bateu o coco no liquidificador e pôs açúcar, o que eu descobri que pode ser bom para o cabelo. Hahaha

Então, esse leite ficou na geladeira e no dia seguinte eu o peguei, juntei com Yamasterol amarelo (o divo, sempre!) e uma colher aproximadamente de azeite de oliva extra virgem. Misturei bem com a espátula e apliquei no cabelo, após lavar. Fica com uma consistência rala e no início nem levei muita fé. Mas quando enxaguei senti a maciez e hidratação.  

Fiquei cerca de 30 minutos com a mistura na cabeça, enrolada em um saco plástico. Eu gostei bastante do resultado e até já tinha feito a hidratação com o leite de coco de garrafa, mas não com Yamasterol, que acredito eu potencializou a hidratação.

Finalizei com o creme de pentear da Salon Line que também já fiz resenha aqui. E só procurar na lista 'Cabelo'. E meu cabelo está com um day after excelente. Cachos definidos, mas com pouco volume, o que eu vou tratar de resolver já, já. Por que eu amo volume. Para intensificar ou criar volume eu amasso bastante os cachos, das pontas à raiz e enfio os dedos  como se fossem um pente na raiz e vou puxando para cima. Isso parece mágica  aumenta bastante o volume. Bem, é isso.

Os resultados são esses:
Cachos definidos


Rafaela Valverde



quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Álbum Como Diria Blavatsky - Jorge Vercillo

Imagem da Internet
Hoje eu quero falar sobre música, mais especificamente sobre o disco Como Diria Blavatsky de Jorge Vercillo que é o meu preferido dele e que sempre, mas sempre escuto. É um disco pouco conhecido e bastante filosófico, ao meu ver. Ele foi lançado em 2011 e foi o nono CD do cantor. O nome é uma homenagem à escritora russa Helena Blavatsky que viveu no século XIX.

Uma das músicas também leva esse nome. Essa escritora popularizou a teosofia, escola que funde religião, ciência e filosofia, com raiz no Oriente. É um disco bastante diverso, que não têm apenas músicas e sim histórias em forma de música. Verdadeiras narrativas. Eu sou simplesmente apaixonada por esse disco que além de filosófico, é literário. 

É um disco lançado com o próprio selo do cantor, o selo Leve e o primeiro single emplacado foi Sensível demais (linda, eu choro) que já havia sido gravado por Bethânia (!) Christian e Ralf e a cantora Nalanda, que participou do Fama. Essa música inclusive foi tema da novela Chocolate com Pimenta, na Globo. Para mim, o CD é todo maravilhoso. Mas alguns dos destaques para mim são : 'Eu quero a Verdade', 'Rio Delírio' e 'Distante'. Ficou um pouco difícil tirar três canções mais marcantes, por que eu amo ele todo.

Bem é isso. Há tempos que não falo de música e filmes aqui, mas vou recomeçar isso, por que eu também sou cultura (hehehehe!). É isso, recomendo o CD. Peguem na internet, escutem. Não há como se arrepender. Grande artista brasileiro. Grande álbum!


Rafaela Valverde


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Sim, sou eu mesma!

Imagem da internet
Nossa, quantas vezes eu quis sair de mim e não ser mais eu. Quantas vezes eu quis deixar a vida e partir para algum lugar que fosse desconhecido, mas que não fosse a minha própria vida. Quantas vezes eu não fui eu mesma e inventei detalhes de uma vida que eu queria ter, Eu aprendi ser eu mesma com uns quinze anos, com o estouro da música Máscara de Pitty. Sim, acreditem. Na adolescência, a gente é sim muito influenciável por outras pessoas e por objetos culturais, como música. Mesmo que não admitamos.

Então, com quinze anos eu pensei: foda- se essa porra. Serei eu mesma e quem gostar de mim, terá que gostar como eu sou. E não é que as coisas começaram a melhorar? Passei a ter mais amigos e ficava com mais meninos. Se bem que eu era uma das campeãs mundiais do encalhamento. Hahaha. Não pegava quase nada, nem gripe. Mas enfim, voltando à parte séria do meu texto... Eu sei o que as pessoas querem dizer quando afirmam que a gente melhora com o tempo. Pois é isso.

Eu aprendi a não querer ter outra vida e nem fugir da minha vida há muito pouco tempo, nem sei exatamente quando. Mas sei que foi esse ano. Hoje eu sou eu mesma e hoje eu não tenho mais medo e desgosto de viver. Hoje eu sou a autêntica, a sincera, a observadora, a livre, a grossa, a carinhosa. É assim que as pessoas me vêem. Eu me vejo mais ampla, mais complexa. Eu sou única, eu sou eu. Não fujo de nada, não me privo de nada, não faço nada que eu não quero para agradar senhor ninguém, falo tudo o que tenho que falar, faço o que tenho que fazer e assumo meus erros.

Sou humilde e sensata. Sei a hora certa para tudo. Sou como sou. Tenho defeitos também. Posso ser implicante, individualista, grossa sim e teimosa. Entre outros defeitos. Mas sou eu mesma. Sempre serei e nunca mais deixarei de ser. Esse espaço de onze anos me ensinou cada vez mais a ser eu mesma e a gostar de mim. Por que eu gostar é o que importa, os outros gostarem é consequência!



Rafaela Valverde

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Feminismo, empatia e humanidade

Imagem da internet
Sabemos que o machismo existe e que o feminismo é necessário. Sabemos disso por que sofremos com ele todos os dias. E sabemos que todas as mulheres são sim feministas, por mais que neguem. Conhecemos pelo menos uma mulher que já foi assediada em algum momento na vida. No ônibus então, deve ser o recorde mundial. E essas questões só estão sendo discutidas agora. E só por que somos muito lutadoras mesmo e cansamos de nosso corpo estar sempre ao bel prazer dos seres do sexo masculino, que até são seres super gente boa, mas que passam dos limites às vezes.

Nas ruas, nós também somos assediadas. Sim, por que ser olhada com cobiça na rua não é agradável mesmo não. Tem umas doidas, que dizem que gostam e se sentem "privilegiadas" em serem desejadas na rua por desconhecidos. Oi? Como é isso? Quem me elogia, me deseja, me toca é quem eu permito e quem eu gosto que faça isso e só. Homens, as mulheres não estão ao seu dispor, não nascemos para servir vocês.  Não somos pedaços de bife. Nossos corpos são nossos e as ruas não são vitrines para vocês escolherem o melhor e mais suculento bife.

Não permito que me toquem, que me "cantem" na rua e fecho logo minha cara. Não quero nem saber e nunca daria uma chance para um babaca que agisse assim. Com atitudes dessas, acho meio impossível ficar com uma mulher, sabe? Por favor não ajam assim. Isso é machismo. Isso é errado. Isso é achar que pode tudo e que a sua vontade é predominante sobre a vontade da mulher. Uma mulher que apenas está passando na rua. E não me venha com a desculpa da calça apertada ou do short curto, por que os homens agora usam calças coladas e andam o tempo todo sem camisa e nem por isso são assediados nas ruas. Isso é assédio, sim!

Nós mulheres admiramos os homens, nós olhamos, nos comentamos com as amigas. Mas não somos capazes de agir dessa forma na ruas da cidade. Agora imaginem a cena ao contrário. É claro que ainda por cima, seríamos chamadas de vadia, no mínimo. Agora, imaginem várias mulheres sentadas em uma esquina e um super gostoso passando e elas falando coisas obscenas, dizendo que ele é lindo, gostoso e que com certeza pegaria ele? Que coisa constrangedora, não? Se trata apenas de empatia. Apenas de se colocar no lugar do outro. Se trata apenas de respeito e de não machismo. Se trata de igualdade. Se trata de humanidade.



