quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Livro O lado bom da vida

Foto: Google
Terminei de ler o livro O lado bom da vida. O livro traz a história de Pat Peoples um cara otimista demais, chato e ingênuo demais. Eu não gostei desse livro. Esse Pat é insuportável, a ingenuidade e credulidade dele me deixam impaciente. Quase não termino de ler,mas como já tinha comprado mesmo eu li. 

Tudo bem que ele estava mentalmente perturbado, tinha depressão, bipolaridade e sempre tinha ataques, ou estava querendo esquecer, mas não concebo a ideia de alguém ser assim, Eu já tinha visto o filme e também não achei essas coisas todas não. O livro falava muito de futebol americano, o que eu não entendo nada e nem gosto.

O livro traz ainda muitos clichês, muitas frases repetitivas. Pat tem um pai idiota que não se enturma e não se dá bem com a família. Pat quer voltar para Nikki, sua ex- esposa que não quer ver pintado de ouro. Depois de sair do lugar ruim, uma clínica de recuperação, ele vive em função de recuperar sua ex- esposa, malha igual a um louco e volta a morar com os pais.

Apesar de não lembrar de nada, Pat sente uma necessidade grande de ser bom, de ser melhor. Ele que tanto isso que vira um chato de marca maior, Ele, apenas no intuito de reconquistar Nikki passa a querer ser gentil ao invés de ter razão. Esse é um dos seus principais lemas ao longo do livro. Um belo dia ele conhece Tiffany e aí começa a confusão maior.

Bom, é meio parado, fala muito de futebol, tem um pai impossível de existir, um psicoterapeuta que vai ao estádio com o paciente, enfim. Quem quiser ler, leia, mas eu não recomendo muito não.




Rafaela Valverde










Condicionador feito em casa

Ontem fiz um condicionador para meu cabelo. Ele serviu como hidratante e nutrição. Peguei uma vasilha que sempre uso para misturar meus cremes, coloquei uma quantidade de boa de yamasterol, uma colher de azeite de oliva e duas de leite de coco. Misturei bem com uma colher e apliquei nas pontas do cabelo depois de lavar. Massageei as mechas, desembaracei e logo de cara senti uma textura mais macia. Ah, coloquei uma pequena quantidade de condicionador, mas foi o equivalente a uma moeda de um real. Gostei do resultado. Principalmente no day after. Pouco frizz, cachos definidos e um cheirinho incrível depois da fitagem.Vou colocar aqui no blog, duas fotos que tirei ontem logo após a fitagem.








Rafaela Valverde

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Fillme O juiz

Foto: Google
Assisti na semana passada o filme que está no cinema O juiz. Um filme excelente com pouca visibilidade dada pela mídia e poucas importância dada pelas pessoas que só querem assistir besteiras. Não vi e nem ouvi ninguém falando desse filme. Mas enfim, vamos lá. O filme traz Robert Downey Jr vivendo o bem sucedido advogado Hank Palmer que vai para a sua cidade natal para o velório da mãe.

Há muito tempo não via sua família e não é recebido muito bem, devido a sua longa ausência. Ao enterrar sua mãe Hank se vê numa situação complicada: seu pai, o juíz da cidade, está sendo acusado de atropelar e matar um homem que havia condenado no passado. Porém ele não quer ser defendido por Hank, mas acaba cedendo devido o interesse do filho em querer defendê-lo.

Revelações acontecem e o filme vai ficando mais rico ao longo de toda a trama dessa família. Não vou contar mais nada, muito menos o final. Vá ao cinema.  O filme conta ainda com a participação e excelente atuação de Robert Duvall, que faz o juíz, pai de Hank. Gostei bastante e recomendo! 




Rafaela Valverde


"Desmergulhando"

Foto: Google
E de repente você se dá conta de que deve andar é para frente, nada de querer retroceder ou ficar empurrando com a barriga. Nada de ficar dando importância a quem não merece, a quem está em outras sintonias. De repente você "desmergulha" a cabeça da névoa viciante em que está enfiada e tudo fica claro, límpido e transparente.

