quinta-feira, 31 de maio de 2012

Percepção de uma vida normal

Há quase quatro anos entrei nesse mundo blogueiro. "Oh Deus, me ajude!" Eu disse. Por que eu sabia que não ia ser fácil, ia demandar tempo, dedicação e desprendimento de histórias, de coisas que deveriam ser apenas minhas. Mas fui em em frente e decidi criar o blog. Não porque eu eu queria que alguém lesse. Não, não tinha essa pretensão. Só queria transferi o meu diário físico que eu escrevia todas as noites quando ninguém podia ver. O blog tinha como domínio o meu próprio nome e era muito mais primitivo do que é hoje.

Contava basicamente a história da minha vida e narrava os meus dias vazios de uma menina de 19 anos que havia acabado de sair do ensino médio, estava sem emprego e sem rumo. Era mais triste e mais solitária, apesar de ter um namorado maravilhoso, que hoje é o meu marido, amor da minha vida. Porém não tinha amigos, não tinha com o que me ocupar e isso me deixava doida. Era a única da minha casa que não fazia nada, além de apenas ficar em casa ouvindo rádio, navegando na internet, LENDO MUITO e procurando emprego. 

Hoje eu vejo: vivia uma vida vazia e insalubre, sem graça e desmotivada. É uma pena que essas postagens não aparecem mais, por causa da mudança do domínio. Algumas pessoas podem pensar que coisas ruins da nossa vida, agente tem que esquecer mesmo, mas eu não penso assim. Penso que as coisas tristes, ruins e desesperadoras das nossas vidas devem ser lembradas isso sim, para que não voltemos para ela. 

"Sabe há dois anos atrás eu tava tão infeliz." Eu pensei ontem. Pois é exatamente ontem. Me lembre de como estava ruim, e de como melhorou. É claro que ainda não cheguei na dimensão em que quero chegar, mas dou graças por estar vivendo a vida que eu vivo hoje, que me dá a condição de estudar, de amar tão intensamente alguém, de saber coisas que eu não sabia, de estar em busca do conhecimento e de amadurecer a cada dia com as pancadas da vida.

Tirei essa essa semana para refletir um pouco sobre o passado e coincidentemente recebi a tarefa de escrever sobre ele aqui no curso de Museus Virtuais. Hoje de manhã pensei que alguém me disse assim: "Ah, você sonha muito alto!"  E o que eu pensei na época é a mesma coisa que eu penso hoje quando me lembro dessa pessoa. Afinal de contas, existe alguém capaz de definir o que é importante para o outro sonhar? Existe alguém que possa tirar a gente do nosso foco, se a gente não quiser sair dele? Não! Eu pensava alto antes e vou continuar pensando, para que  a minha vida não volte a ser vazia como era antes. Eu encho até transbordar, mas esvaziar novamente, eu jamais vou fazer!

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Uma Palmada Bem Dada - Cecília Meireles

Gente, para fechar o mês eu trago esse poema de Cecília Meireles que é a minha cara. Adoro esse poema. Provavelmente eu não devo aparecer aqui amanhã, ao não ser que seja pelo curso de museus que vou amanhã. Não estou muito bem, dor de cabeça e de garganta. Se deliciem com esse poema. 
É a menina manhosa
Que não gosta da rosa,
Que não quer A borboleta
Porque é amarela e preta,
Que não quer maçã nem pêra
Porque tem gosto de cera,
Porque não toma leite
Porque lhe parece azeite,
Que mingau não toma
Porque é mesmo goma,
Que não almoça nem janta
porque cansa a garganta,
Que tem medo do gato
E também do rato,
E também do cão
E também do ladrão,
Que não calça meia
Porque dentro tem areia
Que não toma banho frio
Porque sente arrepio,
Que não toma banho quente
Porque calor sente
Que a unha não corta
Porque fica sempre torta,
Que não escova os dentes
Porque ficam dormentes
Que não quer dormir cedo
Porque sente imenso medo,
Que também tarde não dorme
Porque sente um medo enorme,
Que não quer festa nem beijo,
Nem doce nem queijo.
Ó menina levada,
Quer uma palmada?
Uma palmada bem dada
Para quem não quer nada!

Epigrama by Wikipédia

Olha o que eu descobri hoje: Epigrama.
Não sabia o que era, mas hoje ouvi um comentário na rádio Metrópole falando sobre e fui pesquisar.