Rafaela Valverde



segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Nossas putarias no WhatsApp

Imagem da internet

Estava sentada conversando com você no WhatsApp quando de repente começou a rolar putaria. Eu simplesmente falei que queria uma massagem no pé e você já "fetichiou" aí e já mandou algo relacionado a língua no pé. E em outros lugares. Você sabe que eu adoro uma língua passeando pelo meu corpo e que o meu pé é um dos meus pontos erógenos mais sensíveis.

Aliás você sabe o suficiente de mim. Do meu corpo e do meu prazer. Mesmo com tão poucos encontros você já presenteia com aquele olhar safado enquanto me chupa. Sim, por que para chupar gostoso tem que olhar de forma safada. O olhar faz parte da coisa toda. Você já sabe o quanto que eu gosto de carinho, você já consegue saber o que eu gosto. E já consegue me excitar apenas falando no WhatsApp. Só com conversas picantes eu já fico doidinha de tesão.

Verifico e estou molhada. Falo para você e você reage com uma foto do seu pau duro, esperando por mim. Ou simplesmente reage com uma frase que me deixa mais louca ainda, como: "Eu quero te chupar..." ou "Você tem uma energia sexual incrível..." Nossa, cara eu fico louca quando você fala isso. Nem sentada eu estou mais. Eu já me deitei e meus dedos estão entre as minhas pernas. Na outra mão, o celular e a coisa toda continua... Você passa a mandar áudios e sua voz me deixa louca. É uma voz dengosa e arrastada, que eu adoro.

Você diz que também está "batendo uma" e assim mais uma madrugada é finalizada. Com nossos gozos a distância, nossos gozos pelo aplicativo de mensagens do celular, nossos gozos sincronizados. Nossos gozos. Nossa noite. Nada supera o que é feito pessoalmente, mas esses momentos são super picantes e gostosos. E só aumenta nossa sintonia sexual. Uma sintonia tão intensa que só uma frase já excita, e  uns poucos momentos já fazem gozar!


Rafaela Valverde
 

Em outubro... tropecei, mas melhorei!

Imagem da internet
Após um final de semana tenso e feminista hehehe (viva ENEM) com prova do ENEM com questão e redação feministas, vem uma nova semana útil. A última semana do mês. Chegará novembro e com ele, a sensação de mais próximo do fim de 2015. Nossa, como esse mês de outubro foi intenso. Saí todos os finais de semana, aprendi mais sobre mim mesma, constatei mudanças em meu comportamento e senti que melhorei algumas coisas ruins que eu fazia e hoje não. Eu não faço mais. Como o quê por exemplo? 

Então... nesse mês de outubro eu consegui perceber alguns comportamentos que eu não repetiria hoje de jeito nenhum, como por exemplo ser controladora, especialmente no que diz respeito a o dia a dia do relacionamento. Nem era no sentido de ciúme, mas das questões do cotidiano mesmo. No meu relacionamento anterior, eu queria mandar até na toalha que meu ex marido tinha que pegar para se enxugar e a hora e o tipo de biscoito que ele tinha que comer. Por exemplo: se era noite, não era hora de comer biscoito recheado. Nossa como isso é irritante e opressor. Não sei até hoje como ele conseguiu suportar tanto tempo. Eu, hoje não suportaria isso. Eu acho que fomos morar juntos muito novos, eu tinha apenas 21 anos e ele 20. Hoje eu faria muita coisa diferente. E nossa como é bom constatar isso. Como é bom reconhecer os erros e saber que mudei e melhorei. Sou muito exigente comigo mesma e quero sempre melhorar. Para isso porém, se faz necessário refletir sobre si mesmo, auto análise e pensar, pensar e pensar...

Nossa como eu sou uma pessoa melhor hoje. Como eu me orgulho de mim mesma, como os meus 26 anos me fizeram bem. Como 2015 foi bom para mim nesse sentido.Então é isso. Refleti muito em outubro, melhorei e curti bastante. Voltei a ter contato com pessoas  que eu não falava há um tempo, conheci pessoas novas. E já comecei a programar a curtição de novembro. É isso ai. Me disseram que a palavra Livre que está tatuada em meu ombro combina comigo e é assim que eu me sinto. Sem controle, sem regras definidas. Nem sobre mim e nem sobre outras pessoas. Meu espírito é livre e não me deixarei mais ser tolhida e não mais tolherei ninguém. É isso aí. Me preparando já para 2016 com novos aprendizados.




Rafaela Valverde 

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Minha Adele voltou!!

A minha diva mais que diva Adele voltou. Sim, depois de três anos ela está de volta com o disco 25, No domingo a noite saiu um trecho de nova música Hello e hoje e já vi o clip. Que é esse aí ó:



Gente, não tem como não se apaixonar por essa mulher. Ela é top e há três anos, desde o lançamento do DVD e disco ao vivo e depois do anúncio da gravidez e nascimento do filho que eu aguardo ela dar um sinal de vida. E finalmente ela deu. E eu estou amando isso. Segundo minhas pesquisas, o cd 25 sai no dia 20/11. E eu estarei aguardando ansiosamente. Como vocês sabem (quem já me acompanha há um tempo sabe) eu sou fã de Adele há uns quatro anos e tenho todos os cds, o DVD, o livro e etc. Enfim, eu estou muito feliz e ansiosa com o novo trabalho da minha Adele, que está maravilhosa e mais magra até. Linda!




Rafaela Valverde

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O charme dos homens de barba

Imagem da internet
Eu descobri que gostava dos barbudos há três anos por causa de algumas coisas, especialmente por causa de Rodrigo Amarante, pessoa que eu considero um charme. Antes era cara raspada, cara de menino que me atraía mais. Bem, como tudo na vida muda há cada minuto eu mudei um pouco minha percepção de homem charmoso e hoje eu curto muito um barbudo.

Aquela barba densa, bem feita e bem cuidada atrai muitas mulheres. Antes não atraía a mim, mas hoje eu me rendi aos encantos desses homens a la Los Hermanos. E por falar nisso, no show tinha muitos homens barbudos e bonitos. Nossa, como tem homem bonito nessa cidade e eu não sabia! Hahaha

Enfim, sei que é ruim raspar a cara várias vezes na semana. Sempre achei isso muito desagradável e se eu fosse homem com certeza teria barba, pois livre como sou, nunca que ia ficar obrigatoriamente raspando a cara, né? Pois bem, pensando nisso, como não gostar de uma boa barba que seja bem cuidada e que emoldure um belo rosto?

Hoje eu acho um homem de barba muito mais atraente, com um rosto mais maduro. Não sei exatamente o que me atrai, é um charme e ao contrário de antes, eu acho super sexy. Mas tem que ser uma barba de verdade, tipo aquelas sem falhas e macias. É bom para pegar e beijar, além de esfregar nosso rosto no rosto de um barbudo ser uma delícia.  



Rafaela Valverde                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                     

terça-feira, 20 de outubro de 2015

20 de outubro dia do poeta - Poema: Para lavar a alma

Gente, hoje dia 20 de outubro é dia do poeta. E um dos poucos poemas que estão em meu caderno que ainda não publiquei aqui é esse. E o resto é de fossa. Não mais publico poemas de fossa. Pronto! Mas para marcar o dia em que me encaixo como poeta ou poetisa, como queiram, eu vou publicar esse poema, que é um poema bestinha:

Imagem da internet





Para lavar a alma

Sabão para lavar as mãos
Sabão para lavar o corpo
E a alma
E há aquele que depois de
Um longo dia nos acalma

Sabão de todos os formatos
Cores, cheios e tamanhos
Lavando atos insanos
Sabão em forma de coração

Sabão para coleção
Sabão para ensaboar o amor
Para afastar o calor
Sabão hidratante

Acaba- se num instante
Instante ensaboado
Numa noite de sábado
Sabão enxaguado
Vai para o ralo
No momento em que o
Nosso amor é lembrado




Rafaela Valverde

Hidratação - nutrição com Casulão e Yamasterol amarelo

Vou falar de uma hidratação que fiz há alguns dias. É uma nutrição na verdade, por que usei o Casulão sem enxágue e ele é um creme de nutrição. Esse aí:
Imagem da internet

Peguei uma quantidade desse creme com uma outra porção do Yamasterol amarelo, que é um crme multifuncional, o creme da vovó. Esse aqui ó:

Imagem da internet
E junto coloquei uma colher de azeite de oliva extra virgem. Misturei bem e apliquei no cabelo, enluvando bem. Deixei um tempo e depois enxaguei. E o resultado foi muito brilho, definição e maciez. Senti uma nutrição mesmo no cabelo e recomendo. Eu sempre fico inventando essas hidratações. E aí conto para vocês.



