sábado, 31 de março de 2012

EJA

Essa semana fui para um seminário de EJA, na UNEB. Foi um bom seminário, cujo tema foi: "EJA. Formação de professores: do currículo à práxis pedagógica. O foco de uma das pesquisas foram as quatro escolas exclusivas de EJA em nossa cidade. Consegui anotar o nome de três dessas quatro escolas:
-Escola Marco Antônio Veronese
-Escola Hamilton de Jesus Lopes
-Escola Magalhães Neto
 As pesquisas foram realizadas nessas instituições. Algumas coisas que consegui anotar sobre a pesquisa:
- Houve uma crescente demanda na oferta de EJA, nos últimos anos.
- Maioria sexo feminino (Faixa etária- 18/29 anos)
Entendimento sobre a EJA:
a) Alternativa para a escolarização de indivíduos que não tiveram acesso à educação mo tempo considerado adequado;
b) Estudantes trabalhadores.
Outras informações que consegui pegar:
- Ausência de critério de perfis para a alocação de pessoal docente para o trabalho em EJA.
- Insuficiência de carga horária de formação.
- Insuficiência de recursos.
- Metodologias nem sempre adequadas à EJA, reproduzindo práticas consideradas do ensino seriado.
- Nem sempre há compatibilidade entre a proposta pedagógica e as diretrizes da EJA. "Certa" dificuldade em organizar a proposta pedagógica.
- Materiais desarticulados dos referenciais e proposição didático- pedagógicas para o público de EJA.
Essa pesquisa foi realizada pelo profº João Marciano Neto.

Nesse seminário houve um relato de experiência de uma professora que é alfabetização do TOPA. Ela é voluntária e possui apenas o ensino médio. Consegue desenvolver um bom trabalho porém acredito que deve haver uma formação maior que essa para estar em sala de aula, em qualquer modalidade, principalmente em EJA. Nesse semestre tive um contato maior com essa modalidade de ensino que me ensinou tanta coisa e me abriu um leque de possibilidades em minha vida acadêmica. Tenho um carinho especial por EJA e entendo que é uma modalidade que necessita de muita luta ainda, apesar das conquistas já alcançadas. Com certeza quero fazer parte dessa luta.

Ampliação da Banda Larga. Estamos precisando!

Para ampliar o acesso da população à internet de alta velocidade, o país deve investir em novas formas de acesso à rede, como o telefone móvel e o televisor, além de oferecer planos de internet pré-paga, tarifas diferenciadas e investir na capacitação da população. Essa é uma das conclusões do estudo Panorama da Comunicação e das Telecomunicações no Brasil 2011/2012, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em parceria com a Federação Brasileira das Associações Científicas de Comunicação (Socicom).

Segundo o artigo do pesquisador Rodrigo Abdalla Filgueiras do Ipea, a atual política de desoneração de tributos para computadores pessoais não é suficiente para aumentar o uso de computadores em domicílios aos patamares almejados pelo Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

“Novas formas de acesso – em especial o telefone móvel e o televisor – devem ser consideradas como opções de acesso à internet pela população de baixa renda e, consequentemente, na política de desoneração fiscal. Além disso, mais telecentros públicos devem ser colocados à disposição da população como forma complementar de acesso à internet”.

O pesquisador também disse que a capacitação da população avança em ritmo mais lento que o desejado pelo PNBL e aponta a necessidade de estimular a criação de novos cursos e ampliar vagas nos já existentes, utilizando, por exemplo, o Sistema S.

Em relação ao pagamento pela internet banda larga, o pesquisador sugere que seja ampliada a oferta de planos pré-pagos e de preços fracionados para acesso à internet. Segundo ele, em vez de planos mensais, é necessário oferecer acessos por faixas de horário ou capacidade de tráfego. “A inclusão digital das famílias na base da pirâmide também depende da criação de modelos de negócios inovadores, condizentes com sua disponibilidade de renda”.



Outro artigo do estudo, escrito pelos pesquisadores do Ipea Rodrigo Abdalla Filgueiras de Sousa e Carlos Roberto Paiva da Silva, sugere o uso de satélites na formação da infraestrutura de comunicação do país, especialmente para a expansão da banda larga. “Um país de tamanho continental, como é o caso do Brasil, não pode prescindir do uso do satélite na formação de sua infraestrutura de comunicação”.





Fonte: http://www.radiometropole.com.br/noticias/index_noticias.php?id=VDBSUmVrMVVhejA9

sexta-feira, 30 de março de 2012

Poema de Pablo Neruda

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Escrever, por exemplo: "A noite está estrelada,
e tiritam, azuis, os astros lá ao longe".
O vento da noite gira no céu e canta.

Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Eu amei-a e por vezes ela também me amou.
Em noites como esta tive-a em meus braços.
Beijei-a tantas vezes sob o céu infinito.