Você olha para trás e vê todas as besteiras que estava fazendo e besteiras vem de ser besta mesmo. E junto com esse sentimento de ser besta, vem todas as coisas idiotas que são feitas. Colheres de chá desnecessárias são dadas, palavras são ditas, e você sempre na posição inferior, sempre se colocando assim, sempre enaltecendo outras pessoas, outras coisas, outros momentos.

De repente você percebe que não compensa por que o retorno não vem. Sabe aquela palavra, aquele momento, aquela data, aquela hora, aquele instante, aquela atitude? Não vêm! Nunca vêm. Você espera, espera e espera e vê todas as suas expectativas dissolverem. Ninguém venha me dizer que não tem expectativas, que faz as coisas sem esperar pelo menos um reconhecimento, um obrigada, um algo mais, um alento.

Não diga, por que se disser eu direi que é mentira. Então, você é um mentiroso. Pois sempre há a espera, a expectativa, a ansiedade, a esperança, ou sei lá o que. Isso é intrínseco ao ser humano. Qualquer ser que seja humano. Não é possível conter, não é possível controlar. O que pode ser feito é aguardar a dor, a decepção, a frustração, o desprezo, a pouca importância. Enfim.

O fato é que você sempre se dá mal no final. Não existem finais felizes como eu sempre digo. Sou pessimista e adoro ser assim, é essa a essência da vida. É isso que ajuda a sobreviver diante de tanta sujeira e gente egoísta. Gente que além de não dar a devida importância para você, ainda te dá a corda, coloca no seu pescoço e  tenta puxar. Mas você simplesmente decide que não vai mais deixar. E assim, quem sabe tudo acaba?




Rafaela Valverde

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Filme - O segredo de Brokeback Mountain

Foto: Google
O filme traz a história de Jack Twist  (Jake Gyllenhaal) e Ennie Del Mar (Heath Ledger) dois jovens que se conheceram nos anos sessenta durante um trabalho sazonal de pastoreio de ovelhas na montanha que dá nome ao filme. No período em que estão trabalhando eles ficam acampados juntos e uma amizade começa a surgir entre eles. Amizade essa que logo se transforma em um relacionamento amoroso que vai marcar a vida desses dois homens para sempre.

Depois que o trabalho acaba cada um vai para um lado e se casam. Eles ficam anos anos sem se encontrar, mas um belo dia o relacionamento do passado ressurge e eles passam a sair sempre para "pescar". Os casamentos começam a ficar prejudicados com esse relacionamento. A esposa de Ennie,  Alma (Michelle Williams) descobre o relacionamento do marido e já se sentindo abandonada pede o divórcio.

A áurea de preconceito e da não aceitação paira em todo o filme, de forma explícita ou não, pois Ennie lembra- se da sua infância, onde um homossexual foi assassinado nas redondezas onde morava, justamente pelo fato de ser homossexual. O pai o levou para ver o corpo e Ennie ainda desconfia de que o próprio pai pode ter participado do crime.

Eles mantêm o relacionamento por mais de vinte anos e vivem esse amor, não de uma forma plena como gostariam e como deveria ser, mas da forma que era possível, sem se importar com o restante do mundo. Jack morre em um acidente aos trinta e nove anos, é cremado, mas não tem seu desejo realizado, o desejo de ter suas cinzas jogadas na montanha. Ennie tenta mas os pais de Jack não permitem e as cinzas vão para o jazigo da família.

O filme termina já nos anos 90 com Ennie com filhos adultos e morando sozinho. O filme conta ainda com Anne Hathaway, no papel da esposa de Jack. Eu gostei bastante e recomendo. Claro para quem gosta da temática e tem a mente aberta, o filme é excelente. As atuações são maravilhosas, principalmente a de Heath Ledger , saudoso ator de quem eu tanto gostava.