Rafaela Valverde

domingo, 18 de outubro de 2015

Na academia... me livrei de você!

Imagem da internet
Quando? Quando foi mesmo que você deixou de me querer? Eu penso enquanto malho olhando para o mar, mas mesmo olhando para o mar é impossível encontrar uma resposta. Eu não sei. Eu acho que nunca vou saber. Será que foi meu cabelo? Será que foi minha voz alta e estridente? Será que foi meu jeito "prafrentex"? Será que fui eu?

Claro que sim, claro que fui eu. Eu tenho esse dom maior de afastar tudo e todos. Desperto de meus pensamentos e percebo uma dor lancinante no meu pé esquerdo. Um dos mini pesos da academia caíram no meu pé. Olhei incrédula e praguejei pensando o quanto lembrar de você e da nossa história me deixa aérea e molenga,

Sua retardada. Penso antes de abaixar para pegar o peso, Alguém que está atrás de mim e com certeza assistiu a cena, veio me acudir e me perguntar se estava tudo bem. Nem olhei para essa pessoa. Nem sei se era homem ou mulher. Eu não lembro na verdade, Eu estava fora de mim. Eu só queria ir embora. Peguei minhas coisas e saí. Desci correndo as escadas e ficou nítido que o problema não era comigo e sim com você! Ficou claro também que eu tinha que me livrar dessa sensação de uma forma ou de outra.

O problema não sou eu. Eu sou uma mulher incrível, independente, livre, inteligente, cheia de qualidades e ainda sou linda, onde chego chamo atenção, apesar de ter sardas e ser mais gordinha do que gostaria, mas ainda assim eu sou mais eu e eu estou cansada de ficar sendo molenga por causa de você. Você e ninguém merecem isso de mim. A queda  do peso em meu pé foi decisiva para eu perceber isso. Perceber que eu preciso de mim, mas do que preciso de você, Precisei de uma dor física para tentar esquecer a dor emocional.

Atravessei a rua, pedi um táxi mas ele não parou. Foda-se! Vou voltar correndo. E assim terminei minha malhação: correndo para casa e correndo de você. Livre, ia falando baixinho, livre, livre, livre!




Rafaela Valverde


Feira da Cidade muito boa, mas a Orla de Salvador...

Hoje eu fui com meu amigo Marcus na Feira da Cidade, no Jardim dos Namorados aqui mesmo em Salvador, Quem é de Salvador sabe onde fica. é um lugar bonito cercado pelo mar. E o tempo está ajudando e estamos ganhando de presente lindos dias em nossa cidade. Como minha cidade é linda! Pois bem, o domingo estava lindo e lá fui eu sair mais uma vez com meu queridíssimo amigo, Olhem a parte da Orla onde eu estava hoje está acabada, viu?  

Reformas eternas e inacabadas, sujeira, plantas secas e mortas enfeiando tudo, zero ciclovias, enfim, uma feiura só. Mas a feira estava muito bacana. Logo gastei meu rico e pouco dinheirinho comprando esses itens:
Camiseta: "Em terra de chapinha quem tem cachos é rainha" da Salve Terra e um azulejo muito fofo que já está na minha parede




Enfim, comi, bebi, conheci gente nova e vi o mar! <3 Conversei muito com meu amigo. Rimos e trocamos declarações de amor. Tinha de tudo lá e uma das coisas que mais gostei foram os vinis. Tinha disco custando 125,00. Tinha vinil para tudo que é gosto, esse:


E esse: Hahaha Bethânia!







Gente e ainda tinha uma música muito boa rolando lá com uma DJ:






Gente, incrível. Eu não perco mais! Amei meu dia, Mas detestei o estado da Orla de Salvador,



Rafaela Valverde




quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Não apenas professores, pessoas marcantes!

Imagem da internet
Hoje chega mais um quinze de outubro. Dia dos professores. Dia dos mestres que se dedicam inteiramente a uma profissão tão ingrata e ao mesmo tempo tão gratificante. Pode parecer clichê e condescendente dizer isso, afinal todo mundo fala a mesma coisa. Todo mundo fala da paixão, da vocação, etc. Mas o que ninguém sabe mesmo são os desafios que têm que ser encarados todos os dias.

A profissão de professor é uma das mais importantes, pois dela origina- se todas as outras. Todo mundo tem, teve ou terá professores na vida. É uma profissão desvalorizada ao extremo no Brasil, assim como a educação que anda muito mal das pernas há décadas. Se Paulo Freire, Anísio Teixeira, Darcy Ribeiro, entre outros  não conseguiram conscientizar o país do tesouro que é a educação, imagina quem vai fazer isso nas próximas gerações? Difícil responder não é mesmo?

A origem da data se deve se ao imperador D. Pedro I ter instituído um decreto num 15 de outubro, sobre a criação do ensino elementar no Brasil em 1827. O decreto estabeleceu conteúdos, normas e criação de escolas em todo o país. Em 1947, professores decidiram criar uma confraternização nessa data para os professores e em 1963 a data foi oficializada.

Muita coisa mudou de lá para cá e ao mesmo tempo nada mudou. Quanta incoerência. Até hoje ouvimos falar em péssimos salários, condições e estruturas ínfimas para trabalhar, acúmulo de carga horária e inúmeros outros problemas, que nem dá para citar aqui. E ao mesmo tempo muitos professores conseguem realizar um trabalho tão grandioso na educação e na vida dos seus alunos, que conseguem marcar vidas inteiras. Alguns professores são inesquecíveis!

Em minha vida há vários. Ah, como eu amo alguns professores que passaram em minha vida! Tem o professor Oscar, que foi meu professor da primeira série até hoje lembro dele e tenho contato através do Facebook (!) e ele me emprestava as revistas em quadrinhos que eu tanto amava. Eu lembro! Tem a professora Ivonete do Jardim de infância que me marcou muito; tem a professora Gildair que foi a minha professora da terceira série, nunca esqueci dela. Ela incentivou tanto a minha leitura, mandava a gente ler placas nas ruas, bulas de remédios, etc. Bem, eu segui a risca, leio tudo até hoje.

Teve a professora Maria da Graça do final do ensino fundamental dois que era de inglês e também de português. Brigávamos tanto e depois ela virou meu xodó. Teve Aníger de Português que também foi muito especial, o nome dela é Regina ao contrário e o meu nome é Rafaela Regina, então tínhamos uma ligação muito próxima. Escrevi um livro e dei para ela, imaginem? Teve vários outros professores que me suportavam, Deus. Os do ensino médio, as que me incentivaram a ler mais, mais e mais. Os das universidade e faculdades que eu passei. Todos. Eu honro e agradeço muito a todos os professores que já passaram na minha vida e os que marcaram ela para sempre.

Obrigada por vocês darem tanto pelos outros. Professores são mais que professores são seres especiais. É pena que não dá para citar todos, ou encontrar todos no Facebook e agradecer, agradecer e agradecer por tudo. Mas quem foi meu professor sabe. Eu amo vocês, vocês tem lugar no meu coração.


Uma pequena homenagem, 

Rafaela Valverde

Poema em linha reta - Fernando Pessoa

Imagem da internet

Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.