Ela amou-me, por vezes eu também a amava.
Como não ter amado os seus grandes olhos fixos.
Posso escrever os versos mais tristes esta noite.
Pensar que não a tenho. Sentir que já a perdi.

Ouvir a noite imensa, mais imensa sem ela.
E o verso cai na alma como no pasto o orvalho.
Importa lá que o meu amor não pudesse guardá-la.
A noite está estrelada e ela não está comigo.

Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe.
A minha alma não se contenta com havê-la perdido.
Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a.
O meu coração procura-a, ela não está comigo.

A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores.
Nós dois, os de então, já não somos os mesmos.
Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei.
Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido.

De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos.
A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos.
Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda.
É tão curto o amor, tão longo o esquecimento.

Porque em noites como esta tive-a em meus braços,
a minha alma não se contenta por havê-la perdido.
Embora seja a última dor que ela me causa,
e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo.
Pablo Neruda

quinta-feira, 29 de março de 2012

Minha cidade é linda demais. As pessoas é que não são!

Hoje é aniversário de nossa cidade. Lamento entrarmos mais um ano sem ter muito o que comemorar. E lamento principalmente sermos nós os responsáveis por tudo isso. Nós jogamos lixo em nossa cidade, poluímos mares e rios, não impomos limites a nossos filhos, não respeitamos o direito do outro, fazemos xixi nas ruas, bebemos e dirigimos, alguns de nós financiamos o tráfico de drogas usando as mesmas e até comprando produtos falsificados e piratas que servem como lavagem de dinheiro de tráfico, etc. Sabemos que o tráfico é um dos motivos da grande violência em que vivemos hoje, então se há quem o financie e ressalto que não é só através da compra de drogas, há quem financie a violência também. E o pior de tudo que fazemos: votamos errado. Se bem que estamos ficando cada vez mais sem opção, mas esse poder está em nossa mão. Se não votarmos em ninguém não há gente ruim eleita certo? Pois é nós é que destruímos nossa bela cidade dia após dia, com nossas atitudes imbecis. Sabe sinto muita pena de nossa cidade e da gente mesmo, quando vejo a situação em que nós encontramos e quando vejo que tem gente que não está nem aí para nada. Que vive sua vida, sustenta o sistema e pouco se importa com o que está ao seu redor, com o social, com o ambiente, com as pessoas que estão do seu lado. Estamos cada vez mais egoístas, violentos, incompreensivos, inflexíveis, mal educados, etc. E isso parece um círculo vicioso infinito. Pois os pais vão passando como herança para seus filhos, uma cultura de lixo e falta de educação. Aí ouço uns discursos que dizem que o governo não dá educação ao povo, mas não só de educação formal vive o homem, digo educação formal, aquela da escola do professor. Sabe a educação acontece em diferentes locais, e principalmente em casa e isso eu não estou vendo os pais dar aos filhos. Meus pais nunca tiveram essa escolaridade toda não e me passaram, a mim e a minha irmã, valores éticos, morais, a noção do certo e do errado, como falar com as pessoas, respeito, educação, gentileza. Obrigada, por favor, licença, bom dia, boa tarde, boa noite, etc. E isso se reflete hoje em nossas vidas. Ao entrar e sair do ônibus é bom dia e obrigada. E é assim que deve ser. O bom senso deve imperar nesse momento! Mas como falar em bom senso em valores morais, éticos e educacionais, se o que vemos são os próprios pais entrando em ônibus sem pagar e os filhos vendo, mandando o filho furar fila em estações de transbordo, incentivando o filho a desrespeitar as outras pessoas e fazer xixi no meio da rua. É só essa sujeira que tenho visto em nossa querida cidade. Cabe a nós também e não só aos governantes cuidar bem dela.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Batom 232 Intense - O boticário

Comprei o batom 232 intense da Boticário. Usei hoje. Ele é lindo, deixa um aspecto natural no rosto, e tem uma textura maravilhosa. Amei!

Mini coletânea de livros para ler

Estou fazendo uma lista de livros para ler. Eu vou ler se não todos, pelo menos vou ler alguns. Cada vez vou acrescentando alguns. Vou compartilhá- la com vocês:


LIVROS PARA LER (ACADÊMICOS DA EDUCAÇÃO OU NÃO- ACADÊMICOS)

1- Crise do Estado e crise da educação: influência neoliberal e reforma educacional. {Ed. Educação e Sociedade} Márcio da Costa

2- Políticas educacionais no Brasil: desafios e propostas
{Caderno de pesquisa} Osmar Fávero

3- Escola e cultura. As bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar
{Artes médicas} Jean Claude Forquin

4- O novo paradigma de desenvolvimento: educação, cidadania e trabalho
{Educação e Sociedade} Vanilda Paiva

5- Práticas pedagógicas, profissão docente e formação – perspectivas sociológicas
{Dom Quixote} Phillippe Perrenoud