Rafaela Valverde

Nós e as eleições

Foto: Google
Acabaram as eleições. Apesar de algumas pessoas chatíssimas ainda não terem percebido isso. Os comentários chatos ainda continuam, as pessoas sempre achando que têm mais razão que as outras, que são as mais certas continuam falando besteiras. Comentários preconceituosos contra nordestinos continuam sendo vomitados nas redes sociais. 

Aliás o mundo ficou mais nojento e mais careta depois das chamadas redes sociais aparecerem. Por incrível que pareça. Conseguimos o feito de ficarmos caretas, retrógrados, chatos e preconceituosos em pleno século vinte e um. No auge da civilização! Todos nós. A humanidade, as sociedades, o mundo, nós.

Os que lutaram pelo que temos hoje: liberdade, tecnologias avançadas, avanço da ciência, saúde, etc, devem estar se remoendo em seus túmulos. Viramos um bando de hipócritas, sem nada interessante na vida para ficar brigando por candidatos, políticos e partidos que sequer sabe que existimos! E olhe que a paixão política para mim e em outros tempos era vista de outra forma.

Não era e não é necessário xingar pessoas, brigar, discutir, ser chato de galocha. Não. Política devia ser algo positivo, algo que nos enalteça enquanto pessoas, enquanto sociedade, enquanto democracia. E não algo que vire apenas politicagem, no pior sentido da palavra. Não algo que nos torne vazios, medíocres e perturbadores da vida alheia como tenho visto esse mês, por causa das eleições.

Principalmente com o antagonismo existente nas eleições presidenciáveis e entre os próprios candidatos. Era o que se via entre os principais candidatos, os que foram para o segundo turno. Eles fomentaram todo esse clima tenso durante a campanha, durante os debates. Eles nos tornaram ainda mais tacanhos, pequenos e antiquados em nossas atitudes e palavras.


Rafaela Valverde

sábado, 25 de outubro de 2014

Creme para pentear Seda Keraforce Original ativador de cachos

Hoje quero falar de um produto que eu descobri sem querer no mercado. Nem sabia que existia esse creme de pentear da seda. Nunca tinha visto esse creme e com minha ignorância, achei que a seda só tinha o  'Cachos  comportados', o meu xodó. Pois então, passei no mercado e vi esse creme sem por acaso.





Ele custou apenas 3,90, mas o que me atraiu mais foi a possibilidade de ter outro creme de pentear (para cacheados) da seda, já que já uso o  'Cachos comportados'.  O que diz na embalagem também me fez comprar o creme. A indicação é para cabelos crespos e sem química. A informação da embalagem é que ele é ativador de cachos, contém queratina e óleo de argan, Promete ainda definição e controle dos cachos para um cabelo mais forte e hidratado.

O resultado foi sim o esperado. Ele tem uma ótima consistência e cheiro. Realmente deixa os cachos bem definidos e é um ótimo ativador de cachos. Eu gostei bastante. A definição dura menos no day after e não é tão boa ao longo dos dias até a próxima lavagem, mas como ativador e definidor de cachos, cumpre o que promete.



Rafaela Valverde

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Unha vermelha

Foto: Google
Unha vermelha
Cor rubra
Como meu rosto
Quando te olho
Quando você passa

Unha vermelha
Sensualidade
Dualidade
De sentimentos

Pensamentos rubros
Assim como a unha
Unha Vermelha
Como a da mulher

Que quer conhecer
Que quer conquistar
Que quer fazer sofrer
Unha vermelha

Qual a intenção
Do vermelhar?



Rafaela Valverde

Tempo

De repente a gente está andando no shopping e já vê decoração de natal. Luzes e enfeites de natal para todo lado. As compras aumentam, as pessoas se agitam, o clima muda e passamos a contemplar todos os dias ( pelo menos aqui em Salvador) dias lindos, calor e sol forte. Como já disse aqui gosto dessa época do ano e como estou sem trabalhar, fui ontem ao shopping e já vi em algumas lojas decorações natalinas. Enfeites para árvores, luzes, papai noéis, enfim. 