Epigrama

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Epigrama (Gregoἐπί-γραφὼ, literalmente, "sobre-escrever"), é uma composição
poética breve que expressa um 
único pensamento principal, festivo ou satírico, de forma engenhosa.
O Epigrama foi criado na Grécia Clássica e, como o significado do termo indica,
era uma inscrição que se punha
 sobre um objeto - uma estátua ou uma tumba, por exemplo.
Os epigramas sobre as tumbas formaram uma classe à parte e se denominaram Epitáfios ou 
Epicédios, designando um poema engenhoso que tinha a característica de ser breve, para poder
 passar por rótulo ou inscrição.
A maioria dos epigramas gregos pode ser encontrada na Antologia Palatina. Além dos gregos,
 destacaram-se na composição de epigramas os romanos Catulo e Marco Valerio Marcial.

Cquote1.svgOdi et amo. Quare id faciam fortasse requiris.
Nescio, sed fieri sentio, et excrucior.
(Eu a odeio e a amo, não me perguntem porque.
É a maneira que sinto. Isto é tudo e lastimo).
Cquote2.svg
— Catulo

O CD de Aldemário Coelho. Consegui!

Olha só minha gente, ontem quando eu cheguei em casa, já de noite já que ontem foi o dia da minha monitoria. Eu esqueci de contar isso aqui. A minha monitoria é de História e cultura afro- brasileira e africana e é dia de terça feira à noite em uma turma doo terceiro semestre com o professor Gilmário. Sim, mas voltando ao assunto quando eu cheguei em casa descobri que a história do cd de Aldemário Coelho foi séria, inclusive com várias reclamações na Rádio Metrópole e demissões no grupo Correio. Faltou CD, por que segundo eu soube, alguns vendedores desviaram os mesmos. Não fui confirmar se a história é verdade, mas é o que eu sei. Puxa como sou tapada, o que eu quero dizer é que eu ganhei o CD. Meu pai conseguiu comprar, por 1,00 ao invés de 0,50 e comprou um para mim. Fiquei super feliz! Já que eu não tinha conseguido comprar o meu. Estou escutando nesse momento e o forró pé de serra é uma delícia, chega sinto o cheirinho de terra e me imagino dançando. É uma pena que esse ano novamente não irei viajar para curtir o São João, mas eu adoro essa festa. Bom é isso. Volto daqui a pouco. Curtam o blog no Facebook, o link está na parte superior do bloguinho. FUI!

Me desculpando e bola para frente!

Ontem pela manhã escrevi um post sobre a minha reação diante de comportamentos diversos de pessoas que tentavam adquirir um jornal, mais especificamente, o Correio. Esse jornal já vinha anunciando há semanas sobre ganhar um brinde ao adquirir o jornal hoje, dia vinte e nove.Esse brinde é um cd do cantor de forró Aldemário Coelho e anteriormente teve essa mesma campanha para uma outra banda de forró Cangaia de Jegue. Pois bem, expressei a minha opinião sobre a reação das pessoas ao fazer a compra do jornal. Creio que ao me pronunciar ou fui mal interpretada ou me equivoquei mesmo na forma em que falei. E por isso gostaria de me desculpar, diante de todos os meus leitores.

Reconheço que às vezes tenho uma escrita um pouco agressiva condizente com as minhas atitudes pessoais, mas nesse caso não foi a intenção. Peço desculpas mais uma vez se nessa ou em outras postagens eu porventura ofendi alguém, ou demonstrei algum tipo de discriminação ou preconceito. Quero deixar bem claro que não tenho nada contra o artista citado. Muito pelo contrário, cresci ouvindo esse forró genuinamente nordestino e de boa qualidade que não se compara a alguns forrós que são produzidos hoje. Por outro lado também não tenho medo de falar o que eu penso, até por que o país já é livre há muito tempo e se eu não gostar de algum artista ou de qualquer outra coisa eu vou falar sim. Mas esse não é o caso e estou aqui voltando atrás se eu disse alguma besteira antes.

O que eu quis fazer foi chamar a atenção para a nossa facilidade enquanto seres humanos, brasileiros, baianos e soteropolitanos para nos mobilizarmos coletivamente para muitas coisas, enquanto o nosso estado e nossa cidade caem aos pedaços a olhos vistos e a nossa mobilização em relação a isso não é a mesma.Não vou entrar em detalhes nesse discurso para não me tornar repetitiva, pois essa já é uma fala constante minha aqui.