E eu, tantas vezes reles, tantas vezes porco, tantas vezes vil,
Eu tantas vezes irrespondivelmente parasita,
Indesculpavelmente sujo.
Eu, que tantas vezes não tenho tido paciência para tomar banho,
Eu, que tantas vezes tenho sido ridículo, absurdo,
Que tenho enrolado os pés publicamente nos tapetes das etiquetas,
Que tenho sido grotesco, mesquinho, submisso e arrogante,
Que tenho sofrido enxovalhos e calado,
Que quando não tenho calado, tenho sido mais ridículo ainda;
Eu, que tenho sido cômico às criadas de hotel,
Eu, que tenho sentido o piscar de olhos dos moços de fretes,
Eu, que tenho feito vergonhas financeiras, pedido emprestado
[sem pagar,
Eu, que, quando a hora do soco surgiu, me tenho agachado
Para fora da possibilidade do soco;
Eu, que tenho sofrido a angústia das pequenas coisas ridículas,
Eu verifico que não tenho par nisto tudo neste mundo.

Toda a gente que eu conheço e que fala comigo
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe — todos eles príncipes — na vida…

Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma cobardia!
Não, são todos o Ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos,

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?

Poderão as mulheres não os terem amado,
Podem ter sido traídos — mas ridículos nunca!
E eu, que tenho sido ridículo sem ter sido traído,
Como posso eu falar com os meus superiores sem titubear?
Eu, que venho sido vil, literalmente vil,
Vil no sentido mesquinho e infame da vileza.



Rafaela Valverde

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Queridos, não queremos relacionamentos. Eu não quero!

Imagem da internet
Não sei por que raios os homens sempre pensam que nós mulheres queremos ter relacionamentos e amores românticos típico de estórias de princesas encantadas e tolas. Quem precisam de babás são vocês. Nós há muito conseguimos nossa independência e fazemos nossas vidas sozinhas. Parem e pensem. Nós somos iguais a vocês, em tudo!

Olha, eu até defendo os homens por que eu acredito no ser humano e acredito que todos nós estamos no mesmo barco, e até que são gente boa e tal... mas tá ficando um pouco demais. Vocês sabem que estão perdendo grandes e gostosas fodas por fugirem, né? Vocês têm maturidade emocional suficiente para entenderem que quando a mulher abre a porra da boca pra falar que gosta de vocês. não significa que ela está apaixonada e quer casar?  Têm? Seus manés. Fujam menos, aceitem mais o que temos para oferecer.

O que mulher gosta é de carinho, de presença, pegada, aconchego, constância, sentir o mesmo cheiro, a mesma pele; se identificar naquilo. Não significa querer relacionamentos amorosos, com finais de semana água com açúcar dentro de casa, assistindo filmes brochantes. Não! Deixem de ser burros pelo-amor-de-deus. Quando uma mulher diz na lata que não quer ter relacionamentos, ela não quer. Eu sei disso por que por acaso sou mulher, perceberam? Não? Oi? Sabe...a gente está perdendo a paciência...

Então... vou contar uma pequena coisas para vocês, homens queridos. Pode ser segredo, ninguém fica sabendo: sexo casual não significa necessariamente pessoas diferentes, entendem? Querem que eu soletre? Por que é que a gente tem ficar sempre tendo o trabalho de procurar alguém pra transar só por que vocês são retardados e covardes? Dá trabalho, sabia?

Mais uma coisa: é possível sexo casual várias vezes com a mesma pessoa. Sabiam, seres inteligentes? Não vai deixar de ser casual e sem compromisso, só vai ser mais gostoso por que terá uma certa intimidade. Gostar da companhia do outro, ter bons assuntos pra conversar, deixar surgir uma amizade, tomar porres, comer brigadeiro... é possível, sabiam?  É prazeroso e faz parte do sexo, sabiam? Pois saibam. E saibam que vocês estão cansando a gente de ter que ficar em buscas incansáveis e fazendo muito sexo ruim por que os bonitinhos pensam que a gente quer controlar eles. Oh que fofuras! Os centros das vidas das mulheres! Nos nem temos o que fazer mesmo, né?

Eu fazendo a irônica é ótimo eu sei. No meu caso especifico por exemplo, eu acabei de terminar a porra de um relacionamento de uma forma muito ruim, por que a desgraça do sentimento continua, então pra que diabos eu vou querer começar outras ladainhas? Namoro desde sempre, emendei dois relacionamentos um no outro em minha adolescência e em um deles eu passei nove, sim nove anos! E antes de tudo isso, ainda era totalmente presa pelos meus pais.

Eu não quero e não vou abrir mão da fase em que estou vivendo agora. Fase livre! É ruim, hein! Nem acaba um final de semana e eu já estou planejando o outro, para onde vou, com quem e o que vou fazer. Eu não vou trocar isso, essa delícia de viver solta e poder beijar quem eu quiser, para viver um momento rapidamente romântico e brochante de ter que fazer tudo com uma pessoa só. Ou dividir tudo. Não, no momento não.

Eu só não gostaria e não quero ficar caçando um por semana para preencher o vazio que é essa vida. Por que quem faz isso (eu já fiz) sabe o quanto é vazio. Eu quero companhia, eu quero sintonia, eu quero pegada forte, beijo bom, olho no olho. Mas sem precisar de romance. O romance... bom, o romance fica pra depois. "Sexo antes, amor depois..." como diz a sábia Rita Lee.

 Tenho dito!



Rafaela Valverde

Com os indiferentes eu sou mais indiferente, muito mais!

Imagem da internet
Eu aprendi muito cedo a espantar, exorcizar e a ignorar o que não me faz bem. Eu aprendi desde cedo que precisamos uns dos outros sempre e que tratar as pessoas com o mínimo de respeito é essencial. Se não gosta, pelo menos respeite. Se não quer por perto, fale logo e tá tudo certo! Eu aprendi muitas coisas muito cedo. Mas quem nunca aprendeu pode começar, sabe? Nunca é tarde; fica a dica!

Se antes, sendo eu muito nova eu conseguia fazer isso, imagina agora que estou na melhor fase da minha vida. Me amando como nunca e declarando esse amor para os quatro cantos do mundo. Ignorarei tudo e a todos que não tiverem o mínimo de respeito comigo. Eu não gosto de indiferença, sou carinhosa com todo mundo, mas quando me tratam com indiferença, eu sou a campeã mundial em tratar igual.

Não trato ninguém como materiais descartáveis e não admito ser tratada da mesma maneira. Pois então ocupo minha mente com coisas e pessoas mais interessantes que eu sei que têm por aqui. Eu não ligo, eu não falo mais, eu esqueço. "Ahn, oi, quem?" É assim que eu sou. E não por que sou vingativa e sim por que faz parte da minha natureza. Eu faço o possível para ter quem eu gosto por perto, por que se eu não tiver, para mim não é a mesma coisa.

Mas se o outro não quer. Eu tento, eu rondo, eu tento trazer para mim eu dou chances. Mas se ainda assim não rolar, eu afasto da minha vida totalmente. Sem possibilidade de volta. Por mais que seja bom, por mais que eu goste, por mais que o sexo seja bom, por mais que a pessoa seja muito interessante. Tudo tem um limite. Eu saio como grudenta, mas quando desgrudo, desgrudo de vez!

Pois é, não controlo isso. Sou assim com todo mundo. Aliás não controlo nada como eu já disse. Só minha vida e minhas vontades. Mas ignorar quem me ignora eu não faço questão mesmo de controlar. Quero continuar sendo assim. Por gente escrota tem que ser tratada com escrotidão! Se não me respeita, meu próprio cérebro trata de ignorar e minha miopia acentuada faz com que eu nem enxergue a pessoa na rua.


Rafaela Valverde

Show de Los Hermanos. Entrou pra história da minha vida.

Imagem: internet
Hoje eu vou falar sobre a noite de ontem. Sobre o show de Los Hermanos. Foi maravilhoso. Sem palavras! Perfeição. Bom eu estou tentando encontrar uma foto que se salve na bosta do meu celular mas me parece que não vai rolar. (hehehe). É isso, as fotos estão uó e eu prefiro não pagar esse mico. Por que já pago  king kong demais na vida.