Tomei um susto. Aquele susto típico do final do mês de outubro que a gente toma todo ano... Quero apenas fazer uma pequena reflexão sobre o tempo. Sobre esse que pode ser e quase sempre é, nosso amigo e nosso inimigo. É só a gente saber como tratá-lo, como aproveitar esse tempo que é nosso e ao mesmo tempo é de todos.




Rafaela Valverde

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Aqui dentro

Foto: Google
Já percebi a beleza
A beleza de ter você aqui
Aqui dentro do quarto
Dentro de mim
E tudo fica assim
Tranquilo
Límpido
Claro e perfeito
Tudo fica direito
Com você aqui
Dentro do quarto
Dentro de mim
O dia amanhece
Deixar você ir não me apetece...




Rafaela Valverde

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Filme O guardião de Memórias

Assisti na faculdade sábado passado, na disciplina Psicologia da Adolescência o filme O guardião de Memórias.  O filme se passa nos EUA, no ano 1964. É  a história de um livro com mesmo nome, baseado em fatos reais. O doutor David, ortopedista, em um momento de emergência de vê obrigado a fazer o parto de sua esposa.



Com isso ele vê que nasceram gêmeos, um menino e uma menina. O menino nasce primeiro e nasce "normal", trazendo muita felicidade ao casal. Porém uns minutos depois, a esposa de David começa a sentir as contrações novamente e ele percebe que ali tem outro bebê. É uma menina e ela nasceu com síndrome de down. O  pai logo a rejeita, por já ter um histórico de "doença" em sua família, já que sua irmã morreu aos doze anos, trazendo muita dor para a sua mãe.


Ele não quer que a esposa sofra da mesma forma que a sua mãe sofreu e achando que estava fazendo o melhor que podia naquele momento, ele pede a enfermeira mandar a menina "mongolóide" para um abrigo onde eram mandadas pessoas com síndrome de down e outros problemas de desenvolvimento. A enfermeira vai até o local e não consegue deixar a menina no abrigo que trata os doente de forma pouco ortodoxa.

Ela acaba ficando com Phoebe, esse é o nome dela e  a partir dessa decisão sua vida muda. Ela se apaixona, se casa e sua filha ganha um pai. Formam uma família, enquanto a família do doutor David passa a desmoronar, sobretudo por causa da sua mentira que mudou a vida da esposa, do filho e da filha especial que vive com a enfermeira. O filme vai mostrando as trajetórias das duas famílias e o final é emocionante. É um filme que nos faz refletir sobre a força que às vezes não temos para enfrentar coisas pequenas, enquanto outras pessoas enfrentam obstáculos tão maiores.


Bem, é essa a maior intenção do filme, é nos fazer pensar, refletir sobre nossas vidas. Muitos acharão familiar essa história, já que várias outras se originaram dela, inclusive a novela da Globo. Acho que Viver a Vida de 2009. Se não me engano é isso. Recomendo, principalmente para estudantes e pessoas que se interessam pelo tema.






Rafaela Valverde

Comprovado: Mudei minha visão, tudo mudou!

Foto: Google

De onde será que vem essa vontade que me bateu de curtir e desbravar o mundo? De onde vem esse novo e repentino sorriso no rosto? De onde vem essa preguicinha que me deixa a tarde inteira enfiada em baixo de um lençol, deitada no sofá? De onde vem essa vontade de ficar magra e ao mesmo tempo comer o dobro do que já comia? De onde vem essa leveza que acorda comigo todo dia de manhã? De onde vem essa ânsia de futuro, essa vontade de crescer, viver e viver.

Questionamentos como esses são novos para mim. Antes eram perguntas diferentes, bem diferentes. Antes me questionava por que minha vida era ruim, por que as coisas não mudavam ou sempre mudavam para pior. Mas agora percebi e entendi que essas coisas, essas mudanças só dependem de de mim. Das minhas atitudes ou da falta delas.

Nada que acontece comigo é responsabilidade dos outros. Tudo o que me acontece é minha responsabilidade e de mais ninguém. É isso que devo ter em mente. Devo me olhar todos os dias de amanhã e constatar que  abrir um sorriso é a melhor coisa a ser feita, já que pelo menos com ele, melhoro minha aparência e faço ginástica facial. Sei lá! Mas me sinto melhor sorrindo, me sinto viva, realmente viva, com sangue correndo nas veias e um coração pulsando dentro da cavidade torácica.