6- Ousadia no diálogo  -  Interdisciplinaridade na escola pública
  Loyola

7- A ética na educação infantil-  Rheta Devries e Betty Zan

8- Educação como exercício do poder  --- Crítica ao senso comum em educação
{Cortez} Vitor Henrique Paro

9- Escolas e mudança: O papel  dos centros de formação - Rui Canário, Abílio Amiguinho (orgs)

10- Práticas interdisciplinares na escola {Cortez} Ivani Fazenda

11- Educação e a crise do capitalismo real {Cortez} Gaudêncio Frigotto

12-Pedagogia e pedagogos, para quê? {Cortez} José C. Libâneo

13- O capital -   Karl Marx

14-A  formação reflexiva de professores, ideias e práticas – Kenneth M.Zeichner

15-Significado e sentido do trabalho docente – Itacy Salgado Basso

16-Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido
{Paz e terra} Paulo Freire

17-Formação docente e profissional: formar- se para a mudança e a incerteza
{Cortez} Francisco Imbemón

18- A prática pedagógica dos alfabetizadores de jovens e adultos: contribuições de Freire, Ferreiro e Vygotsky  -  Tânia Maria de Melo Moura (EDUFAL)

19-Sete lições sobre educação de adultos  - {Cortez} Álvaro Vieira Pinto
20-Os fios invisíveis da produção capitalista:informalidade e precarização do trabalho  {Cortez}  Maria Augusta Tavares

21-Administração colegiada na escola pública – Maria de Lourdes M. Prais

23- A aula: Espaço de conhecimento, lugar de cultura  - Sônia T. de Sousa Penin

24- Avaliação na escola de 1º grau: Uma análise sociológica – Menga Ludke e Zélia Mediano

25- O bom professor e  sua prática -  Maria Isabel da Cunha

26- Capitalismo e escola no Brasil – Maria Elizabete S.P Xavier

27- Conhecimento educacional e formação do professor – Antônio Flávio B. Moreira

28- Currículo e programas no Brasil -  Antônio Flávio B. Moreira

29- Educação, cultura e criança – Carmen Maria Aguiar

30-Educação e qualidade – Pedro Demo

31-Escola fundamental: Currículo e ensino – Ilma Veiga e Maria Helena  Cardoso

32-Formação e prática do educador e do orientador – Vera Mª de Souza Placco

33- Infância e linguagem- Baktin, Vygostky e Benjamin – Solange Jobin e Souza

34- A linguagem e o outro no espaço escolar: Vygotsky e a construção de conhecimento – Ana L Smolka e Maria Cecília R de Goes

35- Pedagogia do risco  Silvio Gallo

36-Pedagogia dos conflitos sociais – Oder Jose dos Santos

37- Política social, educação e cidadania- Pedro Demo

38-Professor: agente da  educação - Renato Luiz Wenzel

39- O professor em construção- Maria da Glória Pimentel

40- Qual sua formação, professor?- Ana Cristina B. de Oliveira

41- Relações de poder no cotidiano escolar – Lucia Maria Gonçalves de Resende

42- Sou professor, sim senhor! – Aparecida Neri de Souza

43- Violência e educação - Regis de Morais

44-As cem linguagens das crianças - Carolyn Eduards, Leila Gandini e George Forman

45- O diálogo entre o ensino e a aprendizagem - Susan Stainback e Wilian Staiback

46-Estratégias de leitura – Isabel Sole

47-Ler e escrever na escola: O real, o possível e o necessário – Delia Lerner

48-A construção do pensamento e da linguagem – L. S. Vigotsky

49-Psicopedagogia da linguagem escrita – Ana Teberosky

50- A criança e o número- Constance Kamil

51-O desenho cultivado da criança: Prática e formação de educadores- Rosa Tavelberg

52- A política -  Aristóteles

53- A didática Magna – Tratado da arte de ensinar tudo a todos – J. A. Comênio

54- A formação do símbolo na criança – Jean Piaget

55- A formação social da mente – L.S. Vygotsky

56- Ou isto ou aquilo- Cecília Meireles

57- A educação infantil e as implicações pedagógicas no modelo histórico- cultural-Ana Beatriz Cerisara

Brincar e suas teorias.

Estou lendo o livro O brincar e suas teorias. Ele traz pensadores como Dewey, Froebel, Wallon, Vygotsky, Bruner entre outros. Esse livro traz o ato de brincar pensando sob as teorias sócioantropológicas, filosóficas e sociológicas. Na primeira teoria há a discussão do brincar dentro da cultura lúdica da criança e o que ela absorve da sociedade durante esse período da infância. Imitação do adulto, imitação do que vê, mas de uma forma personalizada dentro do seu entendimento, da sua leitura das coisas. O pensamento da criança é único! O brincar visto pela teoria filosófica é bem mais teórico e sério. Traz Dewey que se pronuncia "Dúi". Ele traz o caráter religioso também e filosófico. Trazendo a sabedoria para o brincar e como o jogo desenvolve todos os aspectos que a criança precisa para crescer e de tornar uma adulto saudável física, cognitiva e mentalmente. Ainda estou lendo aa parte das teorias psicológicas, mas esse traz bastante as teorias de Vygotsky. Após o término da leitura trago mais informações sobre esse livro rico de informações sobre esse universo tão complexo que é a infância. O fato é que não existe infância sem o ato de brincar. Nós com o nosso adultocentrismo egocêntrico devemos valorizar a criança e o seu momento de brincar, pois é ali que se dá o desenvolvimento emocional, cognitivo, psicológico, físico etc.