Enfim, fui sozinha mas no meio do caminho tive a grata surpresa de conhecer duas pessoas ótimas. E daí a noite foi ficando cada vez melhor até a hora do início do show que foi o ápice. Foi tudo incrível. A maioria das músicas que eu queria ouvir foram tocadas. Me diverti muito, chorei litros em Paquetá, Conversas de Botas Batidas e Último romance. Enfim, essas músicas são mais que especiais para mim.

É uma emoção muito grande ver o artista, ou os artistas que a gente gosta tão pertinho. E onde eu fiquei dava para ver legal mesmo. Ainda mais quando é a primeira vez, como foi o meu caso. Enfim. Nada mais para falar. Só estou muito feliz!



Rafaela Valverde

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Tá bom - Los Hermanos

Senta aqui
que hoje eu quero te falar
não tem mistério não
é só teu coração
que não te deixa amar
você precisa reagir
não se entregar assim
como quem nada quer
não há mulher irmão que goste dessa vida
ela não quer viver as coisas por você
me diz cadê você aí
e aí não há sequer um par pra dividir

senta aqui
espera que eu não terminei
pra onde é que você foi
que eu não te vejo mais
não há ninguém capaz
de ser isso que você quer
vencer a luta vã
e ser o campeão
pois se é no não que se descobre de verdade
o que te sobra além das coisas casuais
me diz se assim está em paz
achando que sofrer é amar demais

Link: http://www.vagalume.com.br/los-hermanos/ta-bom.html#ixzz3oNFzHHzP


Fonte: Vagalume


Rafaela Valverde

Cinquenta fatos sobre mim

Bom, esses cinquenta itens estão prontos há alguns dias, mas acho que chegou o momento de divulgar, pois tem gente precisando me conhecer melhor. Pois bem, eis aí os 50 fatos sobre mim:

Imagem: internet
1 - Amo ler
2 - Amo brigadeiro de panela
3 - Tenho insônia desde a infância
4 - Sou ligada no 220 e faço várias coisas ao mesmo tempo
5 - Eu amo gatos e me derreto com bebês
6 - Amo comer e como muito
7 - Tenho uma personalidade forte
8 - Só faço o que eu quero
9 - Gosto de cozinhar e fazer bolos
10 - Aprendi a ler com cinco anos
11 - Não sei me maquiar direito (estou aprendendo)
12 - Prefiro conforto à moda
13 - Sou sincera e sempre falo o que me incomoda
14 - Não me privo de nada e sempre quero experimentar algo novo
15 - Não faço dieta e não gosto de academia
16 - Não me envolvo em confusão e fofoca
17 - Gosto de andar
18 - Sou livre e acho que as outras pessoas também são
19 - Amo praia
20 - Adoro acordar tarde, mas se necessário acordo cedo sem problemas
21 - Adoro que me chamem de Rafa
22 - Sou diferente da maioria e gosto disso
23 - Sou pontual, sempre
24 - Amo livros e sempre quero comprar mais
25 - Coleciono marcadores de páginas
26 - Sou desligadona em nomes de músicas
27 - Sou péssima com nomes, mas nunca esqueço um rosto
28 - Não julgo nada nem ninguém antes de conhecer
29 - Gosto de me cuidar, mas não sou obcecada
30 - Só durmo com ventilador ligado
31 - Venci o vício de roer unhas e agora as mantenho pintadas
32 - Não resisto a revista em quadrinhos (nenhuma)
33 - Detesto livros de auto - ajuda
34 - Odeio o politicamente correto
35 - Gosto de desenhos animados
36 - Escrevo poemas desde criança
37 - Lia livros proibidos na infância
38 - Sou muito tranquila em meus relacionamentos
39 - Não deixo o ciúme me dominar
40 - Lealdade em um relacionamento é mais importante do que a fidelidade em si
41 - Sou manteiga derretida
42 - Estudo muito e pesquiso sobre cabelos cacheados e como cuidar deles
43 - Sou muito curiosa, leio tudo e sou sedenta por conhecimento
44 - Não guardo mágoas e cultivo o bem
45 - Sou tolerante e paciente, mas não pise no meu calo, por que aí viro o contrário
46 - Amo literatura, filmes e comédias românticas
47 - Adoro esmaltes coloridos
48 - Fiz curso de datilografia na infância ( não sou velha!) rsrsrs
49 - Adoro rádio e música
50 - Sou bem humorada, faço piada e já me disseram que eu podia fazer stand up! Hahahaha


Bem, isso aí é um pouco de mim.



Rafaela Valverde


Resposta a um comentário anônimo e estúpido.

Imagem: internet
Hoje recebi um comentário idiota e anônimo em meu blog, criticando grosseiramente um texto que escrevi no início do ano passado. Esse aqui ó: Chaves,o bullying e o politicamente correto. Pois bem, em primeiro lugar querida pessoa covarde que fez o comentário: eu tenho regras em meu blog e uma delas é que eu não publico comentários anônimos.

Portanto, se identifique e confirme a sua burrice. Por que eu fiz, nesse texto, uma análise do bullying, em uma outra ótica, diferente das que eu já vi por aí. Assistindo um dos episódios do seriado Chaves, eu percebi que a transmissão de um seriado desse hoje não seria possível, devido ao politicamente correto e que o bullying é algo normal na infância de quase todas as pessoas que foram crianças. Você discorda? Você acha que isso não acontece em todas as escolas e com crianças de todas as faixas etárias? Ou você foi o único escolhido? Ah me poupe!

No mesmo sentido em que uma criança sofre bullying ela também comete. Sabe por que eu digo isso? Por que ao contrário do que você afirmou - coisa de gente estúpida mesmo: falar o que não sabe - eu sofri bullying na infância sim. E foram coisas muito graves que marcaram minha vida e a minha baixa auto-estima. Os abusos que hoje chamamos de bullying deixaram marcas eternas em minha vida. Mas eu também cometia. Eu criticava quem era magro demais, quem era lerdo, feio e mais gordo que eu. Enfim, crianças podem ser bem malvadas sim! E adultos de verdade se recuperam de tudo isso.

Eu nunca contei nada do que passei na escola aqui em meu blog por que não desejo me vitimizar e nem fazer as pessoas ficarem com pena de mim. Isso é coisa de gente fraca. Fraca e que não mostra a cara ainda por cima! Me recuperei de muitos dos traumas deixados por isso e hoje eu me amo, me aceito e me acho bonita mesmo sendo gordinha e míope. (lentes de contato, conhece?) Quem leva isso para a vida adulta, mesmo depois de anos é uma pessoa no mínimo fraca. E que não consegue fazer nada de positivo que supere isso. Por que eu escrevo desde a infância, para "descarregar" meus traumas e consegui desenvolver minha escrita a um ponto muito bom, ao meu ver. 

Então nada do que me digam tentando me inferiorizar vai me atingir, por que sei que sou boa em muitas coisas, sobretudo na escrita que é o que eu gosto de fazer. Se até hoje, depois de mil anos, a sua pressão fica alta e você tem síndrome de sei-lá-o-que, não é culpa minha e nem do meu texto, ok? Portanto vá procurar o que fazer e procurar ser um pouco mais inteligente e menos intolerante, tá? Quando quiser uma discussão de verdade, justa, se identifique. Agradeço a visita, caro anônimo.




Rafaela Valverde

sábado, 10 de outubro de 2015

Estereótipos masculinos: a pressão que os homens sofrem

Imagem: Internet
Vocês já pararam para pensar a pressão que os homens sofrem? Não? Pois então comecem a pensar. Até mesmo vocês homens. Você já repararam o tamanho do rojão de vocês? Os homens ainda têm que prover a casa e a família, os homens ainda têm que pagar a conta (como tem mulher cara de pau!); os homens não podem brochar, os homens têm que dar seus sobrenomes, os homens não podem ter pau pequeno, os homens ainda não podem chorar (?),  os homens têm que conduzir, os homens não podem ser donos de casa, nem noveleiros, nem dançarinos, nem cabeleireiros... aff a lista é grande, viu?