Por isso que agora me empenharei da melhor forma a responder essas perguntas acima. Em que posso melhorar? Em que minha vida pode melhorar? Em que eu posso amadurecer e evoluir? O que a minha vida melhorou? Por que o sorriso não sai mais daqui, do meu rosto? Já que antes não era assim... Acho que passei a enxergar a vida de outra forma, só isso. Espero que continue assim e espero que os bons frutos continuem nascendo dessa árvore.



Rafaela Valverde

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Comportamentalismo

Se opôs ao funcionalismo
E a Titchener
Seu objeto não é mais a mente
E sim o comportamento
Interagindo com o ambiente
Watson inaugurou
O que a psicologia buscou
Métodos científicos:
Observação e experimentação
Trouxeram resultados magníficos
Que consolidaram
A psicologia como ciência
Mas nada de auto-observação!
Muitas correntes da psicologia
Apesar da oposição
Fazem parte da sua essência
Uma delas, a psicofísica
Que dizia
Que a mente com o físico
Não se relacionaria
Apenas um ao outro acompanharia
O sujeito do conhecimento
É organismo apenas
É um ser  somente biológico
A vivência do sujeito
Sua experiência imediata
Não são importantes
Para Watson é lógico
Ele apenas se interessa
Pelo comportamento observável
Que pode ser constatado
Que pode ser controlado.




Poema escrito por mim para trabalho da faculdade na disciplina História da Psicologia


Rafaela Valverde

domingo, 12 de outubro de 2014

Filme Azul é a Cor Mais Quente

Há alguns dias vi o tão polêmico filme Azul é a cor mais quente do diretor Abdellatif Kechiche. O filme foi lançado em 2013 e foi mal recebido na nossa sociedade brasileira que apesar de dizer que não, ainda é muito preconceituosa.O filme foi exibido em alguns cinemas do país, porém  o DVD foi proibido. 
Foto: Google

Mas não quero aqui no meu blog, dar espaço para preconceito. Quero é falar sobre o filme. Achei um bom filme. É lento em alguns momentos, mas não achei chato nem monótono. As coisas demoram um pouco para acontecer, mas as cenas são bem feitas, os diálogos bem construídos e as atrizes  principais dão um show de interpretação.
Foto: Google
Adéle (Adèle Exarchopoulos) é uma adolescente que se sente diferente das outras meninas. Ela não se interessa muito por meninos, mas na verdade ela não se interessa por quase nada. Vive com os pais e vive buscando alguma coisa interessante para a sua vida. Um belo dia, ao atravessar a rua vê Emma (Léa Seydoux) pela primeira vez e fica curiosa e interessada no cabelo azul da moça.

Cena em que elas se vêem pela primeira vez

Elas só voltam a se encontrar em bar gay que Adéle vai com um amigo, um tempo depois. Daí surge o que começa com uma amizade, logo vai parar na cama e depois vira um relacionamento. E por falar em cama, muito se falou sobre as cenas de sexo das duas que foram bem reais e ardentes. Na verdade achei as cenas necessárias para o filme, não vi nada demais. Nada que duas pessoas que estão a fim não façam entre quatro paredes. As cenas são bem interessantes até. Para quem tem mente aberta e sem preconceitos. Gostei bastante.

Foto: Google

Algumas pessoas podem achar que não é um bom filme por que não teve um "final feliz" ou algo parecido. Tipo aquelas coisas horrendas que começam com "Era uma vez" e terminam com  "viveram felizes para sempre". Não existe "viveram felizes para sempre", não existem apenas finais felizes e nem somente casais héteros. O final foi como tinha de ser. Gostei muito desse filme e recomendo.