terça-feira, 27 de março de 2012

Nem tudo é fácil- Cecília Meireles


É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas...
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o...
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga...
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar
alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça...
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível
Precisamos acreditar, ter fé e lutar
para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos,
realidade!!!

Fonte: http://pensador.uol.com.br/cecilia_meireles_poemas/

segunda-feira, 26 de março de 2012

Dando o ar da graça!

Agora decidi que não vou fazer um trabalho. Terei que aguentar as consequências disso. Já bastou o final de semana refazendo o trabalho de Ludicidade e Educação, que eu perdi. Nem fui fazer a prova do concurso do Banco do Brasil. Fiquei a tarde toda fazendo o trabalho e não consegui terminar, só terminei hoje de manhã. E por falar em hoje de manhã, que caos está implantado em nossa cidade, heim? Hoje um engarrafamento monstro travou a BR324 por horas. Eu que saio cedo, cheguei na UNEB 09:00 da manhã. Que saco! Pelo menos tava sentada, mas no sol.  Não temos qualidade de vida nessa cidade, viu? Violência, caos no trânsito, sujeira lixo, celulares e caixas de som nos ônibus... bom isso eu já estou cansada de dizer, não vou ficar repetindo disco. O fato é que a nossa rotina nos frustra nos cansa e nos estressa.
Agora estou aqui vendo Avenida Brasil. Estou gostando muito. E essa atriz que interpreta Rita. Atriz mirim show! Fotografia boa, textos, tramas... João Emanuel Carneiro bombando novamente, depois de A favorita que eu amei.
Bom é isso, como minha internet está uma porcaria vou sair.

sábado, 24 de março de 2012

Cabelo, cansaço, tecnologia e Final de semestre

Fiquei alguns dias ausentes eu sei, mas estou de volta firme e forte. Fiquei sem net. *@#$%¨¨! O modem 3G quebrou de novo e tivemos que comprar outro. Sim, mas o fato é que estou aqui. Sabe o que aconteceu comigo ontem? Eu com a minha típica burrice, e depois de já ser tão experiente na UNEB, enfiei meu pen- drive em um daqueles computadores bichados e me dei mal. Já tinha acontecido isso comigo no primeiro semestre, e eu nunca mais tinha feito essa besteira, mas estou tão azoada ultimamente que esqueci completamente e fiz a burrada novamente. Ultimamente quando tenho apresentações levo o notebook e dele faço as projeções para apresentar. Só que me passei mesmo, não vou ficar me lamentando. Tinha que acontecer! Algum vírus transformou minhas pastas em atalhos @ tecnologia maldita @. Entrei em desespero. Um eu tinha salvado no note, mas o outro NÃO!  Pois bem, o trabalho é para segunda feira e tive que recomeçá-lo ontem! Estou muito cansada esses dias. Final de semestre FDP! Nem vou fazer a prova do Banco do Brasil  amanhã. Primeiro por causa do transporte e segundo por que tenho que finalizar esse trabalho. E por último estou realmente me sentindo cansada. Como eu não paguei a prova mesmo, então não perdi dinheiro. O estudo não foi perda de tempo. Não penso assim. Estudo, conhecimento é sempre bem vindo! Mas ainda bem que o semestre está acabando. Ai, ai esse calendário doido da Universidade do Estado da Bahia. Mas vou superar mais esse obstáculo se Deus quiser. Quero dizer que estou muito contente por que depois de quase seis meses sem relaxar o cabelo consegui ir no salão hoje. O cabelo está maravilhoso. Estarei de volta logo mais. Estou andando muito no facebook e twitter agora. 
Amo cabelo liso