Gostaria de saber como é se sentir assim um dia. Nós mulheres temos nossas pressões também, não é nada fácil ser mulher, com jornadas triplas, com a ditadura da magreza e da beleza,  com não poder ser puta e ter que ser certinha para estar apta para namorar, etc, etc, etc. Isso nós já sabemos e sofremos na pele todos os dias. Mas ninguém considera o que os homens passam ao ser eles mesmos. Nem eles! Eles, em sua maioria, acham que ser homem é corresponder a todos esses estereótipos e tá tudo certo.

Nós mulheres, por termos um histórico de opressão mais antigo, tomamos nossa posição de luta bem antes dos homens. Mas os homens ainda têm que se alistar obrigatoriamente, e ainda ouvem coisas como: "Isso não é coisa de homem..." "Seja homem...", etc. Essas coisas que são ditas aos seres do sexo masculino desde a tenra idade não são nada justas. Sou muito a favor das discussões de gêneros dentro de casa, desde a infância e não consigo acreditar como somente agora, essas discussões começam a tomar espaço e ainda de forma tímida.

O que define a sexualidade de uma pessoa, não são essas questões que separam homens e mulheres. Na verdade pouca coisa define de forma exata a sexualidade de alguém. Mas no mundo masculino, ser homem é seguir uma lista infinita de opressão. E por falar nisso, vocês homens acham mesmo que é legal mexer com as mulheres na rua? O que vocês acham? Que vai afirmar a masculinidade de vocês? Mas isso é odioso. Não façam isso. É um exemplo apenas de tantas coisas que os homens fazem e se sentem obrigados a fazer, apenas para se auto afirmar como machos. Machos alfas! Os homens com H maiúsculo!

Com isso não desejo fazer uma crítica. Longe de mim .Quero apenas suscitar discussões e reflexões. E até é uma forma de defender os homens que são bem criticados pelas mulheres que acham que um pau é tudo. Principalmente um pau grande. Acordem, assim como alguns homens só olham peito e bunda, algumas mulheres também só olham pau. E ninguém é só isso! Seres humanos precisam serem olhados e não apenas as suas genitálias. Pensem nisso.

Me irrita profundamente mulheres que ficam falando apenas dos dotes físicos masculinos. Como se não ter cérebro não seja um problema, contanto que tenha um "pauzão"... Me irrita profundamente as mesmas atitudes dos homens. E ainda tirar fotos em carros e postar (não façam isso, é brega... nem toda mulher é "maria gasolina") E esbanjar dinheiro também é brega. "Eu pago tudo" nem sempre é boa ideia. Sejam humildes  acima de tudo sejam vocês mesmos. Mandem esses estereótipos opressores à merda e vivam felizes com vocês mesmos!



Rafaela Valverde

Linha Tênue - Maria Gadu

Todo lugar que chego, você não fica
Tudo que eu te peço, você não dá
Se dou opinião, você implica
Toda vez que ligo, você não está

Por que fazer questão desse jogo duro
De me mostar o muro a nos dividir
Seu coração de fato está escuro
Ou por detrás do muro tem mais coisa ai?

Toda vez que passo, você não nota
Eu conto uma lorota, você nem ri
Eu faço fina flor, vem, me desbota
Me boto numa fria, não socorre

Eu cavo um elogio, isso nem te ocorre
A indiferença escorre fria a me ferir
Será por que você não me suporta
Ou dentro dessa porta tem mais coisa ai?

Entre o bem e o mal a linha é tênue, meu bem
Entre o amor e o ódio a linha é tênue, também
Quando o desprezo a gente muito preza
Na vera o que despreza é o que se dá valor

Falta descobrir a qual desses dois lados convém
Sua tremenda energia para tanto desdém
Ou me odeia descaradamente, ou disfarçadamente me tem amor
Ou me odeia descaradamente, ou disfarçadamente me tem amor

Toda vez que passo, você não nota
Eu conto uma lorota, você nem ri
Me faço fina flor, vem, me desbota
Me boto numa fria, não socorre

Eu cavo um elogio, isso nem te ocorre
A indiferença escorre fria a me ferir
Será por que você não me suporta
Ou dentro dessa porta tem mais coisa ai?

Entre o bem e o mal a linha é tênue, meu bem
Entre o amor e o ódio a linha é tênue, também
Quando o desprezo a gente muito preza
Na vera o que despreza é o que se dá valor

Falta descobrir a qual desses dois lados convém
Sua tremenda energia para tanto desdém
Ou me odeia descaradamente, ou disfarçadamente me tem amor
Ou me odeia descaradamente, ou disfarçadamente me tem amor

Me tem amor

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Fuçar o celular do outro é desleal. É paranoia e não amor!

Imagem: Internet 
Ontem vi uma cena que me fez refletir. Estava dentro de um ônibus e sentei bem na frente, já que desceria no primeiro ponto. Já era cerca de 23h e eu estava voltando para casa, depois do trabalho. O cobrador do ônibus estava na frente do ônibus, sentado e conversando com alguém no celular. Ele desligou e entregou o celular para o motorista e agradeceu - ele havia emprestado o aparelho. O motorista devolveu o celular e falou: "apague esse número pra mulher lá em casa não achar esse número diferente e querer ligar e ouvir voz de mulher..."

O cobrador apagou o número e entregou para ele, que o colocou no bolso. Eu estava ali parada observando a cena e pensando em que nível de doença as pessoas estão vivendo e estão conformadas, achando que é isso mesmo. Que é normal. Imagine a falta de paz desse "marido", com "medo" de a mulher encontrar em seu celular um número diferente e quando ligar atender uma mulher. Mas o número ele nem sabe de quem é, ele emprestou o celular a  alguém. E aí começa a "noia", a cena.

Em primeiro lugar, celular é algo estritamente pessoal. E privacidade é o mínimo que qualquer pessoa precisa. Especialmente para estar num relacionamento. O princípio básico para gostar e estar com alguém, é primeiramente ser você. E ter o direito de ser você. Imagine alguém fuçando seu celular, seu computador, sua gaveta de roupa íntima... ah me poupe, viu? Muita falta do que fazer.

Em segundo lugar, pessoas entendam, se o seu companheiro quiser "trair" ele vai fazer isso, independente da sua perturbação no juízo dele. Ou dela. Deixem as pessoas viverem em paz! Mas ao mesmo tempo se a pessoa quiser ficar com você e quiser fazer coisas assim, se enganar, enganar a você e/ou a outra pessoa, o problema é dele. E se você sabe, faça a pessoa arcar com as consequências, a depender da sua opinião sobre o assunto...

Com esse tipo de coisa eu não me estresso e nunca me estressei. Em meu relacionamento anterior eu nunca peguei o celular de meu ex ou fiquei vendo os registros do que ele via na internet. Eu tinha mais o que fazer. Tinha uma vida tão agitada com trabalho e estudo que não tinha tempo para nada. E nem interesse em fazer coisas desse tipo. É antiético, é desrespeito e é desleal. E pior que ser infiel, para mim,  é ser desleal.



Rafaela Valverde



Gênero Literário

Imagem: Google


Mais amplamente conhecido como "gêneros literários", é geralmente divido, desde a Antiguidade, em três grupos: narrativo ou épico, lírico e dramático. Essa divisão partiu dos filósofos da Grécia antiga, Platão e Aristóteles, quando iniciaram estudos para o questionamento daquilo que se representaria o literário e como essa essa representação seria produzida. Essas três classificações básicas fixadas pela tradição englobam inúmeras categorias menores, comumente denominadas subgêneros.



Você sabia?