Rafaela Valverde




Passeio de domingo na Barra

Esse final de semana foi maravilhoso, como há muito tempo eu não tinha. Hoje, dia das crianças não íamos sair, mas de última hora resolvemos e o destino foi a Barra. Recém reformada pelo prefeito ACM Neto, devo dizer que a Barra está ótima. Um ambiente agradável com uma bela vista, onde todo mundo se mistura, todo mundo é igual. As crianças andam soltas, brincam e vi de tudo hoje: patinete, patins, bibicletas, balões, skate, enfim. A cidade está indo para a rua e eu gosto disso. Gosto de ver gente na rua, gente descontraída, feliz, em sintonia com o ambiente.




Vimos todo tipo de figura na Barra. Pessoas tão diversas. Constatei que a minha cidade é linda demais! E as pessoas, nós moradores contribuímos e devemos mesmo contribuir para a sua beleza. Andei, relaxei, revigorei, observei o mar. Como eu amo o mar! É isso.




Rafaela Valverde

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Creme Hidratante Manteiga de Karité - Kanechom

Comprei e usei o creme hidratante condicionante da Kanechom Manteiga de Karité de 1kg. Esse aí embaixo. Acho essa marca super bacana, pois têm ótimos preços e qualidade. Esse aí de um quilo eu comprei por menos de seis reais e gostei muito. Misturei com azeite de oliva extra virgem e fiz um banho de creme, deixando aproximadamente 40 min. com a touca laminada.


O resultado foi ótimo. Cabelo mais macio, hidratado, os cachos mais definidos e o melhor: menos frizz. Gostei muito desse creme. Não sei se o azeite de oliva ajudou, se deu um up na hidratação, mas ao longo do tempo eu vou saber e conto para vocês, ok? Sempre gostei e me dei bem com produtos de manteiga de karité.

A embalagem promete restauração total e informa que o creme hidratante condicionante possui queratina hidrolizada ( que eu não sei que diabo é , mas deve ser bom). O creme promete ainda vitalidade e hidratação e eu comprovo que isso ele realmente cumpre. Recomendo. É super baratinho e pode ser utilizado em qualquer cabelo. Além de durar muito.





Rafaela Valverde


quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Filme Assunto de meninas

Foto: Google
Ontem assisti o filme Assunto de meninas de 2001. Com Piper Perabo (muito boa!) que interpreta Paulie, uma adolescente órfã que vive em um colégio interno. O comportamento de Paulie não é um comportamento convencional, mas ela é bem aceita na escola, até o dia em que todos descobrem que ela e Tori, Jessica Paré são namoradas. Paulie e Tori dividem o mesmo quarto e o que um dia foi amizade se torna paixão.

Com a chegada de Mary, Mischa Barton, que é colocada no mesmo quarto das duas, a amizade das três se solidifica e só Mary sabe do segredo das duas meninas. Um belo dia, após serem pegas na cama pela irmã de Tori, elas se afastam. Tori passa a desprezar o amor de Paulie, que se revolta e passa a sofrer bastante, por não entender a amada.

Já Tori com medo do afastamento da família, resolve ignorar Paulie como namorada e passa a tratá- la apenas como amiga. Mesmo sabendo que ainda é apaixonada por ela. Tori também sofre, mas acha que é uma decisão necessária. Não tem coragem e não está disposta a enfrentar os pais e as outras pessoas. Com isso ela resolve sair com Jake e passa a namorá-lo.Paulie não suporta a ideia e passa a sofrer, fica ainda mais rebelde na escola e deprimida.  Se quiser saber como termina esse triângulo amoroso, vá ver o filme. No youtube tem. 

O filme traz ainda histórias de relações complicadas entre pais e adolescentes, as cobranças da sociedade, o questionamento de modernidade, já que Paulie diz para Tori que estamos no século XXI e que seus pais devem aceitar. Gostei muito do filme e recomendo. Final realista, forte, marcante.

Rafaela Valverde

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Eleições 2014 - meu último ano como mesária

Foto: Google
No último domingo, dia 05/10 eu participei da minha terceira eleição como mesária. Segunda como presidente de mesa, um cargo que implica muitas responsabilidades, mas decidi, lá mesmo na seção que essa será a minha última eleição. Após o segundo turno, eu só irei a minha seção para votar. É um trabalho árduo, não reconhecido e não remunerado. Mas eu gosto, eu gostei durante esse período todo, mas percebi que não dá mais.