domingo, 18 de março de 2012

Fatos verídicos de cada dia

Ando pela nossa cidade, de ônibus e a pé mesmo. Mais de ônibus é claro, infelizmente. Sou muito observadora e observo cada coisa. Situações corriqueiras, pequenas que raramente alguém prestaria atenção, mas eu presto. O fato é que perdemos de vez a compostura. Perdemos o respeito ao outro. Noção de cidadania não existe em nossa cidade. Nos comportamos como bichos em determinadas ocasiões. Sabe aquele bicho faminto e irracional que age por instinto para se proteger, ou não. Vejo pessoas dentro de ônibus quase se engalfinhando por causa de um assento, vejo invasões de fila para entrar em ônibus, com porrada e empurra- empurra. Vejo bate bocas, empurrões, agressividade gratuita, e uma falta de respeito enorme, com a imposição de gosto musical. Antes eram os celulares tocando músicas dentro dos ônibus, agora são caixas de sons enormes e potentes, alimentadas por uma bateria recarregável e com um pen- drive arquivando as músicas. Passamos verdadeiros infernos dentro dos ônibus e sequer percebemos. Pois é as pessoas estão alheias a todo abuso que somos submetido todos os dias. Considera- se normal, esse tipo de coisa. Parece que quem faz é isso está certo e nós é que estamos errados. No ano passado fui até ameaçada e xingada dentro de um micro-ônibus por reclamar de um celular com som alto me atrapalhando de ouvir o meu fone de ouvido. Pois é, eu senti exatamente isso ele está certo e eu estou errada. Mas é esse sentimento que deve ser combatido. Não devemos considerar isso normal, absurdos como esses e outros sendo cometidos em ambientes públicos, pois se é público, então é de todos. Afinal o meu direito termina quando começa o direito do outro começa. Educação em casa e na escola, faz falta nesse momento, pois é aí que percebemos em nossa população, a carência da educação, de valores éticos e morais e valores de cidadania. O que deve ser feito agora é salvar a próxima geração, mas também percebo que o círculo vicioso está interminável, pois essa cultura vai sendo passada de pai para filho e aí vira uma coisa banal e consequentemente incontrolável.

quinta-feira, 15 de março de 2012

O desafio de se manter motivado no trabalho

Hoje quero falar sobre trabalho. É sabido que todos nós seres humanos necessitamos manter nossa sobrevivência e precisamos trabalhar. Porém com as condições de trabalho que às vezes somos obrigados a conviver fica difícil estarmos satisfeitos com o nosso emprego. Sempre vemos e ouvimos casos de pessoas que odeiam seus chefes, seus empregos e mal vêem a hora de se livrar deles.  Eu estou muito desanimada profissionalmente. Gostaria de um emprego que realmente fosse significativo em minha via, que não fosse tão repetitivo, monótono e sem desafios. Mas o que posso fazer? Não posso ficar sem trabalhar no momento, me sinto sem opção, encurralada. Acho que todas as pessoas que permanecem no emprego sem a menor vontade, é por causa da necessidade financeira mesmo. Acho não, tenho certeza. Podemos ler sobre as relações de trabalho nos escritos de Marx que discorre sobre a relação humana e social com o trabalho. Como o trabalho é o meio de subexistência da humanidade e através dele, se desenvolvem as relações capitalistas, socialistas e humanitárias. Sabemos também que há contradições no sistema trabalhista brasileiro, pois conquistamos alguns direitos inexistentes em vários países, porém convivemos com subempregos, arrochos salariais, desigualdade entre salários de homens e mulheres, negros e brancos, com salário mínimo baixo em relação aos índices inflacionários e da qualidade de vida necessária. Fora a falta de fiscalização a empresas. Estas mesmas que recolhem INSS do trabalhador e não pagam o benefício, não depositam FGTS, atrasam salários, realizam assédio moral, humilham, não oferecem planos de saúde, etc. São muitas falhas, que nos deixam desmotivados, cansados e desanimados do nosso trabalho, sem ter vontade nem de estarmos lá. Não acredito que a motivação para o trabalho, deva vir apenas de nós. Talvez sim para os estudos, sim para a vida, mas não para o trabalho. O estimulo e a motivação do trabalhador deve ser cultivada todos os dias do ano.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Desejos - Carlos Drummond de Andrade (Dia da poesia)

Hoje é dia da poesia e gostaria de deixar aqui um das poesias de Carlos Drummond de Andrade. Esse é especial, de verdade. Desejo à vocês.


Desejo a vocês...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho.
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender um nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas de alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel
E muito carinho meu. 

Rímel não vivo mais sem ele

Desculpem se me excedi um pouco na última postagem, mas não tolero babacas como esses.
Mas hoje quero falar de assunto muito melhor que isso. Quero falar sobre uma paixão feminina: O rímel. É, essa mascarazinha é a nossa salvação em muitos casos não é? Levanta o olhar, dá um charme, eu amo. Nós mulheres amamos tanto essa máscara que já ouvi algumas dizerem que não existe mulher feia, e sim mulher sem rímel. Geralmente compro dois. Um incolor para as sobrancelhas (o efeito fica muito bom), e um preto alongador. É isso mesmo, gosto de cílios longos e sensuais. Gostaria de dizer que o rímel é um grande aliado, pois podemos colocar em qualquer lugar e dá um up-grade no make in natura por exemplo. Comprei um novo agora na mão da minha amiga, que revende O Boticário. Estou esperando só chegar para contar a vocês. Comprei esse rímel alongador e o batom 232 cor de boca também do O Boticário

segunda-feira, 12 de março de 2012

Resposta a um idiota qualquer!