Para concluir esse assunto  eu quero dizer que nenhum de nós seres humanos somos isentos de preconceitos, de PRÉ- CONCEITOS, que significam literalmente ideias pré- concebidas sobre algo ou alguém que não se conhece bem ou nada. Tirar conclusões e julgar o que não se conhece. Isso é humano! Todos nós temos os nossos PRÉ- CONCEITOS por menores que sejam. O problema, em minha opinião é o uso que damos a esse preconceito, como agimos diante e em prol dele. Como o usamos e se o usamos.Defendo o não uso dos preconceitos para machucar, maltratar e agredir ninguém. Essas reações extremas em relação ao que se não conhece ou ao que se conhece pouco eu nunca fiz e nunca vou fazer, por que eu procuro conhecer as coisas antes, experimentar.

terça-feira, 29 de maio de 2012

Histeria por causa de um jornal (Correio) e um CD (Aldemário Coelho)

Hoje saí como de costume, as cinco e meia para vir para a UNEB. E ainda cheguei atrasada. Pois bem, o que quero falar é sobre a cena que presenciei na Estação Pirajá. Há algumas semanas, um jornal popular Correio, vem anunciando que hoje junto com o jornal que custa 0,50 centavos, viria um CD do canto Aldemário Coelho, de forró. Chguei lá às seis e já alguns vendedores de jornal, não tinhma mais o tal CD e próximo a fila, em que eu estava há um vendedor de café que também vende esse jornal. O que vi foi um conglomerado de pessoas que pareciam malucas gritando e fazendo bagunça e empurra- empurra, para ver quem ia comprar o CD primeiro. Um horror. Parecia um monte de animais predadores em cima da presa. Logo apareceram dois polícias que ficaram observando a cena e em seguida foram tentar organizar a "fila". Estava uma loucura.
 
Não pude deixar de pensar em como as pessoas perdem tempo com coisas idiotas. Coisas sem nenhuma importância. Há de aparecer pessoas para dizer que aquilo, aquela cena grotesca por causa de um cd, era importante para aquelas pessoas, mas eu discordo totalmente. Assim como discordo da realização de uma copa do mundo caríssima em um país onde não dá uma mínima qualidade de vida para a maioria de sua população. Pelo menos eu não percebo que eu tenho a qualidade de vida adequada.

Sinceramente eu acho que temos mais o que fazer, e coisas mais importantes com o que nos preocupar, mas nós em nosso "coma coletivo" não estamos enxergando. No exato momento  em que observei a cena pensei que se fosse para doar sangue ou para doar uma mísera garrafinha de água mineral para os sertanejos baianos ninguém estaria naquela agonia toda. Ou então se fosse para fazer algum tipo de protesto ou manifesto, ninguém se interessaria, mas como é para fazer uma coisa super importante, comprar um jornal para vir vom um c de foró (Oh que coisa importante!!) aí todo mundo se move, grita, se comove e fica histérico. Ao mesmo tempo em que vi essa cena e pensava essas coisas, enquanto esperava senti a falta de educação até dessas próprias pessoas que estavam lá "implorando" por um cd. Pois é essas pessoas passavam pelas filas e várias passaram atrás de mim, na fila, empurrando, sem ao menos pedir licença. E eu pensava: "Quem tem boca para gritar em prol do Bahia ou do Vitória e para conseguir um cd, não tem boca para pedir um imples licença?" Nos transformamos mesmo em selvagens!

Pensei que algum meio de comunicação desse, uma TV, ou um jornal, poderia ao invés de apenas dar um cd, ajudar aos sertanejos baianos que estão sofrendo com a maior seca dos últimos 40 anos e doar, junto com os compradores mais assíduos e assinantes do jornal, garrafinhas ou copos e água mineral para essas pessoas que estão sofrendo com os efeitos da seca. Não resolveria o problema, é óbvio, porém ajudaria a ter uma água com mais qualidade para beber, coisa que é essencial na vida humana. Mas nesse caso, acho que ninguém se interesaria e nem faria o escândalo que eu presenciei hoje, pois afinal de contas não iriam ganhar nada mesmo.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...