Já fiz minha parte, já contribuí. As pessoas não são educadas com a gente, jogam a documentação na mesa, gritam, xingam, desobedecem as regras e fazem tudo que não pode. Nesse domingo tive alguns estresses, como um rapaz que não sabia onde era sua seção, xingou, gritou, que não ia votar para ladrão nenhum... enfim.

Depois uma senhora levou um monte de crianças para a cabine, informei que não era permitida a presença de tantas crianças na cabine eleitoral, mas ela não me ouviu e as crianças (umas cinco) votaram com ela. Deixaram santinhos na cabine, mesmo depois de eu ter dito que não era permitido. Se pronunciavam em voz alta sobre em quem votar, etc.

Tinha gente que queria votar sem documento de identificação, fazer bagunça mesmo. E por falar em documentos, esses são uma tragédia. As pessoas não cuidam de seus documentos. Teve gente que chegou com identidade preto e branco. Aquelas antigas mesmo, onde se via que a pessoa era bem jovem mesmo. Documentos se desmantelando, demonstrando uma total falta de zelo pelos próprios documentos. Imagine o voto?

Eu vi um rapaz se abaixar, pegar um santinho de um candidato qualquer do chão e levar para a cabine para votar. Uma vergonha, uma tristeza, na verdade. Fiquei triste, mas isso isso se deve também ao fato de o voto ser obrigatório. Não entendo "a festa da democracia", onde somos obrigados a ir votar. Tá ok, se não votarmos, pagamos uma multinha e tá tudo bem, mas e as outras coisas? Bolsas em faculdades, empregos, concursos públicos? Tudo isso exige a documentação de comprovação de regularidade eleitoral. É isso na minha opinião que é lamentável, pois leva as pessoas a não terem compromisso algum com o seu voto, fazendo muitas vezes com que todos nós paguemos o preço.



Rafaela Valverde

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Ócio positivo

Foto: Google
Incrível como estar sozinha, sem pensar em nada, em um ambiente tranquilo -mesmo que seja um shopping. O shopping estava ainda vazio e calmo. Sentei sozinha em uma das mesas da praça de alimentação e tomei um sorvete. Que prazer isso dá. Que momento incrível de ócio e solidão.

Depois de curtir meu sorvete, deu vontade de comer uma batata e fui na Bobs comprar. De novo sentei sozinha, mas dessa vez onde não havia ninguém por perto. E aí fiquei lá parada distraidamente comendo a batata, sem pensar em nada.

Depois disso andei ociosamente pelo shopping e isso me fez bem. Parece que limpou a mente. Poucas vezes me sinto assim dentro de um shopping. Mas hoje foi diferente, uma sensação diferente. Um ócio positivo, gostoso. Acho que foi uma hora mais ou menos, mas uma hora sozinha, em silêncio, sozinha comigo mesma, ouvindo apenas meus pensamentos.

Essas pequenas coisas que nos proporcionamos muitas poucas vezes são ótimas para a saúde mental. Só podem ser. Me senti mais leve, mais calma, mais satisfeita em estar só, usufruindo de um momento particular, raro e solitário. Uma solidão saudável e necessária, um luxo escasso e nada habitual em nosso dia a dia corrido, mas eu consegui hoje. Espero que tenha ainda mais oportunidades de ter momentos como esses.


Rafaela Valverde


sábado, 4 de outubro de 2014

Filme Imagine eu e você

Foto: Google
O filme é um romance, uma comédia dramática. Passado em Londres. Conta a história do casal Rachel (Piper Perabo) e Heck (Matthew Goode),que depois de um tempo juntos, resolvem se casar. No dia do casamento conhecem a florista Luce (Lena Headey) e logo surge uma amizade, principalmente da parte de Rachel que tenta aproximá-la de um amigo do seu marido, através de um jantar em sua casa.