Me bate um desânimo de ver pessoas que não prestam se dando bem o tempo todo. O que vai ser desse país? Vai afundar e eu com certeza não estarei aqui para ver. Sabe por que tenho essa certeza? Por que estou dando muito duro. Estou plantando agora muito fundo, para colher amanhã bem alto. E nada vai me demover da minha ideia. Nenhum idiota. Aliás apareceu um comentário anônimo de algum burro e de alguém que é covarde demais para aparecer, para dar as caras. Um anônimo. Leu meu blog, uma coisa que é MINHA! Me desrespeitou e não mostra a cara. Faça como eu, que dou minha cara a tapa aqui para dizer o que ninguém tem coragem! Seja homem, ou seja mulher! Um idiota que nem escrever sabe, comentou na postagem do dia 26 de julho do ano passado (podem procurar e ler a postagem), onde eu faço um desabafo e me indigno com situações que todos nós brasileiros alienados deveríamos nos preocupar, ao invés de estarmos comemorando uma copa idiota e puxando o saco de príncipe inglês débil mental, e essa pessoa entra no meu espaço, que apesar de ser público, é meu, eu digo o que eu quiser, afinal o país é livre democrático e laico. Ei, você comentarista anônimo sabe o que LAICO? Burro, vá estudar para sair da bosta de país em que vivemos e a da vida à toa que VOCÊ tem e não EU! Não sou RETARDADA como você falou. Retardado é quem não pensa, quem não reflete, quem não estuda, quem se deixa comandar.Por favor mostre a sua cara e o seu nome, faça uma conta no google. Sabe como faz? Eu te ensino! Quando você fizer isso e mostrar sua cara de trouxa enganado, eu publicarei com prazer todas as suas ofensas. Deixe- me quieta no meu canto e vá ler Platão, Sócrates, Piaget, Marx, que você vai saber o que ser inteligente e o que é ser burro.

sábado, 10 de março de 2012

Viva, Sai de baixo e nostalgia brasileira

Estou aqui vendo Sai de Baixo no canal viva e estou pensando em como a TV  exprime a cultura e um contexto momentâneo ou não  de uma determinada sociedade. Digo isso por que vendo essas cenas e frases engraçadas, simplesmente me lembro de acontecimentos da época. Isso inclui a cultura da moda, as frases engraçadas, os fatos políticos e culturais da época. Sempre a oportunidade de assistir Sai de Baixo, nos sábados da Viva, me remete à minha infância, e ouvindo esse humor muitas vezes politicamente incorreto, percebo que mais coisas eram faladas antigamente do que agora. Parece que nossa liberdade vem sendo cerceada, pois não vemos programas de humor, que falam realmente o que pensam. Que sejam tão espontâneos e particulares como os de outrora.
São citados políticos, artistas e temas que estavam no auge naquele momento. E eles extraiam o humor mais real desses temas. Não se estou sendo clara em minhas ideias, mas gosto de assistir programas da minha infância, para tentar me situar em algumas situações que vivi e que nem me lembrava. O canal Viva também reprisa o Casseta e Planeta do início dos anos noventa. Era bem pequena, e por isso mesmo extraio desse programa fatos políticos e culturais da época. Coisas que foram notícia no Brasil.
E sem falar nas interpretações de Miguel Falabella, Marisa Orth, Cláudia Rodrigues e Araci Balabanian. Atores e humoristas de alta categoria e que juntos montaram um trabalho maravilhoso na Televisão Brasileira e que até hoje me causam tamanha nostalgia de uma época que ainda era criança para entender certas coisas que se passavam ao meu redor.
O que vocês acham sobre esse assunto? Qual a importância da televisão em suas vidas? Comentem.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Os dias das mulheres em nossas novelas