O gênero lírico se faz, na maioria das vezes, em versos e explora a musicalidade das palavras. Entretanto, os outros dois gêneros - o narrativo e o dramático - também podem ser escritos dessa forma, embora modernamente prefira- se a prosa. Todas as modalidades literárias são influenciadas pelas personagens, pelo espaço e pelo tempo. Todos os gêneros podem ser não - ficcionais ou ficcionais. Os não ficcionais baseiam- se na realidade, e os ficcionais  inventam um mundo, onde  os acontecimentos ocorrem coerentemente com o que se passa na enredo da história.



Fonte: Palavras cruzadas




Rafaela Valverde

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Ei você... você mesmo. Leia isso!

Imagem da internet
Ei você, você mesmo. Não vai agora não. Não sai da minha vida ainda não. Espera mais um pouco, ainda está muito cedo e ao menos tivemos oportunidade de conversar mais. De tomar vinho e assistir filmes. Nos conhecemos há tão pouco e você já quer ir? Ah não seja assim tão implicante. Maleabilidade e flexibilidade  são essenciais para quaisquer tipos de relações. Por que pessoas erram. Sempre vão errar.

Eu sou errante. Mas também sou humilde para reconhecer que errei e me desculpar. Não sou infantil como você afirmou. Não vá ainda por que preciso te mostrar isso e comprovar que sou amadurecida pela vida. Não suporto ver as pessoas se afastando de mim, mas sou a primeira a agir com uma tremenda idiotia a ponto de quem eu gosto sair correndo.

Eu acho que eu tenho medo de ter quem eu gosto ao meu redor, acho que nem Freud entenderia e explicaria a tendência suicida que eu tenho em arruinar tudo. Mas ainda assim vou usar um de seus conceitos para tentar explicar para mim mesma. Inconsciente. É isso, acho que inconscientemente eu afasto de mim as pessoas com medo de estar bem com elas por perto. Dá para entender? Não, né? Mas é de forma psicanalítica que eu tento explicar as cagadas que eu faço.

Eu sempre me gabei por não ser ciumenta, controladora e de ter segurança em meus sentimentos e em meu relacionamento. Mas no momento em que vi minha vida  a dois ser ameaçada eu percebi que tinha esse sentimento abominável chamado ciúme, que sempre detestei e é apenas um medo estúpido de não ser mais querida, desejada e é um sinal forte de insegurança, o que pessoas com péssima baixa estima como eu tive a vida toda, são capazes de ter. 

Mas eu odeio sentir ciúmes. Eu odeio brigar com meus amigos por que eles saíram com outros amigos deles e não comigo. Mas eu não rechaço esse sentimento. Eu entendo os motivos de ele existir, aceito o e trabalho todos os dias para conviver com ele da melhor forma e não perturbar ninguém. Por que isso é ruim, é muito ruim. Eu passei meses sendo perseguida, por causa de ciúmes, com minhas mensagens de celular sendo lidas e recebia acusações todos os dias, sabia disso? Quase eu fiz uma besteira. Sei o quanto pode ser opressor. Senti na pele.

Só quero um pouquinho de paciência da sua parte, como eu disse nos conhecemos há pouco tempo e você não teria obrigação de ter. E não tem. Mas eu sei que não estou sozinha e do lado de lá também rola algo bom. O que é louco, devido ao tão pouco tempo. Mas eu não sou tão ruim, na verdade eu sou uma ótima pessoa, não é a toa que tive um relacionamento tão longo. Como alguém ficaria anos ao lado de uma pessoa desagradável?

Não vá ainda não. Espere um pouco. Venha cá. Deixa eu te fazer um cafuné, deixa eu te botar no colo e te apoiar incondicionalmente. Saiba que já foi dito por quem conviveu comigo todos esses anos, que é um privilégio ser "gostadx" por mim. E antes eu não acreditava, mas agora eu sei. É um privilégio sim e você ganhou o prêmio.

Só não vá ainda. Por que é cedo. Por que não vale a pena. Por que eu sou mais que isso. Por que a nossa amizade, acima de tudo, vale a pena. Por que eu quero ter você por perto e  depois de anos, descobri uma pessoa tão fascinante, com quem se pode conversar sobre tudo sem ser recriminada. Como disse no início, ainda não tomamos aquele vinho nem compartilhamos momentos. Você ainda nem me conheceu de verdade e já quer ir? Não vá ainda. Por que eu tenho muito para mostrar. Não vá ainda por que sou além do que aquelas conversas de WhatsApp por trás de uma foto bonita e um status charmoso.

Sou mais. Sou muito mais que isso.  Hoje eu sei e foi você uma das pessoas que me fez enxergar isso, lembra? Lembra mesmo do que você fez por mim? Você sabe o que fez por mim? Por que para mim foi muito. Muito mesmo. E é isso que deixa tudo tão especial. Conversas profundas, uma visita, mãos dadas, olho no olho, sexo bom,  uma noite dormida, sinceridade... Mas eu fiz merda como sempre. Mas você não acha que se eu fosse tão louca eu já teria demonstrado antes? A não ser que eu fosse psicopata e eu não sou.

Quem é maníaca, possessiva e controladora demonstra logo, através de sinais. Sim, eu concordo com você quando compartilhou em seu Facebook que ciúme não é amor. Não é mesmo. E esse meu blog está aqui para comprovar o que eu penso sobre o assunto. Não é você quem pesquisa bem? Então pesquise. Sou um livro aberto, pronto para ser estudado. Não sou nenhuma louca desequilibrada, apenas uma manteiga derretida insegura, que já está melhorando muito em sua baixa estima e outros complexos oriundos de sofrimentos na infância.

Bom, estou persistindo e não insistindo. Insistência é sinal de arrogância e desrespeito. Eu não. Eu sou é determinada. Sempre corri atrás de minhas coisas, sempre conquistei o que quis e tudo o que eu tenho hoje é graças a minha persistência. Por isso estou usando todos os métodos possíveis para tentar te convencer a não sair da minha vida agora, para tentar observar o que eu sou. Você disse que eu era uma mulher incrível, lembra?

E é por isso que estou escrevendo esse texto aqui. É por isso que vou deixar você respirar um pouquinho e não vou conversar com você. Quando quiser e se quiser vem. Eu estarei aqui. Sempre estarei. Respira, pensa e responde depois se vale mesmo a pena fugir. Se o ideal é ter medo e afugentar um contato bom, com viagens, shows, vinhos, bons filmes e boas músicas, bom sexo e tudo de bom que duas pessoas podem fazer juntas.  Tudo o que nos prometemos.Vale a pena?




Rafaela Valverde

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Fitagem estruturada: mais definição

Hoje vou falar de cabelo. Há um tempinho que não falo nada e esse final de semana, após ver alguns vídeos no youtube, eu resolvi fazer a fitagem estruturada que muitas meninas fazem e eu achava muito trabalhosa. Mas resolvi superar essa parte de "preguicite aguda" e fiz.

Eu comecei preparando o cabelo, passando um óleo nele todo. Mas pode ser  reparador de pontas ou pode não passar nada também. Na raiz do cabelo até três dedos após eu passei um creme levinho, que foi o yamasterol. E no cumprimento até as pontas passei um creme mais "pesado" para segurar bem os cachos. No meu caso foi o casulão. Esse aí ó:
Imagem: Googe
O casulão é um creme de nutrição sem enxágue e ele é bem consistente. Já fiz resenha sobre ele aqui:  Resenha casulão. Mas voltando a fitagem estruturada, ela funciona da seguinte forma: Quando dividimos o cabelo em mechas finas e enluvamos o produto na mecha até sentir que o creme está bem penetrado. É fácil perceber.

Em seguida,com a ajuda de um pente ou com as mãos a gente vai dividindo as mechas como se fossem fitas. Pequenas fitas. E em seguida vai pegando essas mechas finas que foram dividas pelos nossos dedos e vai dividindo em fitas menores e puxando como se fosse aquelas fitas de embrulho de presente de aniversário. Em seguida passei um pouco de gel de linhaça nas pontas e amassei as pontas em direção à raiz. 