Eles descobrem logo que a aproximação entre Luce e o rapaz não será proveitosa, já que como ela mesma revela, ela é lésbica. A partir desse momento, Rachel passa a ficar mais confusa e paradoxalmente passa a entender de onde vem a atração que sentira pela florista desde que a vira em seu casamento.

Ao longo dos dias, Rachel e Luce vão passando cada vez mais tempo juntas. Saem, passeiam e um belo dia acontece um beijo, dentro da floricultura de Luce.  Daí elas se convencem do que realmente está acontecendo entre elas. Rachel nega, e de forma confusa diz  a Luce que não pode ficar com ela e que não pode deixar seu marido e seu casamento com tão pouco tempo.

Heck descobre tudo e com isso vêm de vez os conflitos no casamento deles. Luce sai de cena, e viaja de férias, enquanto Rachel abre o jogo com os pais sobre o motivo desses conflitos. Eles se chocam de início ao saber que não é por um rapaz e sim por uma moça "como ela". Assim diz a sua mãe: "Mas ela é uma garota. Como Você Rachel". O que vem depois e o final eu não vou contar. Assistam, é bem legal.




Rafaela Valverde

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Palavras relacionadas

Foto: Google
Feminilidade
Frivolidade
Animosidade
Sociedade
Imposição
Anulação
Indagação:
O que é feminilidade?





Rafaela Valverde

Mundo efêmero

Foto Google
De repente o tempo passou, o cabelo cresceu, a roupa ficou menor, uma oportunidade surgiu outra apareceu. Portas se fecharam, mas janelas se abriram. A água evaporou, o que estava ruim melhorou, o que estava deslanchando recuou. O tempo passa, tudo muda. O tempo todo o ponteiro avisa que o que não muda não avança.

A tecnologia muda, a moda muda, os conceitos e opiniões mudam a todo momento. Não adianta tentar frear. Quando nos damos conta, aquela roupa que tanto gostávamos não entra mais em nossos corpos cada vez mais rechonchudos e sedentários. Vendo fotos é que conseguimos ver o quanto mudamos em poucos dias, em poucos meses.

Os anos passam, a gente envelhece. O celular e o computador que tínhamos no ano anterior, não servem mais, ficam pesados. A gente fica pesado, alguns relacionamentos com determinadas pessoas pesam e somos obrigados a descartá-los. É esse o nosso modo de viver! Efémero, tosco, vazio. Mas a gente gosta, a gente tolera, a gente colabora. E assim vamos caminhando, mudando, passando, descartando e se jogando...



Rafaela Valverde



quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Outubro chegou!

Foto: Google
Outubro chegou. O ano está quase na reta final e a gente passa a perceber o que fez e o que não fez ao longo desses dez meses. As metas de início de ano já caíram por terra há muito tempo, ninguém mais lembra do que prometeu quando 2013 se foi... Agora é hora de pensar no verão, nos feriados (escassos esse ano!), nas festas de final de ano, etc. No final de outubro, algumas empresas já enfeitam suas fachadas com temas natalinos e tudo se volta para esse período.  

Eu adoro esse período, vem o verão, praias, sol. Os dias bonitos e quentes voltam e somos presenteados com céus muito azuis e lindos pores-do-sol. O que vale a pensa ser lembrado é o que foi feito e o que ainda falta fazer no ano. Ainda dá tempo. Temos uns cinquenta e oito dias aproximadamente. Eu agora vou curtir um pouco mais, infelizmente ontem fui demitida e comecei o mês de uma forma diferente.

Eu não queria sair. Pelo menos não sem nada a vista mas já que aconteceu, vou receber o seguro desemprego, curtir o verão e procurar alguma coisa melhor que dê para conciliar com a faculdade. É isso mesmo, vida que segue. Conheci e estou convivendo com ótimas pessoas, fiz amigos maravilhosos nessa empresa e já tenho poucos e maravilhosos amigos, que estarão comigo nesse clima de verão que se inicia. 


Rafaela Valverde



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...