Hoje é o dia internacional das mulheres como todo mundo sabe. Essa data foi escolhida pela ONU para essa data por causa da luta de trabalhadoras que morreram queimadas, em uma manifestação por direitos trabalhistas. Pelo menos essa é a história unânime que todos nós conhecemos.O que eu quero dizer exatamente é que acredito que nós mulheres, não devamos ser enaltecidas apenas em um dia do ano, mas sim em todos os dias e a todo o momento. E não só enaltecida no sentido romântico da palavra, eu digo também respeitada, amada e igualada em direitos aos homens. Ganhando os mesmos salários, fazendo as mesmas atividades, mas sendo nós mesmas, sem perdermos nossa essência, nossa feminilidade. Eu particularmente adoro ser mulher, apesar da minha jornada tripla e dos percalços da vida, das dores físicas e tanta pressão e estresse.
O que tem me preocupado ultimamente é a aparição de nós mulheres, nas mídias. Estamos sendo apelidadas de mulher frutas, com exposições de corpos artificiais e siliconados e sendo sempre símbolos sexuais. Somos taxadas de fúteis, discriminadas e chamadas de piriguetes. Gostaria de destacar as novelas Aquele Beijo e Fina Estampa, ambas da Rede Globo. Acho que nas novelas em geral, ninguém usa preservativo. Mas nessas duas novelas em particular, esse fato torna- se ainda pior.Na primeira há as personagens Bernardete e Belezinha, vividas respectivamente por Karin Hils e Bruna Marquezine, ficaram grávidas em circunstâncias bem esquisitas eu diria. A primeira engravidou de um médico, separado, já com um filho pequeno e uma história conturbada com a ex mulher. A segunda se embebedou em uma festa, dormiu com alguém que nem sabia até o dia seguinte,e  que nem se deu ao trabalho de usar camisinha. Bom não podemos ser hipócritas, sabemos que esse tipo de coisa acontece na vida real, porém isso não deve ser banalizado. Imagina os riscos que essas mulheres correm ao transar com quase desconhecidos sem preservativo. Em Fina Estampa a coisa não é diferente. Quero ressaltar que não tenho nada contra a globo e muito menos contra novelas, pelo contrário adoro novelas, principalmente as da Globo e principalmente Fina Estampa. Nessa novela, as grávidas foram Patrícia (Adriana Birolli), Amália (Sophie Charlotte) e Teodora (Carolina Dieckmann). A primeira engravidou de um namorado que não queria o filho, mas já perdeu. Amália também não usou camisinha com o namorado criminoso e nem sabia que estava grávida, descobrindo por acaso, após um acidente de carro. E a última, porém não menos importante Teodora, engravidou do ex- marido que  ela própria tinha largado antes. E ainda disse que ele não quis usar a camisinha e estava aí o resultado. Disse em alto e bom som, como se se retirasse da responsabilidade de zelar pelo seu próprio corpo, por sua saúde. Difunde- se essa imagem da mulher e isso fica absolutamente impregnado em nossas mentes, e acabamos acreditando que não precisamos mesmo usar camisinha. E como fica a cabeça de nossas crianças e jovens, vendo essa banalização do sexo sem camisinha todo dia? Venho aqui demonstrar meu repúdio com essas gravidezes não planejadas e feitas sem responsabilidade e sem camisinha. Considero esse tipo de coisa, um retrocesso a tudo o que conquistamos, a todas as nossas vitórias em cima do machismo.
Deixo mais uma vez a reflexão.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Aviso da Lua que menstrua - Elisa Lucinda (Homenagem ao dia da mulher)


Moço, cuidado com ela!
Há que se ter cautela com esta gente que menstrua...
Imagine uma cachoeira às avessas:
cada ato que faz, o corpo confessa.
Cuidado, moço
às vezes parece erva, parece hera
cuidado com essa gente que gera
essa gente que se metamorfoseia
metade legível, metade sereia.
Barriga cresce, explode humanidades
e ainda volta pro lugar que é o mesmo lugar
mas é outro lugar, aí é que está:
cada palavra dita, antes de dizer, homem, reflita..
Sua boca maldita não sabe que cada palavra é ingrediente
que vai cair no mesmo planeta panela.
Cuidado com cada letra que manda pra ela!
Tá acostumada a viver por dentro,
transforma fato em elemento
a tudo refoga, ferve, frita
ainda sangra tudo no próximo mês.
Cuidado moço, quando cê pensa que escapou
é que chegou a sua vez!
Porque sou muito sua amiga
é que tô falando na "vera"
conheço cada uma, além de ser uma delas.
Você que saiu da fresta dela
delicada força quando voltar a ela.
Não vá sem ser convidado
ou sem os devidos cortejos..
Às vezes pela ponte de um beijo
já se alcança a "cidade secreta"
a Atlântida perdida.
Outras vezes várias metidas e mais se afasta dela.
Cuidado, moço, por você ter uma cobra entre as pernas
cai na condição de ser displicente
diante da própria serpente
Ela é uma cobra de avental
Não despreze a meditação doméstica
É da poeira do cotidiano
que a mulher extrai filosofando
cozinhando, costurando e você chega com a mão no bolso
julgando a arte do almoço: Eca!...
Você que não sabe onde está sua cueca?
Ah, meu cão desejado
tão preocupado em rosnar, ladrar e latir
então esquece de morder devagar
esquece de saber curtir, dividir.
E aí quando quer agredir
chama de vaca e galinha.
São duas dignas vizinhas do mundo daqui!
O que você tem pra falar de vaca?
O que você tem eu vou dizer e não se queixe:
VACA é sua mãe. De leite.
Vaca e galinha...
ora, não ofende. Enaltece, elogia:
comparando rainha com rainha
óvulo, ovo e leite
pensando que está agredindo
que tá falando palavrão imundo.
Tá, não, homem.
Tá citando o princípio do mundo!