Espero que tenha dado para entender como funciona o processo. Mas se não deu, há vários vídeos na internet. Eu gostei do resultado. Os cachos ficaram mais definidos e com um brilho maior. Deu um pouco mais de trabalho e demorou mais de secar, mas quando seca faz diferença. Definição maravilhosa. Amei!




Rafaela Valverde

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Batom vermelho, seu fetiche.

Imagem: Google
Hoje comprei um batom. Daquele mesmo que você gosta. Vermelho. Bem vermelho. Vermelho mate. Daquele que você me pede para passar quando vou te chupar. Eu de calcinha preta, salto alto e batom vermelho. É o que você gosta. É o que você pede e é o que eu faço.

Você tem fetiches e eu faço questão de realizar todos. Por que te dar prazer me dá prazer. Vamos para o banho aí eu tiro a calcinha e o salto mas o batom fica. Um batom de qualidade é aquele que fica depois da trepada. É aquele que continua lá, vermelhando nós dois nus enquanto nos olhamos.

Você me beija e o danado do batom continua deixando minha boca vermelha e ainda mais apetitosa para você. Você adora. É viciante. Eu sou viciante. Ah, mas você também é! Passo minha língua em você e seu corpo vai ficando escarlate. Como o batom, como o sangue que pulsa bem forte em mim, como o coração.

Nossos suores vão se misturando e aquela sensação de pertencimento vai ficando cada vez mais próxima.  Mas você se afasta, rola para o outro lado da cama, levanta e pega o batom. Joga para mim e eu retoco delicadamente. A boca entreaberta e um olhar sacana. Você observa a cena e deita novamente.

Dessa vez eu sumo. Me tranco no banheiro enquanto você revira os olhos. Ponho o  salto que você adora e fico na porta do banheiro te encarando. Você apenas suspira e sussurra  'gostosa'. Apenas volto para cama e tudo recomeça.



Rafaela Valverde

Monogamia, conto de fadas e feminismo

Imagem: Google 
Durante muito tempo escrevi aqui nesse espaço, no meu espaço, escrevi textos sobre o poliamor e relações monogâmicas de uma forma deliberada e como uma escolha de um casal que deseja viver sua relação dessa forma. Pois foi o que eu vivi durante um tempo, mais como uma opção para tentar salvar um relacionamento falido, por isso não deu certo.

Hoje eu quero falar um pouco do outro lado. Quero falar sobre a escolha de viver uma relação monogâmica. Mas todos nós sabemos que em algum momento da vida estaremos sujeitos a nos sentir atraídos por outrem, ou até gostar. Isso pode acontecer com todo mundo, inclusive já aconteceu comigo e eu achei que poderia ser natural manter dois sentimentos ao mesmo tempo. Sentimentos até dá. Mas relacionamentos não.

Tentei. Como tudo na vida. Eu tento. Mas não rolou. Descobri que sou ciumenta, que eu sou tradicional no que se refere a relacionamentos. Tem que estar comigo ou sem mim. Ter duas coisas ao mesmo tempo não é possível em nenhum momento da vida. Pode parecer meio clichê,mas é verdade. A vida é feita de escolhas. E ponto! Não dá para ter vida de solteira e querer ter namorado que te ligue e dê flores; Mas digo solteira no sentido extremo mesmo, de baladas, etc, etc, etc.

Tem gente que se ilude e acha que isso é possível, mas uma hora a ficha cai e a gente percebe que escolhas têm que serem feitas. Não tem jeito! Eu tentei e a duras penas eu entendi o que eu realmente quero. Eu escolhi! Sim, apesar de dizer que no passado não era possível, hoje eu digo que é possível escolher a monogamia. Apesar de ainda ter a clara posição na minha cabeça que atrações e sentimentos acontecem ao longo de uma vida. E de saber quais os preceitos ideológicos da monogamia (patriarcado, imposição, certeza que o filho é mesmo do marido, etc) Mas quando você escolhe estar com alguém e aquilo tudo te satisfaz , nada mais vai te satisfazer mais. Hehehe! Deu para entender?

Sei o que eu quero, amadureci e entendi que ser um pouco tradicional não vai me matar. A gente fica tentando ser "pra frentex" o tempo todo, mas algo em algum momento vai impedir que toda essa modernidade líquida (como diria Baumam) suba a sua cabeça. O meu algo é o que eu quero para mim. E o que eu quero para mim? E sobre o que nunca vou deixar de lutar? Um conto de fadas! Oh sim! A feminista quer um conto de fadas!  


Sim, eu quero! Por que afinal sou diferente e meu conto de fadas é feminista!




Rafaela Valverde


domingo, 4 de outubro de 2015

Estou apaixonada por mim. E estou feliz!

Imagem: Google
Estava parando para pensar dia desses que hoje,  eu tenho apenas o que me deixa bem, o que me dá satisfação comigo mesma. Morei sozinha, hoje moro com minha mãe; tenho um emprego que eu gosto e que pela primeira vez na vida eu não tenho vontade de largar e sair correndo; eu consegui passar na UFBA que era um desejo antigo; eu estou me sentindo bem com meu corpo, emagreci nove quilos, amo meus cachos e me amo. Independente do que e de quem quer que seja, eu me amo e me sinto feliz comigo mesma.

Hoje em uma festa de família, ouvi tantas vezes que estava bem e bonita e que meu cabelo está maravilhoso que eu acabei me convencendo. Só não fico convencida e pedante. Isso não é possível por que eu sou muito humilde. Na verdade até demais para meu gosto. Apesar de já ter melhorado por que se hoje eu sorrio levemente e agradeço, antes eu não acreditava em elogios.

Ando mais otimista, com sorriso no rosto, cabelos ao vento e  com toda a minha imperante presença eu passo em todos os lugares,de cabeça erguida. Por que eu não devo nada a ninguém e isso é o que me deixa ainda mais satisfeita comigo mesma e com a minha vida. O fato de fazer o que eu quero e ser livre me deixa muito bem! Sou extremamente livre e só faço o que eu realmente quero na vida. Esse é meu maior motivo de felicidade no momento.

Não é fácil partir de uma trajetória de baixa auto estima, com um desamor enorme por si mesma e depois passar a se amar, se admirar, se achar bonita, etc. É um caminho árduo e eu tenho aprendido ao longo dos anos. A me cuidar, a me gostar e a pensar mais em mim. E a maturidade vai mostrando a gente o caminho. A cada ano que passa a gente vai melhorando e vai se sentindo mais segura. Eu sou extremamente segura de mim hoje. Mas até bem pouco tempo atrás, não era. Confio em mim mesma, confio em minhas habilidades, talentos e sou bem resolvida em minha sexualidade. Não deixo nada a desejar e não devo nada a ninguém. É isso. Essa sou eu. A nova eu. A versão 2016 chegando aí!



Rafaela Valverde

Muitos chocolates - Banda do Mar

Imagem: Google
Não quero mais ficar com quem me maltrata
Não posso mais desperdiçar o meu amor assim
Faço questão de cafuné, massagem no pé
E muitos chocolates só pra mim

Por um beijinho de esquimó eu moro até no Alasca
Se quiser mudar pra China eu aprendo Mandarim
Mas lá eu peço cafuné, massagem no pé
E muitos chocolates só pra mim

Ai de mim que morro de vontade
Dentro de mim mesma já nem cabe mais
Quero sim, até pela metade
De tudo eu quero um pouco e você sabe

Que é que tem, já que tamo vivo
A gente pelo menos aproveita mais
Fica aqui, fica só comigo
Fora desse quarto o mundo tanto faz

Não vou pedir roupa de cama ou talheres de prata
Nem que você suporte alguma amiga minha chata
Mas eu exijo cafuné, massagem no pé
E muitos chocolates só pra mim

É, eu exijo cafuné, massagem no pé
E muitos chocolates só pra mim
 É, eu exijo cafuné, massagem no pé
E muitos chocolates só pra mim


Estou muito musical, eu sei.Isso é ótimo!

Rafaela Valverde
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...