Oi no PROCON

Não resisti e tive que colocar a Oi no procon. No sábado passado fui ao Sac no Salvador Shopping e entrei com a queixa que ai gerar um processo administrativo. Estou aguardando eles entrarem em contato comigo para eu ver se eu vou entrar na justiça ou não. Creio que isso ainda vai se estender um pouco, mas não posso deixar assim barato. Solicitei o cancelamento da linha, sem o pagamento da multa. Afinal de contas, provavelmente estamos com mais opções agora, já que a GVT está vindo para o fimdemundopólis onde moro. Ainda estou gripada, respirada,sei lá... e cheia de coisas para fazer como sempre.
Não tenho mais nada para falar no momento. Até logo!

terça-feira, 6 de março de 2012

Estudo de texto

 Estudar um texto é trabalhar nele de modo analítico e crítico, desvendando- lhe sua estrutura, percebendo os recursos utilizados pelo autor para a transmissão da mensagem, descobrindo o objetivo do autor, antevendo hipóteses, testando- as, confirmando- as ou refutando- as. Após os estudos, os alunos devem exteriorizar, por sua própria produção, algo que adquiriram com o estudo de texto...
 Uma das vantagens dessa técnica é o fato de ela envolver o aluno, fazendo- o realizar o seu estudo, portanto operando. O estudo de texto deve basear se na concepção de leitura dinâmica ativa e produtiva. A leitura deve ser "dinâmica e mutável"; a leitura não é um ato mecânico, e deve levar ao leitor a questionar, a confrontar , a levantar- testar - hipótese, a buscar significados e descobrir que o texto pode oferecer múltiplos sentidos.
Para a realização de um bom estudo estudo de texto é preciso que o leitor seja capaz de utilizar, de maneira adequada e em momentos apropriados, os dois processos de leitura - descendente e ascendente - de tal modo que um complemente o outro, segundo a teoria de Kato (1987).
Há a sugestão que o texto não seja entregue "secamente" ao aluno. É importante que haja uma preparação prévia, partindo- se de experiências já vivenciadas pelo mesmo até se chegar ao texto propriamente dito. Para isso, o conhecimento prévio do aluno, quer seja linguístico- conhecimento dos recursos da língua - quer seja extranlinguistico - tudo que se enquadra às exigências gramaticais - deve ser ativado pelo professor, para que possa haver um engajamento entre o leitor e o texto a ser estudado.
O primeiro contato com o texto deve ser feito primeiro individualmente para que o aluno de acordo com o seu ritmo próprio de leitura, busque o significado global do mesmo, relacionando suas "histórias de leituras" (Orlandi 1984) com o texto em questão.
O objetivo, pois, da leitura silenciosa individual é a busca de significados. Por meio dessa atividade de leitura, espera- se que o aluno- leitor que poderá enriquecida ou refutada após o estudo feito.
A posição do professor, como estimulante, deve ser aquela que direciona, sem imposição, por intermédio de atividades sugestivas questionadoras, a fim de que os alunos atinjam os objetivos propostos para o Estudo de Texto, chegando a um aprofundamento do mesmo.
A leitura deve ser motivada para um propósito e, não apenas restringir se a uma atividade mecânica. Estudar um texto é perceber não só o que está explícito, mas também descobrir o que se apresenta de modo mais sutil. Não pode ser visto como uma técnica em que se pode oferecer roteiros rígidos: cada texto poderá ter um tipo de abordagem; cada turma de aluno poderá determinar a abordagem do texto; finalmente cada professor, de acordo com o seu grau de sensibilidade e criatividade criará condições diferentes para a abordagem do texto.
Concluindo: O importante é que os professores, sejam criativos para descobrir novos meios de como realizar um Estudo de Texto no qual o aluno seja sujeito- ativo desse processo. Cabe ao professor, portanto, criar e deixar florecer muitas outras propostas a partir do engajamento com o texto em estudo.


Resumo do capítulo: Estudo de texto do livro Técnicas de ensino: por que não?

segunda-feira, 5 de março de 2012

De volta!

Ufa! Até que enfim. Estava sem internet. Que vida chata é a vida sem internet. Quando postei no dia 29/02 foi na UNEB. Estou aqui para variar fazendo trabalho, pois afinal de contas, ao contrário de todo mundo, estou em final de semestre.  Estou gripada. Isso saco. Estava me gabando por que nunca mais tinha tido uma gripe. Tem anos que eu não tenho gripe e essa parece que vai ser das boas. E aí ficaram com saudades? Eu fiquei. Mas ainda continuo atolada de coisas para fazer. Final de semestre. Concurso do Banco do Brasil, coisas de casa, etc. E ainda me inventaram um trabalho de observação de ludicidade, observar crianças brincando em um parque público, para semana que vem. É brincadeira. A essa altura do campeonato, final de semestre, com um calendário conturbado, vivendo ainda 2011.2, ainda vem um professor inventar isso. Aff... Conto mais novidades depois, estou cansada e já são quase meia noite.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...